Retorno do PT aos braços do PSB não sairia barato, por Inaldo Sampaio

Humberto Costa no Senado

O PT pernambucano está clareando aos poucos sua posição política em relação a 2018. Aliança com o PTB está descartada pelo fato de o senador Armando Monteiro ter votado favoravelmente à reforma trabalhista, que a CUT condena, e também pelo fato de estar aliado, hoje, de dois aliados do governo Temer: Mendonça Filho e Bruno Araújo.

Restariam portando duas alternativas: lançar candidato próprio ao governo estadual, que seria a vereadora Marília Arraes, ou voltar aos braços do PSB para apoiar a reeleição do governador Paulo Câmara. A candidatura de Marília tem viabilidade política e eleitoral. Casando o 13 dela com o 13 de Lula, que está disparado em Pernambuco como candidato a presidente, poderia ser a surpresa da eleição.

Mas ela enfrenta a má vontade do senador Humberto Costa, que estaria interessado na volta do PT à Frente Popular para tentar garantir sua reeleição ao Senado. Havendo esse retorno, no entanto, que seria o desejo do ex-presidente, ele não sairá barato para nenhuma das partes. O PT terá que se explicar aos eleitores porque chamava o PSB de “golpista”, e o PSB teria também que dar explicações por ter-se aliado a um partido com o qual rompeu politicamente em 2013.

Jornalista e blogueiro.