Zé Ailton desafia a base do governo e manda recado direto para Rogério Meneses

O ex-líder do governo disse que existia demagogia e hipocrisia no voto de alguns vereadores

O clima entre os vereadores da base do governo é cada vez mais delicado. A votação do projeto que obrigava a eleição pelo voto para escolher gestores de escolas rendeu a semana inteira. Após o apelo do autor do projeto, vereador Dr. Demóstenes e mensagens de apoio dos parlamentares que votaram a favor, Zé Ailton usou duramente à Tribuna. Ele disse que havia demagogia e mandou um recado curto e grosso para o petista Rogério Meneses. Segundo Zé Ailton, todos os vereadores da base brigaram para indicar gestores e por isso, não poderiam mudar de posição. Escute parte do discurso de Zé Ailton em que ele fez um desafio aos 12 vereadores da base do governo.

 

Opinião: “Cai, cai, Ministro”. Por Diego Cintra

Na terra de Sócrates os ventos andam agitados. O motivo da ventania é a situação econômica do país, que acumula um déficit de mais de 13% do seu PIB desestabilizando a outrora tão próspera zona do euro.  Mas não é só no país dos filósofos que a situação anda preocupante. Que o digam Espanha e Itália. Enquanto a primeira luta pra reduzir seu alto déficit interno e tenta afastar uma imediata perspectiva de recessão, a segunda acaba de trocar a liderança política de seu país, tanto por motivos econômicos quanto ético-políticos .

Silvio Berlusconi, magnata, político e “bon vivant” (não necessariamente nessa ordem), renunciou ao comando político da Itália após se mostrar incompetente para enfrentar, com a necessária destreza técnica exigida, a urgente situação econômica. A situação da Itália merece nossa atenção não só por se tratar de uma das potências econômicas mundiais como também por nos permitir fazer um paralelo com outra situação que vivemos aqui em terra brasilis. Do lado de cá do Atlântico, no maior país tropical desse planeta, o que se vê é uma onda de denúncias que vai aos poucos varrendo toda a cúpula da administração federal numa vergonhosa e humilhante situação política.

Ministros após ministros vão caindo, tal como peças de dominó enfileiradas, por situações nada éticas na qual foram flagrados pelas competentes instituições de fiscalização da república por uma revista. Enquanto do lado de lá, o “Sir.” Berlusconi dá lugar a um tecnocrata que chega pra colocar ordem na casa, do lado de cá o que se vê o preço pago pelo loteamento de cargos segundo interesses meramente políticos. Vendo por outro ângulo, podemos dizer que, numa situação tardia, a Itália socorre-se aos técnicos; numa situação anunciada o Brasil insiste em nomeações convenientes. O erro está claro.

Se importamos tantas instituições do berço de Roma aprendamos também com seus erros. Nomeações políticas, quando feitas para satisfazer jogos de Estado e pagar dívidas de interesse, somente servem para travar o timão que dirige a nação. A falta de competência técnica no quadro da administração pública traz incontáveis prejuízos para a sociedade. Não se pode justificar uma indicação política meramente por base no histórico de um partido ou de um ícone. O ex-ministro Lupi, do trabalho, chegou mesmo a afirmar quando esteve no Senado que “o histórico político do PDT o autorizava a permanecer no cargo”. Não senhor ministro, não é o histórico de seu partido, de sua igreja ou de seu time de futebol que o autoriza a permanecer no cargo, é sua COMPETÊNCIA e ÉTICA para tanto.

É preciso acordar e perceber que a máquina pública (de qualquer esfera) não pode ser tratada como a casa de um “Padrinho”, que dá cargo pra quem “merece” e não pra quem tem competência. Cuidemos do nosso Brasil.

Diego Cintra é Advogado e especialista em Direito Público e leciona da Fafica.

Diogo confirma que PSDB pode ter candidatura própria em Caruaru

Se depender do vereador Diogo Cantarelli e do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, os tucanos terão candidatura própria em Caruaru, no ano que vem. Hoje em entrevista ao radialista Antônio Silva, na Rádio Liberdade FM, o tucano afirmou com veemência que já está praticamente definido que ele será candidato a prefeito em 2012. Quando indagado sobre a possibilidade de apoiar Miriam Lacerda, o vereador não titubeou. “Tenho muito respeito por Miriam Lacerda e Tony Gel, fui da base dele nos meus primeiros anos como vereador, mas a intenção do partido é ter candidatura própria, a populacão sente necessidade de uma alternativa diferente e é isso que vamos levar aos caruaruenses. Mas ainda não houve nenhuma conversa com o grupo liderado por Tony Gel”, disse o tucano. Na última quinta-feira houve uma confraternização dos partidos que estão na base da oposição e Diogo não foi convidado.

Outra possibilidade abordada na entrevista foi uma possível aliança com o atual presidente da Câmara, Lícius Cavalcanti. Cantarelli garantiu que o entendimento entre ambos existe e que o próprio Lícius o incentiva na empreitada de ser candidato a prefeito. “Já conversamos muito sobre isso e existe a possibilidade de uma união, quem sabe?”, disse. No mês passado, a dupla andou fazendo umas viagens ao Recife e ambos conheceram as lideranças do PSDB e PCdoB. A grande questão é: quem cederia para que o outro encabeçasse a chapa?

Cartório Eleitoral será aberto nesse domingo

Mais de 140 mil eleitores já se cadastraram. Imagem: Paulo Roberto/BMF

Uma boa notícia para as pessoas que ainda não fizeram o recadastramento biométrico. O Cartório Eleitoral vai funcionar normalmente nesse domingo. A meta do TRE é atender a pelo menos duas mil pessoas, já que muitas irão aproveitar para fazer o procedimento e não ter problemas no trabalho.  O número de eleitores recadastrados já ultrapassou a casa de 140 mil, mas ao fim da ação será bem menor que os mais de 200 mil inscritos nas três zonas eleitorais da cidade. A previsão é que estejam aptos para votar no ano que vem mais de 170 mil pessoas, com isso, o sonho para muitos de ter o Segundo Turno na cidade, vai por água abaixo. Isso significa que mais uma vez teremos a eleição polarizada nos dois tradicionais grupos. Nesse contexto, fica difícil para as candidaturas nânicas, mas uma coisa é certa, Diogo Cantarelli, Lícius Cavalcanti e até Marcelo Rodrigues terão muito poder de barganha para desistir da candidatura.

Estudante de jornalismo apresenta livro com relatos da ditadura em Caruaru

Histórias de pessoas que viveram de perto a ditadura militar em Caruaru serão abordadas no livro-reportagem “Relatos da Ditadura em Caruaru”. Histórias que os livros não contam”. De autoria da estudante de jornalismo Tâmara Pinheiro, a obra é fruto do Trabalho de Conclusão de Curso da futura jornalista. A obra é dividida em três capítulos e narra os faltos baseados na vida de três figuras que viram de perto várias situações do Regime Militar: Severino Quirino, Edson Siqueira e Assis Claudino. São 68 páginas com relatos emocionantes. Apesar de ser um TCC, a autora tem a intenção de lançar o livro. A banca com a defesa do TCC será realizada na próxima sexta-feira, a partir das 20h na Faculdade do Vale do Ipojuca e é aberta ao público. É mais uma contribuição que o curso de jornalismo da Favip concede ao interior de Pernambuco. O livro tem a diagramação de Johnny Pequeno e fotos de Leonardo Lima e Lylian Nascimento, além de um rico acervo de documentos.

 

A capa do livro chama atenção pela qualidade na diagramação

 

Denúncia: Água no Distrito de Peladas só pagando

Os moradores do Distrito de Peladas, zona rural de Caruaru, próximo a São Caetano procuraram o blog para fazer uma denúncia. Segundo eles, água por lá é artigo de luxo e só é liberada quando uma taxa é paga a um servidor da prefeitura. “É revoltante, essa pessoa ganha salário da prefeitura e cobra dos moradores para soltar a água. Além disso, ainda depende muito do bom humor dele”, disse uma moradora da comunidade que não quis ser identificada para não correr o risco de não ter água de jeito nenhum. Ela mora faz pouco tempo na Vila de Peladas, mas garante que essa situação é antiga, já que tem parentes que residem faz muito tempo no local. Outros moradores do local chegaram a dizer que o  mais revoltante é que para as chácaras o abastecimento é constante.

Ficha Limpa vai para o Google Maps

Os políticos envolvidos em casos de corrupção não terão vida fácil nas próximas campanhas eleitorais. Além da Lei da Ficha Limpa, aumenta a cada dia o número de internautas que alimenta com informações o Mapa da Corrupção no Google Maps.

Criado há seis meses com apenas 20 casos, o aplicativo da internet conta hoje com mais de 200 registros de desvios de conduta da vida pública brasileira, alguns, inclusive, com tradução para o inglês.

No balanço digital da corrupção de norte ao sul do País, dividido por municípios, os principais partidos brasileiros têm cadeira cativa no rastro das fraudes cometidas por seus filiados. Estão todos lá: PT, PSDB, PMDB, DEM, PR e PSB.

E novos episódios se eternizam na internet. “A população está ampliando o site. Os casos mais importantes de corrupção da semana são incluídos. Os acessos já passaram de 100 mil”, conta a editora de imagens Raquel Diniz, idealizadora do projeto(Adriana Nicácio).Continue lendo na ISTOÉ.

Casos de dengue sofrem redução em Caruaru. Os resultados serão apresentados na segunda

Na próxima segunda-feira (12), o Departamento de Vetores realizará coletiva de imprensa para apresentar os números de casos de dengue esse ano em Caruaru. Os dados mostraram a queda nos casos em relação ao mesmo período do ano passado, além de apresentar o planejamento para 2012.

O Ministério da Saúde publicou recentemente, o “Mapa da Dengue no País”, que compõe o LIRAa 2011 ( Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti), uma espécie de fotografia da situação da dengue no Brasil. Dos 561 municípios pesquisados, 48 estão em situação de risco, 236 em alerta e 277 apresentam índice satisfatório. Em Pernambuco, os municípios de Afogados da Ingazeira, Araripina, Arcoverde, Camaragibe, Floresta, Garanhuns e Santa Cruz do Capibaribe apresentaram índice de contaminação superior a 4. Caruaru encerra o ano, pela segunda vez consecutiva, fora da faixa de risco de surto de dengue.

Diogo Cantarelli participa de entrevista na Liberdade FM

O vereador Diogo Cantarelli concede a partir de meio dia uma entrevista no Programa Microfone Aberto, que tem o comando do radialista Antônio Silva. A pauta deve ser baseada na atuação do tucano na Câmara e na provável candidatura dele à prefeitura de Caruaru. O resultado de uma pesquisa divulgada pelo jornalista Inaldo Sampaio também deve ser tema da entrevista. Segundo o jornalista, o prefeito Zé Queiroz recuperou a rejeição e já tem mais de 50% de aprovação.  O programa com o secretário da cidade, como é conhecido Antônio Silva, começa 12h e fica no ar até 12h45 na Liberdade FM 94,7. Para quem gosta de política, uma ótima opção.

Opinião – “Relacionamento: a linha tênue que separa assessores de imprensa e jornalistas de redação”

Por Jorge Luiz

Graça Caldas, doutora em Ciências da Comunicação pela USP, afirma que “assessores de imprensa e jornalistas de redação são todos jornalistas”. Isso nos faz refletir sobre o verdadeiro papel do colega de redação e do assessor de imprensa – dentro da ética profissional -, além de contribuir para o rompimento de preconceitos, levando-nos a nos situarmos de igual para igual como profissionais da comunicação. Até  porque a maioria passou por redações ou assessorias, e, o mais importante, se profissionalizou através de uma graduação em Comunicação Social.

O fato é que, por todos estarem inseridos dentro de um conjunto teórico e prático das ciências da comunicação e pautados na ética jornalística, devem seguir preceitos de transparência, objetividade, neutralidade, imparcialidade, e principalmente, divulgação de informações gratuitas de assuntos de valor e interesse público. Dentro dessa perspectiva, o assessor de imprensa e os jornalistas de redação devem comungar dos mesmos princípios que regem o jornalismo realmente útil à sociedade.

O norte-americano Ivy Lee, precursor do setor de assessoria de imprensa, já enfatizava que o trabalho de relações públicas ou assessoria não caracterizava um serviço secreto, e sim, um “trabalho feito às claras” que pretendia divulgar tão somente notícias. Na declaração de princípios que ele criou, ficava nítido que a ação não era publicitária. “Isso não é agenciamento de anúncios. Se acharem que o nosso assunto ficaria melhor na seção comercial, não o usem. Nosso assunto é exato”.

Dentro desse contexto, o assessor de imprensa deve ter em mente que o relacionamento correto com quem está do outro lado do “balcão” deve se basear em um conjunto de regras ético-morais em que sobressai o pressuposto da confiabilidade. O assessor deve comprometer-se a fornecer informações – apenas informações – e colocar-se à disposição da redação, sempre que solicitado, para respostas honestas e verdadeiras.

Muitas vezes, os assessores de imprensa esquecem que também são jornalistas e assumem um papel equivocado de esconder informações e, em outros momentos, quase exigem do jornalista a divulgação de assuntos de interesse apenas institucional. É em casos como esses que o relacionamento começa a ficar nebuloso, a complicar-se, provocando dificuldades crescentes para os dois lados. O ideal é divulgar tão somente a informação com valor jornalístico. Se isso resultar em promoção da fonte das notícias será mera conseqüência.

É lógico que existe um natural interesse de persuasão por parte do assessor de imprensa ao divulgar a sua informação, assim como há uma ânsia do jornalista de redação em ter acesso aos dados de interesse público. O que não pode ocorrer é que as funções distintas das duas partes instalem um conflito de interesses a ponto de levar o relacionamento a um baixo nível de profissionalismo e ao comprometimento da ética. Um respeito aos limites é essencial para o desenvolvimento de um relacionamento pautado na credibilidade e nas ações de cada um.

Mas não há que se exigir o cumprimento das regras ético-morais apenas para os assessores de imprensa. Os jornalistas de redação também devem ser honestos e verdadeiros com eles. Buscar os dois lados de uma história, confrontá-las e determinar a veracidade do fato é obrigatoriedade na prática do bom jornalismo. Querer criar factóides também não compõe a ética jornalística, já que toda apuração deve ser rigorosa. Sonegar o foco de uma pauta pode até ser um direito a que a redação se atribua, mas não é eticamente justificável. Clareza e objetividade sempre ajudam. Querer colocar aspas em algo que já vem pré-fabricado da redação não atende ao princípio da veracidade. O ideal do jornalista de redação é ser transparente no relacionamento com a assessoria de imprensa e nunca omitir informações.

Não podemos negar que existe uma perspectiva de conflito entre assessores de imprensa e jornalistas de redação, mas isso pode ser minimizado se ambas as parte observarem as regras de convivência e princípios que já enfocamos. Mas nada substitui o bom-senso. Nem tão pouco faz sentido partir de posições preconceituosas, de pretensa superioridade.  Afinal, somos todos jornalistas.

Jorge Luiz é jornalista e atualmente desempenha funções de assessoria de imprensa.