Igual a Caruaru, oposição teve emendas derrotadas na Assembleia

Durante a Reunião Plenária que aprovou o orçamento de 2019 para o governo de Pernambuco, a deputada Priscila Krause (DEM) relembrou que seis emendas apresentadas por ela foram rejeitadas durante a tramitação da LOA. A parlamentar destacou que uma das sugestões previa o redirecionamento de R$ 9 milhões de gastos da Empresa de Turismo de Pernambuco Governador Eduardo Campos (Empetur) para aquisição de medicamentos especiais.

“Uma auditoria especial do Tribunal de Contas do Estado verificou que, de 231 medicamentos que deveriam ser fornecidos pelo Estado 62 deles estiveram em falta nas farmácias por pelo menos um ano corrido. Além de uma dívida de R$ 40 milhões aos fornecedores desses insumos”, apontou. “Não se trata apenas de remédios para doenças raras, mas sim de insulina, analgésicos e antibióticos entre outros”, ressaltou.

A parlamentar considera que o nível de gastos com propaganda da Empetur está em desacordo com a Lei das Estatais. A norma determina que, no máximo, 2% da receita bruta possa ser gasto com esse tipo de despesa. “O orçamento para publicidade da Empetur subiu de R$ 10 milhões em 2004 para 27 milhões  em 2019, numa empresa que tem R$ 90 milhões de receita”, observou.

Priscila Krause destacou, ainda, que outras alterações que sugeriu transfeririam recursos de propaganda institucional e de incentivo ao turismo para destinar à construção de abrigos para mulheres vítimas da violência e pagamento de diárias de policiais em operações especiais. “O abrigo para mulheres vítimas da violência só tem R$ 10 mil previstos no Orçamento, valor que eu gostaria de aumentar para R$ 500 mil”, registrou a parlamentar.

Jornalista e blogueiro.