7 de julho de 2018 às 10h17min - Por Mário Flávio

Da Coluna Folha Política – por Renata Bezerra de Melo

A data foi marcada. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, será recebida pelo governador Paulo Câmara na próxima quinta-feira. O encontro dos dois já era esperado, mas a agenda do socialista, apertada na última semana de inaugurações, não facilitou.

Na terça-feira, se a previsão for mantida, Gleisi estará com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, em Brasília, como a coluna cantara a pedra. Dois dias depois, então, chega a Pernambuco para diálogo com o vice-presidente nacional da legenda. Ainda que boa parte da bancada socialista defenda a candidatura de Ciro Gomes, Pernambuco, que é majoritário na sigla, tem trabalhado para que a decisão sobre aliança nacional fique para o final de julho.

Como a coluna antecipara, essa é a posição que vem sendo defendida por Paulo Câmara desde a reunião recente dos governadores do PSB que tratou do tema. A repercussão do encontro gerou rumores de que os socialistas teriam decidido pelo apoio a Ciro. Em reação, o PSB de Pernambuco emitiu nota, negando e foi além. O texto dizia o seguinte: “Continuaremos a defender, dentro e fora do PSB, uma aliança com o Partido dos Trabalhadores, priorizando a candidatura do ex-presidente Lula”.

Na última quinta-feira, no entanto, após visita ao ex-presidente Lula, o líder do MST, João Pedro Stedile e o ex-presidente do PT, Rui Falcão, deram o seguinte recado à militância do PT-PE : “Se eu estivesse no PT de Pernambuco, já estaria em campanha pela Marília Arraes”.

O episódio foi recebido com surpresa por socialistas. Em entrevista à Imprensa, ontem, no entanto, Paulo Câmara fez uma ponderação sobre o vídeo: “Faz parte dos movimentos políticos. Tem gente que gosta de falar, tem gente que gosta de ser mais discreto. Prefiro ser mais discreto. Enquanto tiver conversa, não há porque ficar falando de questões que, mais na frente, pode ser que não se confirme”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro