Leonardo Chaves diz que obra do Loteamento Juiz Demóstenes Veras não tem qualidade

O vereador Leonardo Chaves (PSD) utilizou a tribuna durante discurso na Câmara Municipal de Caruaru para criticar severamente a qualidade das obras do Loteamento Juiz Demóstenes Veras em Caruaru. Segundo o vereador, a obra não ofereceria condições de moradia de qualidade, não teria fiscalização e ainda chegou a dizer que a obra poderia ter sido superfaturada. No entanto, o vereador da base do governo não responsabilizou a prefeitura por essas acusações, mas disparou principalmente contra a empreiteira que realizou o servido e contra donos de loteamentos em Caruaru.

“É um absurdo como as obras de moradia são planejadas em Caruaru. As obras do Loteamento Juiz Demóstenes Veras têm uma estrutura de má qualidade, com um péssimo calçamento, que está afundando, e o material utilizado para construir as casas é ruim. Os carros chegam a atolar no local. Mas, isso não é culpa do prefeito, afinal essa foi uma obra do governo federal, que deveria reforçar o desenvolvimento do município. A responsabilidade sobre essa obra é da empreiteira que a realizou, que deve ter superfaturado o projeto. Isso porque o problema de qualidade de obras em loteamentos de Caruaru é antigo, não é problema do gestor atual ou do anterior, mas é responsabilidade dos donos de loteamentos da cidade, que há muito tempo insistem na prática de não planejar seus empreendimentos de forma adequada em Caruaru”, disparou.

OBRA

De acordo com dados da prefeitura, a entrega das 500 casas populares do loteamento Juiz Demóstenes Veras foi a maior da história de Caruaru. Entre os beneficiados pelo sorteio dessas habitações estão as famílias vítimas da cheia que atingiu Caruaru em 2004. A Caixa, inclusive, havia liberado em 2006 recursos para a construção de 150 unidades, mas até 2009 só 13% da obra tinha sido concluída.

 

João Lyra: “Ainda posso aparecer em um dos guias e se necessário vou à justiça”

O vice-governador João Lyra (PDT) usou o mistério para falar sobre a participação dele no guia eleitoral de Rádio e TV. Após a conversa que ele teve com Lícius Cavalcanti (PCdoB), Adolfo José (PSD) e Rubens Júnior (PTN), nessa terça (09), ele deixou a entender que no momento adequado vai dar o ar da graça no guia.

“Vou falar no momento certo. Pode ser no guia ou nas emissoras de rádio, blogs e jornais”, disse. O problema dele aparecer em outro guia, que não seja o de Zé Queiroz (PDT), é a questão do partido, já que ele é filiado ao PDT e teria problemas de autorização da sigla. No entanto, o vice deu a entender que, se necessário, fará um esforço para que essa questão se possível. “Ainda não decidi, mas posso usar até a justiça, se for necessário”, pondera.

Análise

A candidatura que João poderá dar suporte é a de Fábio José (PSOL), já que ele garantiu que não subiria no palanque de Miriam Lacerda (DEM). Aliados históricos de João, como é o caso de Zé Carlos Menezes e João de Salú, já entraram na campanha de Fábio e as fileiras podem aumentar nos próximos dias. Qual o tamanho desse estrago na campanha de Queiroz? Só o tempo e a história irão dizer.

João falou sobre sua participação no guia eleitoral

Bruno Lambreta apresenta voto de pesar pela morte de torcedor símbolo do Sport

O vereador Bruno Lambreta (PSD) apresentou voto de pesar pelo falecimento de Rogério, um dos torcedores símbolos do Sport em Caruaru. O rubro-negro morreu vítima de infarte e ficou conhecido pela maneira única de dançar, sempre vestido com uma camisa do leão. O blog também apresenta os sentimentos a família desse torcedor, que sempre animava as noites do São João de Caruaru.

A maneira de dançar e a camisa do Sport eram características de Rogério

Agenda – Miriam Lacerda visita zona rural e grava para guia eleitoral nesta quarta (08)

Depois de gravar para o guia eleitoral durante a manhã desta quarta-feira (08), a candidata à prefeitura de Caruaru, Miriam Lacerda (DEM) concentrará a tarde em visitas na Zona Rural, especificamente em Peladas e Sítio Cipó. À noite, ela se reunirá com moradores do bairro Vassoural.

9h – Gravação para o guia eleitoral

14h – Porta a porta em Peladas

18h – Reunião com moradores no Sítio Cipó

20h30 – Reunião com moradores no bairro Vassoural

Agenda – Fábio José visita Sismuc e discute desenvolvimento econômico com empresários de confecções

O candidato da coligação Caruaru Pode Mais, Fábio José (PSOL) define nesta quarta-feira (09), junto à diretoria do Sismuc quando promoverá um encontro com servidores municipais para apresentar plano de governo. Além disso, à tarde ele também vai tratar debater sobre o desenvolvimento econômico da cidade e vai expor propostas de geração de emprego, de renda e medidas para atrair mais investimentos para a cidade com empresários e funcionários e empresários da empresa ACR Confecções.

9h30 – Reunião com a diretoria do Sismuc- Sindicato dos Servidores Municipais de Caruaru – para definição de data de reunião a ser agendada com servidores municipais

10h30- Visitas aos Bairros Boa Vista I e II

15h  – Visita à ACR Confecções (SAGA), onde haverá reunião com empresários e funcionários da empresa.

Agenda – Zé Queiroz se reúne com diretoria do Sindloja nesta quarta (08)

O candidato à reeleição Zé Queiroz (PDT) tem uma agenda política cheia durante a tarde nesta quarta-feira (08). Ele primeiramente se reunirá com a diretoria do Sindicato dos Lojistas de Caruaru (Sinsloja) e depois receberá apoio do Diretório Acadêmico de Direito em seu escritório político. Ele ainda programou visita a confecções no Caiucá, seguido de um buzinaço no Centro da cidade e participação no lançamento de comitês de candidatos à noite.

Segue agenda do candidato nesta quarta (08/08)

Manhã– Agenda administrativa.

12h30– Almoço com diretoria do Sindloja

Local: Sede do Sindloja

14h- Recebe apoio do Diretório Acadêmico de Direito

Local: Escritório político

15h- Visita a confecções.

Local: Caiucá

19h- Buzinaço

Local: Concentração Praça São Roque (Centro)

19h30- Planária popular

Local: Pau Santo

20h- Lançamento da candidatura de Mano do Som (PRTB)

Local: Antiga sede da Fábrica Caroá

20h30- Inauguração do comitê de Val das Rendeiras (PRTB)

Local: Ao lado do posto Petroturbo (Rendeiras)

Coluna do Mário – Articulação esvazia reunião de João Lyra com presidentes de partidos

Após um intenso bombardeio de críticas a gestão de Zé Queiroz (PDT) e a publicação de uma carta em que afirma não subir no palanque do prefeito de Caruaru, o vice-governador João Lyra (PDT), recebeu o troco do Palácio Jaime Nejaym. Numa grande articulação, o núcleo duro do governo pedetista esvaziou a reunião de Lyra com os presidentes de partidos, que estava marcada para acontecer no escritório político do vice, nessa terça (07), na Capital do Agreste.

Dos 16 presidentes de partidos convidados, apenas três compareceram ao encontro. O presidente do PTC, Johnny Edilson, não foi encontrado pela assessoria do vice. Antes do início da reunião, o único que confirmou que não iria ao local foi o presidente do PR, Lenilson Tôrres, que alegou questões de saúde. Os demais confirmaram a ida a reunião, fato que não aconteceu com a maioria.

Os únicos presidentes presentes ao encontro foram: Rubens Júnior (PTN); Adolfo José (PSD) e Lícius Cavalcanti (PCdoB). A não ida dos demais presidentes é um recado do núcleo duro do governo Queiroz, que publicamente insiste na tese do apoio de João, mas que nos bastidores há muito tempo não trabalha com tal hipótese.

João disse que devido ao momento não se abalou com a ausência dos presidentes e que entende as razões de cada um. Ele disse ainda que ouviu muitas conversas sobre o interesse do Palácio Jaime Nejaym em esvaziar a reunião, mas que não tinha a informação concreta sobre o assunto. No entanto, voltou a alfinetar indiretamente Zé Queiroz. “Essa reunião foi para conversar sobre o momento e explicar a minha decisão. Sou uma pessoa que gosta de dialogar e por isso estou ouvindo a muita gente”, disse.

A coluna ouviu o deputado federal Wolney Queiroz (PDT). Ele não afirmou e nem confirmou que houve o boicote por parte do governo. “Não posso responder por cada presidente de partido. Não existe nenhum menino nessa eleição e eles respondem pelas legendas”, minimizou. No entanto, desde o início da tarde de hoje que o comentário no meio político era a ausência dos presidentes dos partidos ao encontro agendado com o vice.

Tal situação evidencia ainda mais o distanciamento entre João e Zé e reforça também que, embora o vice-governador tenha como peso de articulação o governo estadual, a força de articulação da esfera municipal, a favor de Zé Queiroz, consegue equilibrar o embate entre os dois pedistas, lembrando ainda que neste jogo de xadrez, o prefeito se confia em 17 partidos ou peças de tabuleiro que compõem sua coligação, restando a João o apoio de parte do PCdoB, PTN e PT.

Zé e João em campos opostos de diálogo, em uma mesma base de governo

Senado aprova diploma obrigatório para jornalistas

Da Agência Senado

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (7), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 33/2009, conhecida como PEC dos Jornalistas. A proposta, aprovada em segundo turno por 60 votos a 4, torna obrigatório o diploma de curso superior de Comunicação Social, habilitação jornalismo, para o exercício da profissão de jornalista. A matéria agora segue para exame da Câmara dos Deputados.

Apresentada pelo senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), a PEC dos Jornalistas acrescenta novo artigo à Constituição, o 220-A, estabelecendo que o exercício da profissão de jornalista é “privativo do portador de diploma de curso superior de Comunicação Social, com habilitação em jornalismo, expedido por curso reconhecido pelo Ministério da Educação”. Pelo texto, é mantida a tradicional figura do colaborador, sem vínculo empregatício, e são validados os registros obtidos por profissionais sem diploma, no período anterior à mudança na Constituição prevista pela PEC.

A proposta tenta neutralizar decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de junho de 2009 que revogou a exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista. De 1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011, foram concedidos 11.877 registros, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do STF.

Debate – A aprovação da PEC, no entanto, não veio sem polêmica. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) lembrou que o STF julgou inconstitucional a exigência do diploma. Para o senador, a decisão do STF mostra que a atividade do jornalismo é estreitamente vinculada à liberdade de expressão e deve ser limitada apenas em casos excepcionais. Na visão de Aloysio Nunes, a exigência pode ser uma forma de limitar a liberdade de expressão. O parlamentar disse que o interesse na exigência do diploma vem dos donos de faculdades que oferecem o curso de jornalismo. Ele também criticou o corporativismo, que estaria por trás da defesa do diploma. “Em nome da liberdade de expressão e da atividade jornalística, que comporta várias formações profissionais, sou contra essa medida”, disse o senador.

Defesa do diploma – Ao defenderem a proposta, as senadoras Ana Amélia (PP-RS) e Lúcia Vânia (PSDB-GO) se disseram honradas por serem formadas em jornalismo. Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a aprovação da PEC significa garantir maior qualidade para o jornalismo brasileiro. O senador Paulo Davim (PV-RN) destacou o papel da imprensa na consolidação da democracia, enquanto Magno Malta (PR-ES) disse que o diploma significa a premiação do esforço do estudo. Wellington Dias (PT-PI) lembrou que a proposta não veta a possibilidade de outros profissionais se manifestarem pela imprensa e disse que valorizar a liberdade de expressão começa por valorizar a profissão.

Já o senador Antonio Carlos Valadares, autor da proposta, afirmou que uma profissão não pode ficar às margens da lei. A falta do diploma, acrescentou, só é boa para os grandes conglomerados de comunicação, que poderiam pagar salários menores para profissionais sem formação. “Dificilmente um jornalista me pede a aprovação dessa proposta, pois sei das pressões que eles sofrem”, disse o autor.
Valadares contou que foi motivado a apresentar a proposta pela própria Constituição, que prevê a regulamentação das profissões pelo Legislativo. Segundo o senador, se o diploma fosse retirado, a profissão dos jornalistas poderia sofrer uma discriminação. “A profissão de jornalista exige um estudo científico que é produzido na universidade. Não é justo que um jornalista seja substituído em sua empresa por alguém que não tenha sua formação”, declarou o senador.

Ivana Paschoal é remanejada na secretaria de Educação

O secretário de Educação de Caruaru, Tony Galvão, comunicou aos servidores da pasta uma importante mudança no organograma do órgão. A contestada Ivana Paschoal deixa a diretoria de Educação e assume uma nova função na assessoria de planejamento.

O novo diretor de educação é o professor Welson Costa, que atuava na gerência de projetos da secretaria. Ele é graduado em Ciências Sociais pela Fafica. A justificativa da secretaria para a relocação de Ivana é o conhecimento da mesma da educação municipal.

No entanto, muitas reclamações sobre a maneira que ela conduzia a diretoria sempre foram registradas nos veículos de Comunicação. Um professor que pediu para não ser identificado disse que o clima é de satisfação com a mudança da gestora.

Zé Queiroz recebe apoio do MTST

O candidato da Coligação Caruaru Avança com o Brasil, Zé Queiroz (PDT) recebeu nesta terça-feira (07) o apoio do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). No início da tarde, no escritório político, o candidato teve uma reunião com Orlando Francisco da Silva, Edielma Bandeira da Silva e Maria do Socorro Félix, representantes do movimento que declararam o voto no 12.

“Temos dialogado com todos os movimentos sociais e queremos a participação deles no debate sobre o futuro de Caruaru. É uma parcela importante e bastante significativa da sociedade, que certamente vai contribuir muito para a construção de políticas públicas mais afirmativas”, disse Zé Queiroz.

“Vim aqui para dizer que estamos com Queiroz, porque ele está fazendo um grande governo. Caruaru precisa continuar avançando”, afirmou Orlando.