26 de agosto de 2013 às 07h55min - Por Mário Flávio
Jajá disse que se a emenda for mantida, o projeto pode ser retirado

Jajá disse que se a emenda for mantida, o projeto pode ser retirado

Marcelo Gomes usou o Regimento Interno para justificar a emenda ao projeto

Marcelo Gomes usou o Regimento Interno para justificar a emenda ao projeto

A Comissão de Legislação e Redação da Câmara de Caruaru concedeu parecer favorável ao projeto de Lei que cria o Dia Municipal da Luta pela Educação. Autor do documento, o vereador Jajá não gostou do parecer, o problema é uma emenda proposta pela Comissão, que muda a data de 31 de janeiro para o dia 16 de julho. O vereador Marcelo Gomes (PSB) é o presidente da Comissão e explicou os motivos do emenda.

“A Comissão entendeu por criar essa emenda e modificou a data para 16 de julho, dia em que foi estabelecido o piso nacional da categoria. Entendemos que é uma data significativa e histórica que marca a luta dos profissionais de educação e todas as pessoas que lutam para melhorar a educação no país. Vamos deixar para o plenário da Casa decidir sobre esse assunto, já que o mesmo é soberano”, disse.

Quando questionado sobre a opinião dos professores, que pediram o dia 31 de janeiro, data em que foi votado o polêmico PCCDR da categoria, Marcelo Gomes usou a justificativa do Regimento Interno da Câmara. “É uma prerrogativa dos vereadores e das Comissões propor emendas e o plenário vai decidir sobre isso, mas entendemos que o dia 16 de julho é mais significativo”, expôs.

Autor da propositada o vereador Jajá (PPS) se irritou com a emenda articulou com a bancada de oposição, para que fosse feiro um pedido de vistas ao projeto, que deve ser votado na semana que vem. No entanto, Jajá não poupou críticas a Comissão. “Eu sequer fui consultado sobre essa emenda. Diante disso eu pergunto e a vontade dos professores?”, disse. O vereador Jajá ameaçou retirar o projeto, caso a emenda seja mantida.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro