13 de setembro de 2017 às 07h32min - Por Mário Flávio

Temer

Centrais sindicais trabalhistas brasileiras e representantes empresariais entregaram para o presidente Michel Temer, na manhã desta terça-feira (12), em Brasília (DF), um documento com propostas que visam a retomada do desenvolvimento econômico brasileiro, com foco na geração de empregos. A reunião ocorreu após uma prévia das entidade para os últimos acertos em relação às sugestões que foram posteriormente encaminhadas.

Participaram a Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Representando o governo, os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Fazenda, Henrique Meireles, do Planejamento, Diogo Oliveira, do Trabalho, Ronaldo Nogueira e o presidente do BNDES, Pauli Rebello de Castro, participaram do encontro.

A pauta conjunta entregue à Presidência da República estabelece a retomada do crédito, das obras públicas paralisadas, da revisão de normas do seguro-desemprego, desburocratização da administração, recuperação de passivos fiscais, renovação da frota de veículos e maquinário industrial, construção de moradias populares e promoção do entendimento entre os agentes de petróleo e gás, visando o cumprimento das normas de conteúdo local de forma a destravar os investimentos do setor e gerar demanda para os segmentos nacionais que possuem capacidade de fornecimento com custos e prazos adequados.

o ministro Henrique Meireles disse que ouviu com atenção as intervenções de todos os representantes. No entanto, reforçou a continuidade e manutenção da política econômica do governo. ” Torna-se imprescindível para o controle inflacionário e a manutenção da tendência de queda nas taxas de juros para patamares civilizados, dentro dos padrões internacionais”, declarou.

Durante o discurso, Meirelles também destacou que os indicadores econômicos apontam para uma recente “retomada do crescimento”, apresentando “resultados positivos” à partir do ajuste fiscal conduzido pelo governo. “O que precisamos é trabalhar e realizar um esforço conjunto para viabilizar um novo ciclo de desenvolvimento. Para isso, contamos o empenho de cada um de vocês para assegurar os pilares necessários para a superação dos desafios que se deparam”, reforçou o ministro da Fazenda.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro