5 de janeiro de 2021 às 09h18min - Por Mário Flávio
Deputado Arthur Lira (PP-AL) durante entrevista ao Fernando Rodrigues no Poder360 Entrevita, gravado no estúdio do Poder360 em Brasília.S érgio Lima/Poder360 15-12-2020

Do Poder 360

O deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara, começa nesta 3ª feira (5.jan.2021) uma série de reuniões com governadores da região Norte em busca de apoio na eleição da Casa.

Os 2 primeiros governadores com os quais eles se encontrará são de partidos que estão no bloco de Baleia Rossi (MDB-SP), seu adversário na disputa pela presidência da Câmara.

Às 10h Lira se reúne com Waldez Góes (PDT), governador do Amapá, em Macapá. Depois, vai a Belém (PA) conversar com Helder Barbalho (MDB), às 16h.

Ele também deverá ter contato com deputados dos respectivos Estados. Governadores são procurados por candidatos a presidente da Câmara porque têm influência sobre as bancadas estaduais. Também costumam ser poderosos dentro de seus próprios partidos.

Na 4ª feira (6.jan.2021), Arthur Lira irá a Boa Vista (RR) e Manaus (AM). Na 5ª (7.jan.2021), Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO). Também deverá se encontrar com os governadores e deputados dos Estados. Os mandatários desses Estados são:

  • Roraima – Antonio Denarium (sem partido);
  • Amazonas – Wilson Lima (PSC);
  • Acre – Gladson Cameli (PP);
  • Rondônia – Marcos Rocha (sem partido).

Lira está em campanha há meses e, hoje, é o candidato mais forte à presidência da Casa. É o favorito de Jair Bolsonaro para o cargo.

Baleia Rossi está em início de campanha. Ele também deverá viajar aos Estados antes da eleição, mas até a conclusão deste texto não havia um calendário estipulado. Na 2ª feira (4.jan.2021) Baleia recebeu apoio do PT depois de uma votação acirrada na bancada da sigla.

A eleição da Câmara será em 1º de fevereiro. Quem vencer ficará à frente da Casa por 2 anos.

O processo eleitoral é acompanhado de perto pelo Palácio do Planalto. É do interesse do governo ter um aliado como presidente da Câmara porque quem ocupa o cargo define quais projetos os deputados analisarão.

Se Jair Bolsonaro quiser afrouxar as leis sobre armas, por exemplo, a proposta só sai do papel se os presidentes da Câmara e do Senado colocarem em votação.

O governo foca na Casa Baixa porque teve diversos atritos com Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Casa. Baleia é o candidato de Maia.

Davi Alcolumbre (DEM-RJ), presidente do Senado, causou problemas menores ao Palácio do Planalto.

Se os 513 deputados votarem, serão necessários 257 votos para se eleger presidente da Câmara. No Senado, são necessários 41 dos 81, se todos votarem.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro