4 de setembro de 2018 às 17h55min - Por Mário Flávio

Como várias lideranças políticas, acadêmicos e cidadãos, a ex-presidente Dilma Rousseff usou as redes sociais para se pronunciar sobre o incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Dilma, porém, recebeu uma alfinetada do candidato à presidência pelo MDB, Henrique Meirelles.

A ex-presidente afirmou em sua página no Twitter que o incêndio seria consequência dos governos de Michel Temer e do PSDB. Ela mencionou ainda um golpe, que tentaria “transformar nossa história em terra arrasada”.

O incêndio do Museu Nacional é o retrato do descaso e do desinvestimento promovido por Temer, Meirelles e o PSDB. O Golpe tenta transformar nossa história em terra arrasada. Não conseguirão. #MuseuNacionalVive #CortaCortaTemer #CortaCortaMeirelles #CortaCortaPSDB

— Dilma Rousseff (@dilmabr) 3 de setembro de 2018

Henrique Meirelles, que também foi citado no tweet, acusou Dilma de oportunismo e afirmou que ela tentava “tirar proveito da situação para esconder nas cinzas do que sobrou a sua incapacidade de governar”.

O Brasil se entristece com a tragédia que nos tirou parte irrecuperável de nossa história. Tão lamentável quanto o incêndio é ver gente oportunista tentando tirar proveito da situação para esconder nas cinzas do que sobrou a sua incapacidade de governar.

— Henrique Meirelles (@meirelles) 3 de setembro de 2018

Vários outros usuários também responderam Dilma Rousseff, com trechos de reportagens que denunciavam a deterioração do museu antes mesmo do governo Temer. O Museu Nacional enfrenta uma série histórica de corte de verbas, e em 2004, o então secretário  estadual de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer, já aponta para risco de incêndio na estrutura.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro