27 de outubro de 2015 às 11h47min - Por Mário Flávio

Não foi tema das questões do ENEM. Mas a riqueza teórica e os resultados empíricos mostram que as ideias liberais deveriam está mais presente na educação de jovens.
Um Estado que sirva à sociedade e não o contrário, as liberdades individuais acima das coletivas, uma economia competitiva e livre que gera prosperidade e riqueza. Essa é a estrutura básica do pensamento liberal. E que pode contribuir para acabar com os tempos sombrios da nossa politica e economia.

Uma sociedade livre e baseada no mercado tende a prosperidade. Porém não se trata de uma sociedade perfeita, essa é uma busca do pensamento divergente ao liberal. Uma sociedade próspera é aquela cujos indivíduos e as instituições sociais conseguem melhores resultados de bem-estar e progresso sem centralização de poder e controle social. Um governo, e principalmente um Estado forte não são capazes de gerar tal desenvolvimento. Não são os políticos e seus governos que levam uma sociedade de uma situação miserável ao progresso. 

É exatamente o contrário. A cada grau de liberdade a sociedade espontaneamente se desenvolve. É na economia que a liberdade ganha força e gera progresso. Analisemos nossa região. Uma natureza árida, sem nenhum recurso natural de grande importância durante os ciclos econômicos dos pais. Que em pouco mais de 150 anos se torna uma região rica, próspera, com uma população diversificada e que contribuiu para o crescimento de tantas outras regiões. Facilmente esse resultado é atribuído a poucos homens, a partidos políticos e gestões governamentais. Mas não, não é!

Nosso desenvolvimento está estruturado em indivíduos que entregaram trabalho e valor, em uma economia de iniciativas e de mercado. Foi o empreendedorismo e a integração cultural de vários que por aqui passaram que geraram o progresso. Mas a propaganda eleitoral apagou essa ordem espontânea da história. Assim como um mandacaru, que cria espinhos e resiste às hostilidades da natureza árida do agreste, o pensamento liberal surge fazendo frente aos slogans mais populistas que dominam e encobrem a espontaneidade de ações individuais.

Esse pensamento liberal vem sem nomes tradicionais, sem coletivos, apenas com uma diversidade e riqueza de intelectualidade e empreendedorismo. Equilibrando o discurso politico, ideológico e cultural. Pensamento este estruturado nas principais e vitais características da liberdade, a tolerância e confiança na razão. “A humanidade precisa, antes de mais nada, se libertar da submissão e slogans absurdos e voltar a confiar na sensatez da razão”(Ludwig von Mises).

*Pedro Neves  é Coordenador do Grupo de estudos Libertários Mandacaru


Comentários



...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro