14 de setembro de 2012 às 12h43min - Por Mário Flávio

Ainda durante o debate da Rádio Liberdade desta sexta (14) com os candidatos a vice-prefeito de Caruaru, Jorge Gomes e Diogo Cantarelli centraram entre si as propostas para melhorias da gestão municipal de Saúde e acabaram trocando leves farpas um contra o outro. O vice-prefeito perguntou ao tucano sobre o que prevê o plano de governo de Miriam Lacerda nesse setor e Diogo voltou a falar que a Saúde no município está abandonada.

No contexto

Escute o debate completo entre os candidatos a vice-prefeito

Debate/ Rádio Liberdade – Candidatos priorizam segurança e Jorge Gomes alfineta Diogo Cantarelli

“A atual gestão se sustenta nas parcerias com o governo estadual, mas sabemos que não há um atendimento básico de qualidade. O que identificamos é que a Saúde de Caruaru foi considerada a 6ª pior segundo o Ministério da Saúde e que o Ministério Público identificou 61 irregularidades em Caruaru. Eu acredito que o vice-prefeito, que é médico e chegou a secretário de saúde, lá no fundo deve se sentir constrangido ao tentar defender a Saúde, já que o prefeito puxou para si a responsabilidade sobre a gestão da saúde e não conseguiu contornar a crise nesse setor. Mas nós vamos investir na atenção básica e reativar projetos que foram desativados pelo prefeito”, respondeu Diogo.

Para Jorge, o tucano não conseguiu apresentar propostas consistentes e tenta desqualificar as ações da atual gestão. “Não se pode tratar a Saúde como um ranking, se ficamos na 6ª pior colocação foi porque havia um reflexo da época da gestão passada, quando a administração não assinou o Pacto pela Saúde. É preciso ressaltar que Diogo não apresentou sequer uma proposta concreta para a área de Saúde e tenta colocar a cidade para baixo. Em nossa gestão, conseguimos, através do Pacto pela Saúde, possibilitar a recuperação de policlínicas, a instalação da UPA Estadual e os projetos de construção do Hospital Mestre Vitalino e do Hospital da Mulher”, avaliou o vice-prefeito. De acordo com Diogo, no entanto, a atual gestão deixou apenas 17 PSFs em funcionamento, quando deveria haver 42 unidades funcionando com médicos. Ele também afirmou que a última gestão de Tony Gel conseguiu implantar três hospitais municipais.

Ainda assim, Jorge foi categórico sobre em suas críticas à oposição. “Os três hospitais citados pelo candidato não ofereceram condições adequadas para funcionamento e atendimento à população”, reforçou. O socialista disse também que a proposta da oposição para distribuição de medicamentos em domicílios não é consistente. “Eu considero curioso também que a oposição tem insistido na proposta de entrega de medicamentos controlados, mas para que a população possa ter acesso a remédios controlados, é preciso haver o acompanhamento de uma equipe médica. Eles passam a impressão de que todos os medicamentos não são distribuídos, mas isso não é verdade, pois para haver distribuição de remédios controlados é necessária a prescrição médica, mas há a distribuição regular de medicamentos para Hipertensão e Diabete”, completou.

 


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro