20 de setembro de 2017 às 10h25min - Por Mário Flávio

Raquel

Após a reunião do Plano de Segurança, na manhã desta terça-feira (19), a prefeita Raquel Lyra, anunciou uma carta com vários pedidos a ser entregue ao socialista. A própria Raquel ficou de ir ao Palácio do Campo das Princesas. Mas a falta de sintonia entre as duas gestões fica mais uma vez evidente. O governador está em São Paulo, na entrega do Pacto Pela Educação, numa agenda marcada com antecedência.

Ou seja, quem marcou o encontro, desconhecia a agenda do governador. Talvez o vice-governador Raul Henry ou o chefe de gabinete, João Campos, receba a prefeita de Caruaru. Segue abaixo o conteúdo da carta.

Carta ao Governador:

Considerando a situação de insegurança que impera na região do Agreste, em particular no município de Caruaru, com recrudescimento dos indicadores de violência e de criminalidade chegando a níveis inaceitáveis.

Considerando que a situação tem causado uma verdadeira comoção e indignação na população que sofre assustada e evita até mesmo sair as ruas com medo de ser mais uma vítima de atos violentos, inclusive contra a vida, que já vitimaram mais de 200 (duzentas) pessoas no ano de 2017, o que representa um aumento de mais de 34% no número de Crimes Violentos Letais intencionais em relação ao ano de 2016.

Considerando o contido na Constituição da República Federativa do Brasil, no que se refere a Segurança Pública, que estabelece atribuições específicas para cada um dos entes federados, cabendo aos Governos Estaduais atribuições precípuas de enfrentamento direto a criminalidade, através do Órgão Operativo da Secretaria de Defesa Social.

Considerando que o momento de apreensão e comoção de toda a população do município, em função dos últimos acontecimentos de violência, resultou numa reunião que contou com a participação efetiva de parte da sociedade civil organizada, entidades de classes, clubes de serviço, representantes eclesiásticas, executivo municipal, legislativo municipal, lideranças comunitárias e instituições de ensino superior.

Considerando a formação de uma comissão de representação dos interesses da municipalidade, que discutiu proposições de cunho emergencial e estruturador, são encaminhadas as reivindicações abaixo relacionadas:

1.Maior estrutura para o funcionamento dos Órgãos Operativos da Secretaria de Defesa Social, no que concerne aos aspectos físicos e de efetivo;
2.Realização de Ações Emergenciais, através do início imediato de uma operação de contenção da violência;
3.Transformação do 4º Batalhão de Polícia Militar em unidade com policiamento exclusivo para o município de Caruaru;
4.Implantação de mais uma Delegacia de Plantão, implantação de uma Delegacia de crimes de menor potencial ofensivo, implantação de uma Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente, além do funcionamento de Delegacia da Mulher em tempo integral nos finais de semana e em feriados;
5.Estruturação de atendimento e despacho de emergência 190 com base e funcionamento em Caruaru;
6.Ampliação e melhorias do Patrulhamento Rural;

Desta forma, solicitamos a atenção necessária ao atendimento dos pleitos da população de Caruaru, com a celeridade que a situação exige.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro