15 de outubro de 2013 às 18h25min - Por Mário Flávio

A violência no Estado motivou debate na Assembleia, nesta terça (15). A deputada Terezinha Nunes (PSDB) lamentou três assassinatos ocorridos nos últimos quatro dias que, segundo ela, deixaram a população pernambucana assustada. A parlamentar referiu-se à morte do filho do ex-deputado estadual e atual secretário de Governo de Olinda, Luciano Moura. Lenin Linhares Moura, de 15 anos, foi assassinado a tiros na última sexta (11), em Olinda, quando se dirigia à casa da namorada.

Em Caruaru, no Agreste, o médico João Batista Bezerra Lacerda, 46 anos, estava no Centro da cidade quando foi assaltado, no último domingo (13), com um golpe de faca no tórax. Ele ainda foi socorrido, mas não resistiu ao ferimento. E, na última segunda (14), o promotor Thiago Faria Soares foi atingido por quatro disparos de uma arma calibre 12 quando trafegava pela PE-300, em Itaíba, também no Agreste.

Terezinha Nunes acredita que os bandidos deixaram de temer a Polícia e a Justiça. Na opinião da parlamentar, causa comoção que 19 promotores estaduais vivam com escolta policial, sob ameaça de morte. Em aparte, Antônio Moraes, também do PSDB, registrou mais um assassinato no Estado, ocorrido nessa terça, em Carpina, na Mata Norte. Moraes disse que Flávio Pinheiro, filho do ex-vereador de Carpina Epitácio Pinheiro, foi assassinado em praça pública.

Daniel Coelho (PSDB) chamou a atenção para o sistema prisional. Segundo ele, em locais que comportam cem detentos, existem mais de mil, e os índices de reincidência são de quase 90%. A deputada Raquel Lyra, do PSB, saiu em defesa do Governo. Ela também lamentou os crimes ocorridos no Estado. No entanto, assegurou que é muito sério o trabalho conjunto realizado pelo Governo, Poder Judiciário e Ministério Público, entre outros, que se reúnem toda semana para tratar de segurança pública. Raquel Lyra ainda frisou a necessidade do Código Penal Brasileiro, de 1940, passar por reformas.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro