Em Taquaritinga, vereadores faltam e posse do novo presidente é adiada

Do PEMAIS

Estava marcada para a tarde desta segunda-feira (01) na Câmara de vereadores de Taquaritinga do Norte, a posse da nova mesa diretora para o biênio 2019/2020, porém não foi possível a realização pela falta de quórum.

Do grupo de situação, compareceram à sessão apenas a vereadora Rogéria de Zeca e o vereador Eraldo de Pedra Preta, além do presidente eleito para o cargo, vereador Professor Jurandi.

No grupo de oposição as ausências foram dos vereadores Cláudio Paiva (Claudinho de Tonton), e Hélio Júnior (Hélio de Novo). A cerimônia de posse foi reagendada para a próxima quinta-feira dia (03), às 14h.

Tony e Tonynho prestigiam posse de Paulo Câmara

O deputado Estadual Tony Gel (MDB), e o empresário Tonynho Rodrigues (SD), estiveram presentes na posse do governador reeleito Paulo Câmara (PSB), à frente do Estado, em cerimônia que foi realizada na tarde desta terça-feira (1º), na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Gel é um dos principais apoiadores do governador em Caruaru e fez questão de ir a posse do socialista.

A íntegra do discurso de Paulo Câmara para o segundo mandato

“Senhor Presidente,
Senhoras Deputadas,
Senhores Deputados,
Minhas Senhoras e Meus Senhores.
 
Retorno a esta Casa, honrado pelos votos de milhões de pernambucanas e pernambucanos do Litoral, da Mata, do Agreste e do Sertão, depois de uma campanha eleitoral marcada pelo debate sobre o presente e o futuro do nosso Estado. E retorno com a satisfação de dizer que a aprovacão do nosso projeto político, que tem feito Pernambuco avançar nos últimos 12 anos, foi manifestada democraticamente pela maioria da população, em todas as doze regiões do nosso Estado, mais uma vez. Essa manifestação nos obriga a persistir nos avanços sociais que, com a unidade do povo, temos implantado em Pernambuco.
 
Há exatos quatro anos, estive no antigo plenário desta casa, onde me comprometi a trabalhar muito por Pernambuco, num grande  desafio de substituir o inesquecível ex-governador Eduardo Campos, hoje representado aqui por Renata e filhos, a quem rendo minhas homenagens. Eduardo Campos me faz lembrar a figura do nosso líder politico Miguel Arraes, um dos criadores da Frente Popular de Pernambuco, que até hoje aglutina lideranças políticas na defesa e na luta pela melhoria das condições de vida da população pernambucana.
 
Agradeço assim ao Senhor Presidente, que aqui nos acolhe, a vice-Governadora Luciana Santos e a mim, com respeito e consideração. Ressalto ainda que faço esse agradecimento de forma indistinta a todos os membros da Assembleia Legislativa, Poder tão necessário ao bom desempenho da administração e do vigor da democracia. Muito obrigado!
 
Os desafios do futuro serão enfrentados por caminhos abertos pelo diálogo, pela transparência, e fiscalizados pelo povo. Avançaremos juntos com os poderes legal e legitimamente constituídos: o Legislativo, o Judiciário, o Ministério Público e o Tribunal de Contas, e com toda a sociedade.
 
Agradeço também a todos que, de diversas formas, muito contribuíram para que aqui chegássemos: a vice governadora Luciana Santos; aos senadores Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa; aos nossos candidatos a deputado federal e a deputado estadual; aos partidos que integram a Frente Popular; aos militantes; aos assessores técnicos; aos prefeitos e vereadores de todos os partidos aliados; aos líderes políticos, religiosos, comunitários, aos artistas de todos os segmentos; mulheres, homens,  crianças, que nas ruas nos receberam de forma tão generosa.
 
Faço aqui também um agradecimento especial ao ex-vice-governador e agora deputado federal eleito Raul Henry, a quem muito devo por sua amizade, seu companheirismo, lealdade e capacidade de trabalho.
 
Por fim, mas não por último, agradeço à minha família, Ana Luíza, minhas filhas, Clara e Helena, meus pais, Lilian e José Waldo, meus irmãos e cunhados, meus amigos que, nas horas mais desafiadoras, me deram a força necessária para superar os obstáculos.
 
Senhor Presidente,
Senhoras Deputadas,
Senhores Deputados,
Minhas Senhoras e Meus Senhores.
 
Tenho orgulho em afirmar que Pernambuco não parou de avançar, de servir de referência na gestão pública, apesar da crise tremenda que o nosso País enfrentou e ainda enfrenta. Da qual todos aqui têm a consciência dos seus efeitos devastadores, especialmente na questão do emprego.
 
Em que pese esse cenário, o governo de Pernambuco conquistou a posição de melhor educação pública do Ensino Médio do Brasil, com a menor taxa de abandono escolar, a maior taxa de aprovação, e com a maior rede de escolas de tempo integral do País; reduzimos a mortalidade infantil ao menor nível das series históricas, a frente dos estados do Norte e do Nordeste, com uma média melhor que a brasileira.
 
Fizemos o maior investimento em recursos hídricos de todos os tempos, seja nas áreas urbanas, seja na rural. Levamos água a milhares de pernambucanos, muitos retiraram a lata d’água das suas cabeças.
 
Recuperamos equipamentos históricos do nosso patrimônio, melhoramos nossa infraestrutura, qualificamos nossa população, introduzimos elementos importantes para os avanços do desenvolvimento econômico, que ajudaram inclusive na expansão da atividade turística em Pernambuco.
 
Também não fugimos desse que é, talvez, o maior desafio do Brasil: o combate ao crime e à violência. Em Pernambuco, temos o Programa Pacto Pela Vida que teve sua efetividade restabelecida. No último mês de dezembro, senhoras e senhores, completamos 13 meses consecutivos de redução no número de homicídios. Em 2018, registramos uma queda próxima a 24% nos Crimes Violentos Letais Intencionais, os CVLIS, comparando com o mesmo período de 2017.
 
Trata-se, Senhor Presidente, do maior avanço da história do Pacto Pela Vida, superando a redução obtida em 2010, comparada com 2009, que foi de quase 14%.
 
Enfatizo no entanto, que não há o que comemorar. Enquanto uma única vida for perdida, o Governo não estará cumprindo com suas responsabilidades constitucionais. Mas o Pacto Pela Vida está no caminho certo, a sensação de segurança foi restabelecida, são 15 meses de redução de roubos e assaltos em todo o Estado, e espero que esse tema não saia mais da pauta nacional. A solução para esse desafio está no trabalho conjunto entre todos os entes da Federação.
 
Senhoras Deputadas e Senhores Deputados,
Senhoras e Senhores aqui presentes.
 
Pernambuco foi reconhecido, ainda, como o único Estado eficiente na gestão pública, fora das regiões Sul e Sudeste, de acordo com ranking nacional criado pelo jornal Folha de S.Paulo e o Instituto DataFolha. Nesse rol são destacados os estados que mais entregam Educação, Saúde, Infraestrutura e Segurança à população, com menor volume de recursos financeiros. Em resumo: Pernambuco faz mais com menos.
 
Outro ponto que vale destacar, fundamental na gestão pública, é a transparência. E o Governo de Pernambuco conquistou o reconhecimento nessa área por parte do Ministério da Transparência e da Controladoria Geral da União (CGU). Nosso Governo obteve a nota 9,4, a mais alta entre todos os Estados, incluindo o Distrito Federal, todas as capitais e todos os municípios com  mais de 50 mil habitantes.
 
Gostaria também de repetir algo fundamental, que não pode e nem deve ser esquecido: nosso modelo de gestão não é um fim em si mesmo. É um instrumento necessário para melhorar a vida das pessoas, especialmente as que mais precisam do poder público. Essa é a nossa missão maior: construir uma sociedade mais justa, com igualdade de condições, para que todos e todas tenham a oportunidade de transformar os seus sonhos em realidade.
 
Por isso, estamos formando um governo orientado pelo compromisso maior das forças progressistas do nosso Estado. Por consequência, vamos trabalhar com o olhar permanente aos que mais precisam, aos mais necessitados dos serviços públicos.  Tais serviços devem estar em constante aperfeiçoamento e sintonizados com os anseios da população.
 
Senhor Presidente,
É evidente que as questões administrativas são importantes. No entanto, elas têm tempo próprio de concepção, desenvolvimento e maturação. Porém dependem do contexto econômico, social e político para que atinjam suas metas – contexto este não só estadual, mas, no momento, notadamente nacional.
 
As próximas administrações estaduais tomam posse após uma das campanhas mais radicalizadas da história do Brasil. Milhões de ameaças foram contabilizadas nas redes sociais, apenas no segundo turno. Quase uma centena de pessoas sofreram agressões físicas. Tudo em meio a uma crise de raízes profundas, que parece deixar o País sem rumo.
 
É urgente desmontar os palanques, desarmar os espíritos, buscar o mínimo de convergências que nos permitam preservar as conquistas democráticas e avançar. O processo eleitoral que nos elegeu para o Poder Executivo e elegeu os parlamentares para o Poder Legislativo  é o mesmo que elegeu o presidente da República.
 
De caráter historicamente irredento,  Pernambuco jamais admitiu submissão a qualquer poder, mesmo os mais altos da República. A submissão, em qualquer tempo, de qualquer natureza, por qualquer motivo, é incompatível com o espírito libertário dos pernambucanos. Apoiaremos decisões que beneficiem Pernambuco e o Nordeste, a exemplo das obras complementares da Transposição das águas do Rio São Francisco e da conclusão da Ferrovia Transnordestina. Mas seremos contra, fundados em sólidos argumentos, a iniciativas que comprometam o futuro do estado e da região, como a privatização da Chesf.
 
Há quatro anos, externei preocupações que quero aqui reafirmá-las: não bastam formulações de equipes econômicas, por mais  iluminadas que sejam. A realização dos grandes objetivos de uma nação ultrapassa a vontade de um grupo de pessoas ou de um conjunto de partidos. Será sempre resultado da reflexão e da mobilização dos brasileiros, onde quer que possam fazer ouvir suas vozes.
 
Mais uma vez, o país precisa da Política com pê maiúsculo. É a urgência do diálogo. Precisamos mais do que nunca saber ouvir e saber falar, com franqueza, lealdade, sem prejulgamentos, sem discriminação e sem qualquer tipo de intolerância.
 
O amor ao Brasil não é monopólio de nenhum brasileiro, seja civil ou militar. A forma de expressar este sentimento depende de cada um. Morrer em um campo de batalha é uma forma de amar o Brasil. Ocupar as ruas em defesa da democracia também é.
 
Precisamos de paz, porém não a paz do silêncio imposto pela força. Queremos a paz viva, do debate, do contraditório, da liberdade de opinião. A paz da democracia. Precisamos de paz para trabalhar, vencer a miséria, a violência e o desemprego, para ajudar milhões de jovens a encontrar um futuro melhor e mais proveitoso.
 
Para tanto, temos que juntar os cacos espalhados à nossa frente, efeito da polarização desmedida.  Nós, os pernambucanos e os brasileiros, já provamos ter tal capacidade. Foi assim na oposição à ditadura; na promulgação da Constituição de 1988, há 30 anos; na mobilização pelas eleições diretas; na vitória contra a inflação; no combate à miséria.
 
Conquistas de todos, que hoje a todos beneficiam. É nosso dever político, cívico e moral nos mobilizarmos para que essas conquistas, entre outras, não sejam revogadas ou mitigadas por nenhuma onda de conservadorismo ou de autoritarismo.
 
Cabemos todos no Brasil multirracial, multicultural e multieconômico, que há gerações estamos construindo, desde o ano de 1500.
 
Desconhecer essa realidade é desconhecer o nosso passado, o nosso presente e comprometer o nosso futuro.
 
Repito: precisamos de paz, de democracia, de trabalho.  Estendo as minhas mãos. Tenho a convicção de que outras mãos, de pernambucanos e de brasileiros de boa vontade e de boa fé, as acolherão, pelo bem de Pernambuco e pelo bem do Brasil.
 
Muito obrigado”.

Trump elogia discurso de posse de Bolsonaro: ‘Os EUA estão com você!’

Do Portal Terra

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou o discurso do presidente do Brasil Jair Bolsonaro. Em sua conta oficial no Twitter, Trump escreveu “parabéns ao presidente Jair Bolsonaro quem acabou de fazer um grande discurso de posse – os EUA estão com você!”. A mensagem foi postada minutos após o término do discurso feito por Bolsonaro ao ser diplomado na Câmara dos Deputados.

A aproximação entre o governo de Trump e Bolsonaro tem sido costurada desde a eleição do brasileiro, no final de outubro. O presidente brasileiro deve se encontrar ainda hoje com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, encarregado de liderar a delegação americana que está em Brasília. Pompeo também irá se encontrar com o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em Brasília.

Em novembro, após a eleição de Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente, fez uma visita aos Estados Unidos na qual teve reuniões com integrantes do governo americano. A intenção das reuniões foi mostrar disposição em estreitar os laços com os americanos e as relações comerciais entre os dois países.

A eleição de Bolsonaro tem sido classificada por autoridades americanas como uma “oportunidade histórica” de aproximação entre Brasil e Estados Unidos. Bolsonaro já sinalizou com políticas de relações exteriores semelhantes às adotadas pelo governo Trump, como a mudança da embaixada de Israel para Jerusalém. No encontro com Bolsonaro, os americanos pretendem falar sobre expansão de comércio e investimentos especialmente nas áreas de tecnologia, defesa e agricultura.

Na reunião com os brasileiros hoje, Pompeo pretende discutir o “comércio predatório” da China em países da região e definir prioridades na agenda de cooperação entre EUA e Brasil para 2019. Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro fez críticas às práticas comerciais dos chineses. Pompeo também irá incluir na agenda do encontro com Bolsonaro e Ernesto Araújo questões sobre Venezuela, Nicarágua e Cuba

Autoridades americanas esperam que Bolsonaro visite os EUA para um encontro com Trump ainda no início de 2019.

Paulo Câmara e Luciana Santos são empossados na Assembleia

Blog da Folha

A cerimônia de posse do governador reeleito, Paulo Câmara (PSB) e da vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PCdoB), realizada na tarde de hoje, oficializou o início do novo mandato do chefe do executivo estadual para os próximos quatro anos. O Presidente do Legislativo, deputado Eriberto Medeiros (PP) comandou a solenidade.

O governador chegou acompanhado da primeira-dama, Ana Luiza Câmara, e da vice-governadora eleita, Luciana Santos. Lá, foram recebidos com as continências regulamentares pela guarda de honra composta por tropas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. 

Aberta ao público, a posse contou com a presença de secretários municipais e estaduais, parlamentares do Governo e da oposição, autoridades dos três poderes, além do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), que chegou acompanhado de sua esposa, Cristina Melo; e do arcebispo de Recife e Olinda, Dom Fernando Saburido. O deputado federal eleito João Campos (PSB), a ex-primeira dama de Pernambuco, Renata Campos e familiares do ex-governador Eduardo Campos também prestigiaram a cerimônia.

Em seu discurso, Eriberto Medeiros pediu união aos pernambucanos. “Não sabemos exatamente qual o cenário econômico e político que os Estados do Nordeste vão se deparar pelos próximo quatro anos. Torcermos sempre pelo melhor e que sejam respeitados os direitos sociais conquistados. Portanto, essa casa legislativa se manterá vigilante e conclama os cidadãos pernambucanos para se manterem unidos. Teremos na pessoa do governador Paulo Câmara o líder ideal para realizarmos essa caminhada juntos”, disse. 

Após a leitura do compromisso constitucional perante a Mesa Diretora, Paulo Câmara e Luciana Santos foram declarados empossados pelo presidente da Casa. Ao final do encontro, Paulo Câmara fez a tradicional revista à tropa da Polícia Militar, em frente ao prédio-sede da Alepe.

Jair Bolsonaro toma posse como presidente do Brasil

Jair Messias Bolsonaro tomou posse nesta terça-feira 1º como novo presidente do Brasil, em cerimônia que se iniciou às 15h00, com o cortejo que levará ele e o vice-presidente eleito Hamilton Mourão à solenidade no Congresso Nacional. A ascensão de Bolsonaro ao cargo ocorre sob um forte sistema de segurança – mais de 10.000 agentes, entre Forças Armadas, polícias e setor de inteligência, atuarão no evento. A expectativa é que a passagem da faixa presidencial, do ex-presidente Michel Temer (MDB) para o novo ocupante do Planalto, ocorra sob a vista de um público estimado entre 250.000 e 500.000 pessoas.

Dez chefes de Estado e de governo participam da posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, nesta terça-feira 1º. Também estão confirmados três vice-presidentes, doze chanceleres, dezoito enviados especiais e três diretores de organismos internacionais. A maioria é de representantes da América do Sul.

O novo presidente da Câmara de Riacho das Almas

Foi eleito na última noite de 2018 o novo presidente da Câmara Municipal de Riacho das Almas. Trata-se do vereador Getúlio Cardoso (Rede), que foi eleito para o biênio 2019/2020 com 6 votos a seu favor e 5 contra de Jair (PSC).

Ele dedicou a vitória ao ex-presidente da Casa, José Hipólito (PSDB), que morreu no dia 30 de dezembro em Caruaru, após dois meses internado num hospital da cidade. “Dedico essa vitória ao homem que me ensinou muita coisa e quis o destino que eu assumisse no dia que ele terminou o mandato nessa presidência. Obrigado por tudo José Hipólito e um abraço nos seus filhos e parentes”, disse na Tribuna.

A vitória de Getúlio é mais uma revés do prefeito Mota (PSB), que perdeu a eleição. Ele era da base do atual gestor e com essa vitória se credencia para disputar a prefeitura da cidade em 2020. No entanto, como ele é aliado de Dió Filho, pode ser indicado como vice na chapa.

Suplente – Com a morte de José Hipólito assume o mandato Marcelo Cardoso, primeiro suplente da coligação.

Posse da nova Mesa Diretora da Câmara será nesta quarta-feira (2)

Ato de posse para diplomar o novo presidente, vice e secretários da Câmara de Caruaru para o biênio 2019/2020 está prevista para acontecer às 10h da manhã, desta quarta-feira (02), na sede da Casa.

Na ocasião, também serão conhecidos os servidores públicos ocupantes dos cargos que compõem a estrutura administrativa da casa, como superintendente administrativo, controlador, procurador e consultor jurídico.

A eleição para escolha dos membros da Comissão Executiva do Poder Legislativo de Caruaru aconteceu no último dia 13, e reconduziu o atual presidente, o vereador Lula Tôrres para mais dois anos de gestão da Câmara.

Wilson Witzel discursa em posse como governador do Rio de Janeiro

Do G1

O ex-juiz federal Wilson José Witzel tomou posse nesta terça-feira (1) como governador do Estado do Rio de Janeiro, em cerimônia na Assembleia Legislativa (Alerj), no Centro.

O governador chegou por volta das 8h40 à Alerj, acompanhado do vice-governador, Cláudio Castro, e de familiares. Marcada para as 8h30, a cerimônia começou pouco antes das 9h.

Witzel se emocionou ao ouvir o Hino Nacional e, por volta das 9h15, fez o juramento como governador do estado. Em seguida, discursou (leia a íntegra do discurso no fim da reportagem).

Principais pontos do discurso:

• combater ao tráfico, aos homicídios, à lavagem de dinheiro e à corrupção, com a reestruturação da Polícia Civil

• criar de um conselho de segurança

• dar segurança jurídica e credibilidade para atrair investidores

• fortalecer e expandir o turismo, o “novo petróleo” do estado

• melhorar as condições de trabalho dos servidores

• racionalizar custos e obter mais recursos para os municípios

• buscar apoiar o Governo Federal no processo de mudanças de ordem tributária, previdenciária e econômica

• fortalecer a cultura “em toda sua diversidade” e a educação, que será tratada como “política pública estratégica”

• retomar crescimento econômico com geração de renda e emprego

• fomentar a produção agrícola no interior e reduzir importações

“Tomo posse hoje como governador do Estado do Rio de Janeiro, graças ao desejo de mudança da população. Meu primeiro agradecimento é ao povo (…) Nossa tarefa será racionalizar os custos e obter mais recursos para os municípios. ”

Ao falar da esposa, Helena, voltou a se emocionar e provocou lágrimas também da mulher. “Minha eterna gratidão, meu amor, pelo seu apoio incondicional, a mim e aos nossos filhos. ”

Combate ao crime e à corrupção

Witzel prometeu combater a corrupção e o narcotráfico, com reorganização da polícia e a criação de um conselho de segurança. Um dos seus objetivos será lutar contra o crime organizado e a lavagem de dinheiro que financia o crime.

“A instalação de um conselho de segurança vai aproximar as instituições, permitindo que a segurança não seja apenas um caso de polícia (…) São narcoterroristas, e como terroristas serão tratados (… ) É chegada a hora de libertar o Estado da irresponsabilidade e da corrupção, que marcaram as últimas duas décadas da política estadual. ”

“Cidadãos fluminenses, não permitirei a continuidade desse poder paralelo. ”

Disse também que vai Cabe ao estado garantir a credibilidade e segurança jurídica aos investidores, voltou a dizer que o turismo é o “novo petróleo” do Rio e mandou um recado aos secretários nomeados por ele.

“Não temos o direito de errar. Não vamos decepcionar o estado do Rio de Janeiro. ”

O governador finalizou o discurso citando Carlos Lacerda: “Como governador, deixou inegável legado de desenvolvimento ao Estado do Rio de Janeiro: ‘A impunidade gera a audácia dos maus. O futuro não é o que se teme. O futuro é o que se ousa'”.

João Doria toma posse como governador de São Paulo

Do G1

O governador eleito João Doria (PSDB) e o vice-governador eleito Rodrigo Garcia (DEM) tomaram posse dos cargos na manhã desta terça-feira (1º) na Assembleia Legislativa de São Paulo. Doria prometeu fazer um governo para o povo. “Pelo povo lutarei e pelo povo governarei em São Paulo. Devemos fazer o governo que a população deseja, o governo do povo, com os políticos e com partidos “, discursou Doria.

Em seu discurso de 25 minutos, Doria prometeu fazer um governo empreendedor. “A população quer um governo eficiente e um governo de resultados. Vamos pensar São Paulo grande.”

Doria disse que a redução da pobreza será uma das prioridades do seu governo. “O melhor programa social para o Brasil é o emprego. A política precisa trocar ideologia por trabalho.” Ao final do discurso, Doria chorou ao citar os pais Maria Sylvia e João Doria.

Em seguida, Doria foi para o Palácio dos Bandeirantes onde recebeu o cargo do até então governador Márcio França (PSB). Na Assembleia, Doria e Garcia fizeram um juramento prometendo respeitar a Constituição Federal e a do Estado. Em seguida, assinaram um termo de posse, que oficializa o início do mandato. “Prometo cumprir e fazer cumprir a Constituição Federal e a do estado de São Paulo e obedecer às leis.”

Doria disse que todo mês estará presente por 2h30 na Assembleia Legislativa para dialogar com os deputados estaduais. “Valorizar o diálogo, o contraditório e a prática democrática”, destacou Doria.

O governador disse que os eleitores estão cada vez mais atentos aos trabalhos dos palamentares e do executivo. “Temos o desafio de atender o sentimento de renovar a política que os brasileiros de São Paulo manifestaram nas eleições.”

Sobre os secretários e demais membros de sua equipe de governo, Doria afirmou: “Deixei claro ao ter um time que é uma seleção que todos ali foram selecionados e deverão ser além de honestos, altamente eficientes e criativos. E se não forem, serão cortados, simples assim”.

Doria diz que defende mudanças no PSDB. “Defendo uma reestruturação no meu partido. Nós temos que ter a coragem de mudar, de sintonizar. Transformar não significa desrespeitar a história do PSDB, sobretudo aquela escrita por Franco Montoro, Fernando Henrique Cardoso, Mario Covas, Geraldo Alckmin. Vamos ajudar o PSDB a estar sintonizado com o novo Brasil”, afirmou.

O governador prometeu apoiar o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PFL). “Nesta casa assisti por mais de uma vez o discurso de posse de Mario Covas. Mario Covas declarou: “São Paulo jamais virará as costas para o Brasil”.

“Nosso governo não virará as costas para o Brasil. E o meu partido, o PSDB, também não vai virar as costas para o Brasil. Os partidos, como os governos, precisam de novas posições, novos compromissos, novos projetos.”

“Vamos apoiar as iniciativas do presidente Bolsonaro que resultem no progresso do Brasil. Vamos apoiar a reforma da Previdência e o Pacto Federativo. Nossos parlamentares federais estão engajados na redução da maioridade penal de 18 para 16 anos e no projeto que põe fim à saidinha das prisões. Bandido tem que cumprir pena na cadeia.”

“São Paulo vai trabalhar junto com o presidente na atração de investimentos internacionais para o Brasil, oferecendo segurança jurídica, transparência e ambiente seguro para a instalação de novas fábricas, comércio e centros de tecnologia e serviços.”

Doria tem 61 anos. Ele foi eleito para governador de São Paulo no segundo turno das eleições de 2018, com mais 10,9 milhões de votos. Doria foi eleito prefeito da capital paulista no 1º turno em 2016 e tomou posse em janeiro de 2017. Mas deixou o cargo um ano e três meses depois da posse, em abril de 2018, para concorrer ao cargo de governador.

Paulistano, Doria nasceu em 16 de dezembro de 1957, filho do publicitário e ex-deputado federal João Doria e de Maria Sylvia Vieira de Morais Dias Doria. Logo após o golpe militar em 1964, seu pai, publicitário e marqueteiro político, que se elegera deputado federal teve o mandato cassado, o que fez com que a família se exilasse em Paris por 2 anos.

De volta ao Brasil, a mãe de Doria instalou uma fábrica de fraldas em Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo e Doria foi estudar na Escola Estadual Professora Marina Cintra, na rua da Consolação. Durante a campanha, em 2 de setembro, o então candidato visitou a escola. Doria foi recebido pela diretora e visitou a parte administrativa, conversou com alunos em uma sala de aula e tirou fotos com outros que estavam no horário do intervalo.

Em 1970, aos 13 anos, Doria começou a ajudar sua mãe na fábrica. Mais tarde, por meio das relações do pai, conseguiu um estágio em um departamento de Rádio, TV e Cinema de uma agência de propaganda.

Doria fez faculdade de Comunicação Social na FAAP e logo assumiu uma diretoria na antiga TV Tupi. Depois, tornou-se diretor na Rede Bandeirantes e ficou à frente da MPM, maior agência de propaganda do país na década de 80.

Hoje, Doria é casado com a artista plástica Bia Doria e tem três filhos. Ele tem dois livros lançados: “Sucesso com Estilo” e “Lições para Vencer”.

Sua grande marca está no Grupo Doria, grupo de Comunicação e Marketing composto por seis empresas: DoriaAdministração de Bens, Doria Editora, Doria Eventos, Doria Internacional, Doria Marketing & Imagem e LIDE (Grupo de Líderes Empresariais).

Foi no LIDE, que atualmente possui 1.650 empresas filiadas e que representam 52% do PIB privado brasileiro, que Doria se consolidou líder empresarial e articulador entre os empresários.

Também atuou como Publisher da Doria Editora que publica 18 revistas segmentadas voltadas para empresários e o público de classe A, entre elas: LIDE, Caviar LifeStyle, Gabriel, Meeting & Negócios, Mulheres líderes e Oscar.

Doria foi secretário Municipal de Turismo, além de presidente da PAULISTUR entre 1983 e 1986, na gestão de Mário Covas na Prefeitura de São Paulo. Posteriormente, presidiu a Embratur e o Conselho Nacional de Turismo, de 1986 a 1988.

Saúde, educação, segurança pública, corrupção e geração de empregos são, pela ordem, os os maiores problemas do estado de São Paulo, na opinião de eleitores, de acordo com pesquisa Ibope realizada em agosto, antes do primeiro turno das eleições. O desafio do governador que toma posse agora será cumprir as promessas nessas áreas.