Partidos seguem se posicionando sobre segundo turno; maioria vai ficar neutra

Nesta quarta-feira (10) mais partidos se posicionam sobre apoio de segundo turno das eleições, disputado entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).
O Democratas divulgou por meio de nota que o partido não vai declarar apoio a nenhum candidato no segundo turno. O comunicado afirma que os integrantes da legenda terão liberdade para apoiar quem quiserem. O presidente da legenda, Antônio Carlos Magalhães Neto, se manifestou a favor de Bolsonaro.

O Podemos também declarou em nota divulgada nesta quarta que o partido vai permanecer neutro no segundo turno. A sigla liberou a militância para apoiar, individualmente, qualquer um dos candidatos.

O presidente do PPS, Roberto Freire, anunciou que o partido fará oposição aos dois governos e que considera que os dois projetos de governo ‘flertam com ditaduras’.

O PDT, partido de Ciro Gomes, derrotado no primeiro turno, divulgou nota afirmando que dará “apoio critico” a Fernando Haddad.

Outro partido que liberou a militância e lideranças a votarem em qualquer um dos candidatos é o PR, que oficialmente decidiu não declarar apoio nem a Bolsonaro nem a Haddad no segundo turno. O líder do partido, deputado José Rocha (BA), ressaltou que a legenda se colocou numa posição de liberar todos os seus representantes por ter parlamentares que apoiam ambos os presidenciáveis.

O Solidariedade também declarou neutralidade. A sigla liberou os diretórios e correligionários a se posicionarem “de acordo com a realidade local dos estados” e orientou apoio somente a quem “respeitar a Constituição vigente” e “manter o compromisso com a democracia”. O único partido que ainda não se manifestou nacionalmente foi o MDB, apesar de alguns diretórios já terem anunciado apoio a Bolsonaro, caso do MDB gaúcho.

Jornalista e blogueiro.