Campanha do desarmamento será lançada nessa segunda

A partir de amanhã o Agreste de Pernambuco entra mais uma vez na rota do desarmamento. A campanha será lançada no Fórum de Caruaru e até o dia 22 desse mês, a sala da Defensoria Pública ficará a disposição das pessoas que desejam entregar armas de fogo voluntariamente. A Campanha será feita pela Polícia Federal em parceria com a SDS, Defensoria Pública e Poder Judiciário. É mais uma ação capitaneada pelo Pacto pela Vida para reduzir os índices de violência no interior de Pernambuco.

Movimento é intenso na feira da sulanca

Como já era previsto é grande o movimento no Parque 18 de Maio. O ritmo é frenético, são carros, compradores e lojas abrindo as portas. Para muitos sulanqueiros, a feira que estava prevista para começar amanhã deve ser a melhor do ano. São mais de 20 mil feirantes que irão hoje e amanhã ter o seu 13° salário. A economia do Nordeste será movimentada nesses dois dias, afinal estarão em Caruaru compradores de todos os Estados para revender as peças nos seus locais de origem.

Segundo a prefeitura de Caruaru, as feiras de dezembro foram antecipadas para a segunda devido ao volume de negócios. A mudança temporária passou a valer a partir da terceira semana de novembro e encerrará na última de dezembro.

O trânsito já é intenso no Parque 18 de maio

Reclamação sobre atendimento no Cartório Eleitoral

Por volta das 14h a fila ainda era grande

Como informamos anteriormente o Cartório Eleitoral abriu nesse domingo. No entanto, algumas pessoas procuraram o blog para reclamar sobre o atendimento. Segundo eleitores que foram fazer o recadastramento, a unidade abriu às 13h e só atendeu as pessoas que tinham agendado com antecedência pela internet. Só que não foi informado que existiria esse critério para o atendimento. A foto mostra que por volta de 14h ainda existia uma pequena fila no Cartório Eleitoral.

 

Coluna do domingo: A pesquisa para esfriar o fogo amigo

O jornalista Inaldo Sampaio apresentou no sábado o resultado de uma pesquisa que avaliou positivamente o governo Zé Queiroz. Segundo o jornalista “a pesquisa foi feita pelo Instituto Cipec, de responsabilidade do argentino Diego Brandy, que dá assessoria para o PSB desde a primeira campanha de Eduardo Campos e acaba de constatar uma reviravolta no quadro político de Caruaru”. Ainda de acordo com Inaldo, a pesquisa foi realizada na primeira semana de dezembro com 400 questionários. À pergunta sobre se o eleitor aprova ou desaprova a administração municipal, 52% disseram que sim, ante 31% que responderam negativamente. O restante não soube ou não quis responder.

Algumas questões devem ser observadas com a divugação desses números. A primeira é que os números positivos aparecem após uma semana de intenso bombardeio da mídia com relação às decalrações do vice-governador. João Lyra afirmou com veemência que todas as pesquisas feitas mostravam que Zé Queiroz tinha problemas de avaliação. Com esse novo resultado, a intenção é que o fogo amigo esfrie e mostre que o quadro de dificuldade começa a ser revertido.

Outra questão a ser levada em conta é que se o resultado foi levado à imprensa, tem o aval do governador Eduardo Campos. O socialista tem vindo várias vezes a Capital do Agreste e mostra alinhamento e afinidade, seja com o prefeito ou com o deputado federal Wolney Queiroz, filho de Zé. Fica claro que apesar de todos os problemas, Eduardo só não apoia o nome de Queiroz se a rejeição for muito alta.

Os governistas comemoraram a divulgação da pesquisa, que chega para dar um novo fôlego aos que defendem a reeleição e uma ducha de água fria, para os que apostam numa candidatura diferente. O governador evita falar em eleição, mas faz monitoramento constante por meio de pesquisas, assim ele vai traçar um paralelo para que seja dado o destino da Frente Popular em Caruaru.

FOGO AMIGO – O maior problema do prefeito Zé Queiroz está na sua base. A última reunião da Câmara Municipal mostrou isso. As palavras mais usadas pelos aliados foram: demagogia e hipocrisia. E o projeto que gerou toda a polêmica foi de autoria do Dr. Demóstenes, que também é da base do governo.

SEM SINTONIA – A exposição dos vereadores quando usam à Tribuna mostra que praticamente não existe conversa para evitar certos vexames. Os debates acalorados mostram que falta sintonia entre oa edis da base. Caso houvesse, não teríamos tantos choques de opiniões entre aliados.

RELAÇÕES INSTITUCIONAIS – Diante de tantos desencontros entre os vereadores da base fica a pergunta: qual o papel da secretaria de Relações Institucionais com a Câmara?  O vice-prefeito Jorge Gomes e Eduardo Guerra não conseguem evitar o desgaste entre os aliados. Desde que Douglas Cintra deixou a pasta, que a situação ficou delicada.

CONFRA –  Ainda não foi confirmada a data para a confraternização entre o prefeito e os vereadores. A expectativa é que nesse encontro aconteça a reaproximação entre o Executivo e alguns vereadores, entre eles o presidente da Câmara. Desde dezembro do ano passado, que Lícius Cavalcanti não vai ao Palácio Jayme Nejaim.

FOGO AMIGO NA OPOSIÇÃO – Não é só o prefeito Zé Queiroz que enfrenta problemas com o fogo amigo. O grupo liderado pelo ex-prefeito Tony Gel tem uma questão delicada para resolver com o PSDB. Diogo Cantarelli bateu o pé e disse que é candidato a prefeito no ano que vem. Lá se vão quase cinco minutos no guia eleitoral.

APOIO – Diogo Cantarelli quer o apoio de Dr. Demóstenes no ano que vem. Mesmo o médico sendo filiado ao PSD, ele disse que devido a insatisfação de Demóstenes com o grupo governista, vai tentar trazê-lo para o ninho dos tucanos. Situação difícil, já que o presidente do PSD em Caruaru, Adolfo José, deve sentar com Demóstenes nos próximos dias.

PMDB – A novela sobre a situação do PMDB local deve ter mais capítulos nos próximos dias. Rivaldo Soares afirma que conseguiu na justiça algumas filiações. Já o presidente da legenda em Caruaru, Adjar Soares, diz que não foi notificado e segue tranquilo com relação ao partido em Caruaru.

Livro revela fraudes nas privatizações quando FHC era presidente

Fonte: Jornal do Brasil

O livro A Privataria Tucana, do jornalista Amaury Ribeiro Jr, anuncia e promete, com documentos, comprovar pagamentos de propinas durante o processo de privatizações no Brasil, num esquema de lavagem de dinheiro com conexões em paraísos fiscais que, de acordo o autor, une membros do PSDB, como o ex-ministro da Saúde e ex-governador paulista José Serra, ao banqueiro Daniel Dantas.

As denúncias chegaram às bancas neste fim de semana. É tema de capa da revista Carta Capital. Em entrevista a Terra Magazine, Ribeiro Jr afirma ter rastreado o dinheiro. ‘Esses tucanos deram uma sofisticação na lavagem de dinheiro. Eram banqueiros, ligados ao PSDB’, acusa. ‘Quem estava conduzindo os consórcios das privatizações eram homens da confiança do Serra’, acrescenta.

O livro denuncia o que, segundo o autor, foi um esquema de desvios de recursos das privatizações ocorridas durante o governo FHC. A obra recém-lançada divulga documentos em que, informa o jornalista Amaury, é comprovada a ocorrência de lavagem de dinheiro e pagamento de propina, todos recolhidos em fontes públicas, entre elas, os arquivos da CPI do Banestado.

Serra personagem

Um dos principais personagens é o tucano José Serra, a quem o jornalista responsabiliza pela operação do esquema e acusa de ter espionado o colega de partido Aécio Neves. Terra Magazine fez contato com a assessoria de Serra na tarde desta sexta-feira (9) para ouvir o ex-governador de São Paulo a respeito. Edição traz documentos que comprovariam denúncias contra tucanos. Durante a corrida presidencial de 2010, Amaury foi acusado de participar de um grupo cujo objetivo era quebrar o sigilo fiscal e bancário de políticos tucanos. Por isso, ele foi indiciado pela Polícia Federal.

FHC ignora

‘Não tô nem sabendo’. Essa foi a resposta do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso ao ser perguntado por Terra Magazine sobre o livro A Privataria Tucana, de autoria do jornalista Amaury Ribeiro Jr. Na tarde de sexta-feira (9), o ex-presidente compareceu a um debate sobre o seu novo livro, A soma e o resto: um olhar sobre a vida aos 80 anos, em São Paulo. Cercado por seguranças, não quis falar mais sobre o esquema relatado por Amaury.

Já no debate, uma sabatina da Folha/UOL, a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, perguntou ao ex-presidente sobre o livro de Amaury Ribeiro Jr. FHC afirmou que o autor ‘está sendo investigado’ e saiu em defesa do ex-diretor do Banco do Brasil Ricardo Sérgio, também citado pelo jornalista como participante do esquema. ‘Pelo que eu saiba, Ricardo Sérgio não fez nada de errado’, declarou o ex-presidente.

Intimidação

O editor Luiz Fernando Emediato, da Geração Editorial, sentiu-se intimidado ao ser chamado para “uma conversa” com o ex-governador José Serra, que tomou conhecimento do iminente lançamento do livro A privataria tucana, de Amaury Ribeiro. Emediato contou à coluna que ofereceu seu cartão de visitas ao emissário tucano, sugerindo que, se Serra quisesse falar com ele, que o procurasse na sede da editora.

 

Autor promete comprovar pagamentos de propinas durante o processo de privatizações no Brasil

 

Zé Ailton desafia a base do governo e manda recado direto para Rogério Meneses

O ex-líder do governo disse que existia demagogia e hipocrisia no voto de alguns vereadores

O clima entre os vereadores da base do governo é cada vez mais delicado. A votação do projeto que obrigava a eleição pelo voto para escolher gestores de escolas rendeu a semana inteira. Após o apelo do autor do projeto, vereador Dr. Demóstenes e mensagens de apoio dos parlamentares que votaram a favor, Zé Ailton usou duramente à Tribuna. Ele disse que havia demagogia e mandou um recado curto e grosso para o petista Rogério Meneses. Segundo Zé Ailton, todos os vereadores da base brigaram para indicar gestores e por isso, não poderiam mudar de posição. Escute parte do discurso de Zé Ailton em que ele fez um desafio aos 12 vereadores da base do governo.

 

Opinião: “Cai, cai, Ministro”. Por Diego Cintra

Na terra de Sócrates os ventos andam agitados. O motivo da ventania é a situação econômica do país, que acumula um déficit de mais de 13% do seu PIB desestabilizando a outrora tão próspera zona do euro.  Mas não é só no país dos filósofos que a situação anda preocupante. Que o digam Espanha e Itália. Enquanto a primeira luta pra reduzir seu alto déficit interno e tenta afastar uma imediata perspectiva de recessão, a segunda acaba de trocar a liderança política de seu país, tanto por motivos econômicos quanto ético-políticos .

Silvio Berlusconi, magnata, político e “bon vivant” (não necessariamente nessa ordem), renunciou ao comando político da Itália após se mostrar incompetente para enfrentar, com a necessária destreza técnica exigida, a urgente situação econômica. A situação da Itália merece nossa atenção não só por se tratar de uma das potências econômicas mundiais como também por nos permitir fazer um paralelo com outra situação que vivemos aqui em terra brasilis. Do lado de cá do Atlântico, no maior país tropical desse planeta, o que se vê é uma onda de denúncias que vai aos poucos varrendo toda a cúpula da administração federal numa vergonhosa e humilhante situação política.

Ministros após ministros vão caindo, tal como peças de dominó enfileiradas, por situações nada éticas na qual foram flagrados pelas competentes instituições de fiscalização da república por uma revista. Enquanto do lado de lá, o “Sir.” Berlusconi dá lugar a um tecnocrata que chega pra colocar ordem na casa, do lado de cá o que se vê o preço pago pelo loteamento de cargos segundo interesses meramente políticos. Vendo por outro ângulo, podemos dizer que, numa situação tardia, a Itália socorre-se aos técnicos; numa situação anunciada o Brasil insiste em nomeações convenientes. O erro está claro.

Se importamos tantas instituições do berço de Roma aprendamos também com seus erros. Nomeações políticas, quando feitas para satisfazer jogos de Estado e pagar dívidas de interesse, somente servem para travar o timão que dirige a nação. A falta de competência técnica no quadro da administração pública traz incontáveis prejuízos para a sociedade. Não se pode justificar uma indicação política meramente por base no histórico de um partido ou de um ícone. O ex-ministro Lupi, do trabalho, chegou mesmo a afirmar quando esteve no Senado que “o histórico político do PDT o autorizava a permanecer no cargo”. Não senhor ministro, não é o histórico de seu partido, de sua igreja ou de seu time de futebol que o autoriza a permanecer no cargo, é sua COMPETÊNCIA e ÉTICA para tanto.

É preciso acordar e perceber que a máquina pública (de qualquer esfera) não pode ser tratada como a casa de um “Padrinho”, que dá cargo pra quem “merece” e não pra quem tem competência. Cuidemos do nosso Brasil.

Diego Cintra é Advogado e especialista em Direito Público e leciona da Fafica.

Diogo confirma que PSDB pode ter candidatura própria em Caruaru

Se depender do vereador Diogo Cantarelli e do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, os tucanos terão candidatura própria em Caruaru, no ano que vem. Hoje em entrevista ao radialista Antônio Silva, na Rádio Liberdade FM, o tucano afirmou com veemência que já está praticamente definido que ele será candidato a prefeito em 2012. Quando indagado sobre a possibilidade de apoiar Miriam Lacerda, o vereador não titubeou. “Tenho muito respeito por Miriam Lacerda e Tony Gel, fui da base dele nos meus primeiros anos como vereador, mas a intenção do partido é ter candidatura própria, a populacão sente necessidade de uma alternativa diferente e é isso que vamos levar aos caruaruenses. Mas ainda não houve nenhuma conversa com o grupo liderado por Tony Gel”, disse o tucano. Na última quinta-feira houve uma confraternização dos partidos que estão na base da oposição e Diogo não foi convidado.

Outra possibilidade abordada na entrevista foi uma possível aliança com o atual presidente da Câmara, Lícius Cavalcanti. Cantarelli garantiu que o entendimento entre ambos existe e que o próprio Lícius o incentiva na empreitada de ser candidato a prefeito. “Já conversamos muito sobre isso e existe a possibilidade de uma união, quem sabe?”, disse. No mês passado, a dupla andou fazendo umas viagens ao Recife e ambos conheceram as lideranças do PSDB e PCdoB. A grande questão é: quem cederia para que o outro encabeçasse a chapa?

Cartório Eleitoral será aberto nesse domingo

Mais de 140 mil eleitores já se cadastraram. Imagem: Paulo Roberto/BMF

Uma boa notícia para as pessoas que ainda não fizeram o recadastramento biométrico. O Cartório Eleitoral vai funcionar normalmente nesse domingo. A meta do TRE é atender a pelo menos duas mil pessoas, já que muitas irão aproveitar para fazer o procedimento e não ter problemas no trabalho.  O número de eleitores recadastrados já ultrapassou a casa de 140 mil, mas ao fim da ação será bem menor que os mais de 200 mil inscritos nas três zonas eleitorais da cidade. A previsão é que estejam aptos para votar no ano que vem mais de 170 mil pessoas, com isso, o sonho para muitos de ter o Segundo Turno na cidade, vai por água abaixo. Isso significa que mais uma vez teremos a eleição polarizada nos dois tradicionais grupos. Nesse contexto, fica difícil para as candidaturas nânicas, mas uma coisa é certa, Diogo Cantarelli, Lícius Cavalcanti e até Marcelo Rodrigues terão muito poder de barganha para desistir da candidatura.

Estudante de jornalismo apresenta livro com relatos da ditadura em Caruaru

Histórias de pessoas que viveram de perto a ditadura militar em Caruaru serão abordadas no livro-reportagem “Relatos da Ditadura em Caruaru”. Histórias que os livros não contam”. De autoria da estudante de jornalismo Tâmara Pinheiro, a obra é fruto do Trabalho de Conclusão de Curso da futura jornalista. A obra é dividida em três capítulos e narra os faltos baseados na vida de três figuras que viram de perto várias situações do Regime Militar: Severino Quirino, Edson Siqueira e Assis Claudino. São 68 páginas com relatos emocionantes. Apesar de ser um TCC, a autora tem a intenção de lançar o livro. A banca com a defesa do TCC será realizada na próxima sexta-feira, a partir das 20h na Faculdade do Vale do Ipojuca e é aberta ao público. É mais uma contribuição que o curso de jornalismo da Favip concede ao interior de Pernambuco. O livro tem a diagramação de Johnny Pequeno e fotos de Leonardo Lima e Lylian Nascimento, além de um rico acervo de documentos.

 

A capa do livro chama atenção pela qualidade na diagramação