11 de outubro de 2013 às 15h25min - Por Mário Flávio

A Prefeitura de Caruaru enviou esclareceu que não exerce qualquer ingerência sobre a Câmara de Vereadores, por se tratar de Poder Republicano com o qual são mantidas relações de respeito e acatamento, conforme determina a Constituição do Brasil. Essa nota foi publicada em um momento em que a oposição acusa ps vereadores da base do governo de utilizarem as recentes CPIs aprovadas no Legislativo para atingir a minar pedido de CPI feito pelo vereador Evandro Silva (PMDB).

“Os vereadores não são e não serão pautados pelo Poder Executivo. A bancada da situação apenas cumpre as funções de base de apoio ao governo, na condição de maioria eleita pela população de Caruaru. Isso só pode causar incômodo a quem não aprecia ou não quer respeitar a democracia”, diz o texto.

O Poder Executivo recebeu, no dia 03 de outubro, um ofício da Justiça Federal, intimando a Prefeitura a participar de Ação de Improbidade Administrativa contra o ex-prefeito Antonio Geraldo Rodrigues, com base em relatório da CGU-Controladoria Geral da União, e manifestação do Ministério Público Federal que destaca conluio, fraude em licitação pública e direcionamento da concorrência como um dos itens principais.

“Se este assunto mereceu da parte da Câmara de Vereadores a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, isso se deve ao zelo fiscalizador dos legisladores municipais. O mesmo se aplica à segunda CPI, constituída para investigar para onde foram os recursos, de mais de R$ 1.600.000,00 repassados pela Caixa Econômica Federal para a construção de 150 casas populares no Cedro. O tema é constante do relatório da CGU, de 2011, e também foi denunciado ao Ministério Público Federal”, continua o texto. Isso também se refere à administração do hoje deputado estadual Tony Gel.

Em nota oficial, divulgada hoje, o ex-prefeito Tony Gel se colocou à disposição para “quaisquer outros esclarecimentos”.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro