Banco Central mantém taxa de juros em 13,75% pela sexta vez consecutiva

Lucas Medeiros - 04.05.2023 às 15:15h
(Imagem: Reprodução/ Internet)

Na primeira reunião após a divulgação do arcabouço fiscal pelo governo, o Banco Central manteve a taxa de juros Selic em 13,75%.

No comunicado da decisão, os integrantes do Conselho de Polícia Monetária (Copom) ainda não deram sinais de que irão reduzir os juros na próxima reunião, em junho, e disseram mais uma vez que não existe “relação mecânica” entre a aprovação do texto pelo Congresso e o relaxamento da política monetária.

A Selic em 13,75% é o maior patamar de juros desde novembro de 2016, quando a taxa estava em 14% ao ano. Foi a sexta manutenção seguida nesta patamar.

Os integrantes do Copom fizeram três referências ao arcabouço fiscal. Por um lado, disseram que o arcabouço reduz as incertezas, mas, como ele ainda não foi votado no Congresso, ainda não se sabe qual será o seu arcabouço final. E voltou a dizer que não existe “relação mecânica” entre a aprovação do texto e a queda dos juros.

A decisão ocorre em meio a repetidas críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e integrantes do governo ao efeito dos juros sobre a atividade econômica. A pressão também já partiu do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, (PSD) que chegou a afirmar que o cenário econômico atual seria favorável à redução da taxa básica.

O atual presidente do BC, Roberto Campos Neto, tem mandato até 2024 e foi indicado pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).