15 de fevereiro de 2013 às 10h55min - Por Mário Flávio

20130215-105131.jpg

Terminou agora há pouco a assembleia dos professores da rede municipal de ensino. Dezenas de professores lotaram o auditório da União Beneficente para que as reivindicações da categoria fossem apresentadas. Após discursos acalarodos os professores decidiram que na próxima quarta-feira (21) haverá uma parada de advertência na rede municipal. Os docentes pretendem ir pela manhã para a sede da prefeitura e fazer muito barulho para chamar atenção da secretaria de Educação.

Também ficou decidido que na próxima sexta-feira (22), a partir 14h, haverá uma nova assembleia para tomar uma decisão a respeito de uma possível greve, como explica o presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça. “A exigência da categoria é que o texto da redação do Projeto que atualiza o PCC seja revisto e que os professores participem do debate sobre uma nova redação. Foi isso que ficou decidido e se a prefeitura não ceder a greve pode ser decretada”, disse o sindicalista.

A prefeitura não mandou representante oficial para a assembleia, mas segundo o presidente do Sismuc, Eduardo Mendonça, na próxima semana o Executivo vai se reunir com os professores e sindicato para que haja uma definição. “Edileuza Portela ligou para Carlão, que é diretor do Sismuc e
explicou isso, mas não foi nada formal, apenas uma ligação de uma pessoa que nem sei se tem vínculo com a prefeitura”, criticou.

O presidente da Associação dos Trabalhadores em Educação de Caruaru (ATEC), Fred Santiago, garantiu que a categoria só aceita negociar se a prefeitura ceder. “Esse PCC é um absurdo e temos que mobilizar a classe para que possamos evitar prejuízos. Esse PCC é um chicote que está sendo dado aos gestores para que possamos sofrer nas mãos deles e não podemos aceitar isso”, disse.

Os professores receberam o apoio do Movimento Luta de Classes, uma corrente sindical ligada a esquerda. Uma das coordenadoras, Valeria Pires, destacou a importância da Assembleia. “Estamos dando total apoio aos professores”, disse Pires, que também é vereadora jovem de Caruaru.

NOTA DE REPÚDIO – Ficou decidido que o Sismuc vai emitir uma nota de repúdio aos vereadores que votaram a favor do Projeto. O único representante da Câmara presente na reunião foi o vereador Eduardo Cantarelli (PSDB). Ele disse que dava total apoio aos professores. O tucano esteve ausente da votação extraordinária que aprovou por unanimidade o novo PCC.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro