30 de abril de 2013 às 10h55min - Por Mário Flávio

Inconformados com os recursos financeiros destinados pelo Governo Federal para enfrentar os problemas administrativos, sobretudo, a seca que assola o Estado, no dia 13 de maio, os prefeitos membros da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) realizarão um protesto na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). O ato servirá para chamar a atenção da Casa quanto à realidade e às dificuldades enfrentadas pelas prefeituras, que sofrem com a seca e a diminuição no repasse das verbas oriundas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Durante a mobilização, encabeçada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e que ocorrerá em todas as capitais nordestinas, um documento mostrando a situação das cidades será entregue aos deputados. O material começou a ser elaborado ontem, no encontro dos prefeitos pernambucanos na sede da Amupe, e será finalizado hoje em Maceió, durante reunião entre as associações de municípios do Nordeste. No dossiê, além da seca e do FPM, serão abordadas questões relacionadas à iluminação pública, que a partir de 2014 será de responsabilidade dos municípios; e as obras dos habitacionais do programa “Minha Casa Minha Vida”. Este último, segundo o presidente da Amupe, José Patriota (PSB) está com obras inacabadas em várias cidades.

No dia do protesto as prefeituras fecharão as portas, mas mantenham os serviços essenciais. Segundo Patriota, além da Alepe, o Legislativo Nacional será alvo do próximo ato. “Hoje o problema não é só com o Poder Executivo. O Congresso, com os parlamentares, tem tudo a ver com essa situação que está aí. Ficam aprovando leis que atrapalham a vida dos municípios também. Então, no dia 4 de julho vamos ao Congresso”, prometeu.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro