5 de novembro de 2017 às 18h54min - Por Mário Flávio

aline-correa-reprodução-internet

Do Blog de Inaldo Sampaio

A ex-deputada federal Aline Corrêa (PP-SP), filha do ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE), foi indiciada pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava Jato, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ela é acusada de ter recebido dinheiro de propina do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Yousseff.

Segundo a delegada Renata da Silva Rodrigues, que conduz o inquérito, “entendo que há indícios de autoria e materialidade quanto à prática, por Aline Corrêa, do crime de lavagem de dinheiro e corrupção, uma vez que aderiu à conduta criminosa de Pedro Corrêa, Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, recebendo recursos em espécie por determinação de seu pai, e tendo atuado para recebimento de recursos inclusive em benefício de sua campanha eleitoral de 2010”.

Segundo a investigação, a ex-deputada esteve no escritório de Alberto Yousseff, na Avenida São Gabriel, em São Paulo, pelo menos 40 vezes entre agosto de 2010 e setembro de 2012 para apanhar dinheiro em espécie.
Alberto Youssef disse aos investigadores que Aline Corrêa recebia mensalmente R$ 30 mil do “caixa dois” da Petrobras da quota que cabia ao PP.

Ela própria confirmou à PF que esteve no escritório do doleiro várias vezes para apanhar dinheiro a pedido de seu pai. Que, ao juiz Sérgio Moro, assumiu toda responsabilidade pelo recebimento do dinheiro, isentando a filha de qualquer responsabilidade.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro