14 de agosto de 2017 às 11h19min - Por Mário Flávio

Foi realizada na manhã desta segunda-feira (14) uma audiência pública na Câmara Municipal de Caruaru, para debater a extinção da 105ª zona eleitoral. A decisão do Tribunal Superior Eleitoral, na opinião dos especialistas que participaram do debate, vai prejudicar os eleitores.

O consultor jurídico da Casa Legislativa, João Américo, informou que a mudança vai atrapalhar diretamente as eleições vindouras.

“Na medida em que houver a extinção de uma zona eleitoral, vai prejudicar o atendimento aos eleitores de Caruaru. A zona 105 deve permanecer como está, para evitar que a população seja prejudicada”, disse.

O presidente da OAB/Caruaru, Felipe Sampaio, disse que a possibilidade da zona 105 ser extinta prejudica também os trabalhos da justiça eleitoral. “Nós temos a preocupação de um possível retrocesso com a extinção da 105ª zona. Estivemos juntos ao presidente do TRE para mostrar por meio de um relatório os prejuízos com essa mudança. Não são apenas para os advogados, atinge também a sociedade, já que os processos irão tramitar de forma lenta com essa mudança. Se hoje temos três zonas eleitorais e o gargalo é pesado, imaginem com a redução dessa estrutura? Vamos tentar juntos mudar essa resolução do TSE”, garante.

O chefe do cartório eleitoral de Caruaru, Onassis Araújo, expôs preocupação com o rezoneamento proposto pelo TSE. Segundo ele, a possível extinção não trará nenhum benefício para a população. “Temos zonas extensas, como é o caso da área rural. As outras duas ficam com a zona urbana. Entendemos que a extinção vai trazer prejuízos principalmente na época da eleição municipal, quando a demanda é muito grande. Em 2012 e 2016 tivemos mais representações em Caruaru que no Recife. Com uma zona eleitoral a menos, vai ter uma sobrecarga com os servidores. Em 2016, por exemplo, dois grupos disputavam um partido e por pouco o calendário não atrasou”, disse.

O presidente da Comissão Eleitoral da OAB, Marcelo Cumaru, informou que após a audiência um relatório será feito para ser entregue ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral, com a intenção de tentar evitar a extinção da zona eleitoral. “Com o início do processo eleitoral a decisão da justiça deve ser rápida e com essa situação, iremos ter um retrocesso e o processo jurídico será prejudicado”, disse.

Participaram da audiência pública vereadores, presidentes de partidos, servidores da justiça eleitoral e eleitores.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro