Em Recife, Bolsonaro promete desoneração para área da saúde

Lucas Medeiros - 13.10.2022 às 18:55h

Do Poder 360

(Imagem: Reprodução/ Poder 360)

O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), anunciou nesta quinta-feira (13), que o governo desonerará a folha de pagamento da área da saúde. O chefe do Executivo afirmou ter sugerido a proposta ao ministro da Economia Paulo Guedes.

São 17 setores já desonerados e ele [Guedes] falou que eu poderia anunciar a da Saúde. O impacto é compatível”, disse Bolsonaro a um grupo de prefeitos e pastores evangélicos na capital pernambucana.

Bolsonaro disse ainda que a medida seria “mais uma sinalização para o piso da enfermagem no Brasil, que o Supremo Tribunal Federal resolveu barrar”.

O governo prorrogou a desoneração para 17 setores da economia até o fim de 2023. Segundo o presidente, a ideia inicial da equipe econômica era prorrogar por apenas 1 ano. A medida permite às empresas substituir a contribuição previdenciária, de 20% sobre os salários dos empregados, por uma alíquota sobre a receita bruta, que varia de 1% a 4,5%.

O anúncio do presidente foi feito na parte interna de um hotel no bairro de Boa Viagem, em Recife. Logo depois, ele discursou em trio elétrico na parte externa. As imagens divulgadas pelo perfil oficial do presidente no momento em que ele discursava mostram os arredores do palanque vazios e uma pequena aglomeração concentrada em frente a Bolsonaro.

Aos apoiadores, o presidente disse que seu oponente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), será derrotado no segundo turno da eleição. Subiu o tom: “Lugar de ladrão é na cadeia”. Bolsonaro  disse também que o petista recebeu a maioria dos votos dos presos no Brasil.

A visita de Bolsonaro a Pernambuco é a primeira viagem ao Nordeste depois do primeiro turno. Em uma de suas lives, o candidato à reeleição relacionou as altas taxas de analfabetismo na região à vitória do ex-presidente Lula.

Três dias depois, em 8 de outubro, a campanha de Bolsonaro fez um aceno ao eleitorado do Nordeste no Dia do Nordestino. Com uso de xilogravura em sua inserção, o chefe do Executivo pediu votos na região, onde seu adversário na corrida presidencial lidera.