18 de janeiro de 2013 às 11h25min - Por Mário Flávio

Da Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff desembarca hoje no Piauí diante da constatação do PT de que a recuperação do prestí­gio político da sigla no Nordes­te, região sob forte influência do governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB), é crucial para o projeto de reelei­ção em 2014. Até o início de março, Dilma deve visitar ao menos seis Estados da região.

A avaliação dos petistas é que o partido precisa melhorar a arti­culação política com governado­res e prefeitos na região, princi­palmente após o resultado das eleições de 2012, da qual o PSB saiu fortalecido. Além disso, o Planalto precisa driblar o desgas­te político gerado pela paralisa­ção nos canteiros de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) na região.

O giro de Dilma pelo Nordeste inclui ainda Pernambuco, Cea­rá, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. A região também está na mira do ex-presidente Lula. O Nordeste tem sido tradicionalmente um reduto eleitoral do PT. Nas últi­mas três eleições presidenciais (2002,2006 e 2010), deu ampla margem de vitória para os candi­datos do partido – Lula e Dilma. Em 2010, a petista teve 10,7 mi­lhões de votos a mais na região que José Serra (PSDB).

A direção do PT acredita que po­deria ter se saído melhor na dispu­ta pelas prefeituras do Nordeste na eleição do ano passado – avalia também ter patinado em algumas costuras políticas. O PT perdeu duas capitais importantes, Recife e Fortaleza, e não emplacou seu candidato em Salvador. Venceu apenas em João Pessoa, com Luciano Cartaxo. Além do prestígio de Campos e do PSB na região, o PT teme efeitos da retomada de poder da oposição de redutos emblemáticos, como a volta do DEM a Salvador, com Antonio Carlos Magalhães Neto.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro