Enem – Edição deste ano do exame tem o menor percentual de ausentes desde 2009

Desde 2009, quando passou a ter dois dias de aplicação de provas, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) registrou, pela primeira vez, o menor percentual de ausentes: 24,9%, o que corresponde a 1.374.430 participantes, do total de 5.513.749 inscrições confirmadas. Os índices foram registrados no primeiro dia de prova da edição de 2018 do exame, neste domingo, 4 de novembro. Como a abstenção é um dado que considera os dois dias de aplicação, esse número pode diminuir, mas não aumentar.

As provas foram de linguagens, códigos e suas tecnologias; e de ciências humanas e suas tecnologias; além da redação, que teve como tema “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. Outro número positivo foi o alto índice de acesso ao cartão de confirmação de inscrição, que superou 89%. Juntamente a uma série de medidas adotadas pelo MEC e pelo Inep, o acesso já indicava esse comportamento dos participantes.

A aplicação foi tranquila em todo o Brasil, sem ocorrências graves. Foram registrados 87 casos de interrupção de energia elétrica, mas em apenas dois locais de prova a aplicação precisou ser interrompida. Os casos são de Porto Nacional (TO) e Franca (SP), locais onde os participantes terão direito à reaplicação do primeiro dia, em 11 de dezembro, e deverão comparecer às provas do próximo domingo normalmente. Ao todo, 71 participantes foram eliminados (67 por descumprimento de regras gerais do edital, dois por problemas após revista no detector de metal e dois por uso de ponto eletrônico).

Entre 2013 e 2017, as ausências levaram aos cofres públicos um prejuízo de quase R$ 1 bilhão. Dos mais de 2 milhões de ausentes no Enem 2017, 84% estavam isentos e apenas 4.345 (0,2%) conseguiram justificar a ausência e garantir a isenção também em 2018.

Jornalista e blogueiro.