20 de julho de 2017 às 10h29min - Por Mário Flávio

Marocas

A prefeitura de Belo Jardim definiu os homenageados da 47ª edição da Festa das Marocas. Uma das fundadoras do evento, Maria José de Lima, além do histórico animador da festa, Otoni Rodrigues, ambos in memoriam, serão lembrados durante a realização do evento, que acontece entre os dias 22 e 24 de julho.

Maria José
Natural de São José do Egito, Sertão pernambucano, Maria José Lima e outras duas amigas, Zélia Franklin e Conceição Augusta, moravam em um cenário parecido com o da novela “Redenção” da extinta TV Excelsior e possuíam a vivacidade das personagens da trama.

Foi então que resolveram promover o primeiro “Forró de Redenção”, em 1970, na Rua João Pessoa, no Centro, atualmente chamada de Calçadão de Belo Jardim, espaço localizado no início da avenida que posteriormente veio a sediar o evento.

Exibida entre maio de 1966 e maio de 1968, o folhetim narrava a história de algumas fofoqueiras que faziam das janelas seus ‘tribunais’ particulares de vida alheia, narrativa que se assemelhava com o dia a dia das fundadoras do evento belo-jardinense, que em razão disso logo ganhou o título de Festa das Marocas.

Em 15 de outubro do ano passado, aos 100 anos, Maria Jose Lima veio a falecer, deixando órfã a festa que ajudou a criar na década de 1970. Um dia depois, com cortejo acompanhado pelo Carro que tocou cirandas da época do início do Forró de Redenção, ocorreu o seu sepultamento no Cemitério São Sebastião, em Belo Jardim.

Otoni Rodrigues Propaganda

Otoni trouxe carro de som que marcou época na festa (Foto: Divulgação/Assessoria )

Nascido e residente até os seus últimos dias de vida em Vitória de Santo Antão, município da Zona da Mata de Pernambuco, Otoni Rodrigues Propaganda fez história cultural em Belo Jardim, particularmente na Festa das Marocas.

Anualmente, o publicitário vitoriense era convidado juntamente ao seu carro de som, batizado de Carro da Pitú, para que fizesse a animação dos belo-jardineses no Forró de Redenção, tocando cirandas, marchinhas, forró tradicional e claro, muita irreverência na locução do evento.

A tradição da vinda de Otoni e do seu carro sonoro para a Festa das Marocas perdurou até o final da década de 1990, época em que ele, já debilitado, enfrentava problemas de saúde. No dia 17 de junho de 2008, aos 79 anos, Otoni faleceu deixando um legado de participação cultural em eventos de diversos municípios do Estado. Além de publicitário, ele também chegou a ser vereador de Vitória, município onde foi enterrado no Cemitério São Sebastião.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro