4 de setembro de 2013 às 18h24min - Por Mário Flávio

O presidente da Assembleia, deputado Guilherme Uchoa (PDT), anunciou, nesta quarta (04), a retirada da ação judicial que desautorizava a vinculação da imagem e do nome dele ao caso da guarda provisória de uma criança, em veículos de comunicação locais. Uchoa informou que foi surpreendido com reportagens sobre o caso num momento em que acompanha a esposa em tratamento médico em São Paulo. O deputado afirmou que a mulher se encontra na UTI após ter feito cirurgia para retirada de um tumor cerebral, pela segunda vez.

Ele ressaltou que teve a imagem gravemente ferida, em especial por noticiário policial de televisão. O presidente lembrou que o programa chegou a mostrar mais de 30 fotos de várias épocas de sua vida e fez associações do seu nome com um fato de que não tem conhecimento. Uchoa revelou que, mesmo sendo juiz aposentado, não conhece nenhum dos envolvidos com o processo de adoção e nem praticou ato que o relacione direta ou indiretamente ao caso. O parlamentar foi orientado por seu advogado a entrar com uma ação judicial visando à proteção da sua imagem, já que não há prova de participação no fato.

O deputado relatou que desistiu da iniciativa, para que a atitude não fosse confundida com censura aos direitos dos profissionais ou interferência na liberdade de imprensa. Ele reiterou que sempre acreditou no papel da imprensa em favor da verdade dos fatos.

Os líderes do Governo e da Oposição, Waldemar Borges, do PSB, e Daniel Coelho, do PSDB, e o segundo vice-presidente da Casa, André Campos, do PT, enalteceram a atitude de Guilherme Uchoa, salientando que ele sempre agiu em favor das liberdades democráticas.


Comentários


...

Mário Flávio

Jornalista & Blogueiro