Morre a freira mais antiga da ordem franciscana de Caruaru

Religiosas são cristãs que amam a Deus e querem dedicar toda sua vida a Ele e ao próximo. Assim foi a vida de Irmã Rosália, que faleceu, nesta segunda-feira (31), aos 102 anos. O corpo está sendo velado na Casa da Criança e o enterro ocorrerá nesta terça (1º). Irmã Rosália era considerada a freira mais antiga da ordem franciscana em Caruaru e era contemporânea de Frei Damião. A religiosa participava das missões com o frade que está em processo de beatificação. Juntos percorriam muitas cidades do Agreste e Sertão Pernambucano. Nos últimos 52 anos, ela se dedicou aos trabalhos pastorais em Caruaru e Região e residia na Casa da Criança, um dos colégios mais antigos da cidade.

Irmã Rosália nasceu no dia 02 de novembro de 1916, em Sirinhaém. Desde criança, convivia com os padres franciscanos de sua cidade natal. O terreno da casa dos pais dela era próximo ao Convento. Essa convivência chamou a atenção da jovem Josefa do Nascimento, que ficou posteriormente, conhecida como Irmã Rosália. Após a morte de sua mãe, aos 23 anos, ela ingressou na Ordem das Irmãs Franciscanas do Sagrado Coração de Jesus.

O início de sua vida religiosa foi marcado por momentos de alegrias. Por onde Irmã Rosália passava, deixava saudade e boas lembranças. Ela trabalhou por 25 anos em farmácia de manipulação dos abrigos do Rio de Janeiro, Santos Dumont em Minas; Brotas na Bahia e no Centro de Evangelização São José em Jaboatão dos Guararapes em Pernambuco.

Em 1966, a pedido pessoal de Dom Augusto, ela começou a residir em Caruaru e ajudar nos trabalhos da Diocese, em destaque, nas missões pelas cidades do interior, onde ela acompanhava Frei Damião.

Após a morte de Dom Augusto, veio morar na Casa da Criança. Nesse espaço educativo, ela se revela para o dom da música. Era uma exímia instrumentista de piano, além de possuir uma doce e suave voz. Nos últimos quinze anos, trabalhava como sacristã da casa, ajudava na rouparia e organizava os trabalhos dos refeitórios, além de fazer visitas diárias aos doentes e idosos, levando Jesus Cristo na Eucaristia. Todas as terças, realizava a celebração do Pão de Santo Antônio e distribuía os pães com pessoas carentes da comunidade.

Em 2007, Irmã Rosália recebeu das mãos do Bisco Dom Bernardino e do ex-vereador Gilberto de Dora o Título de Cidadã Caruaruense como forma de agradecimento pelos relevantes serviços sociais que a religiosa prestou à Caruaru ao longo de anos.

A Missa das Exéquias será as 09h, no dia 1° de janeiro, na Capela Nossa Senhora de Fátima. O sepultamento será no Parque dos Arcos, as 11h.

Créditos/redação: Jorge Luiz

O ano de 2018 – Raquel Lyra

A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, teve um ano de altos e baixos. A gestora iniciou uma reforma silenciosa no secretariado e praticamente termina 2018 com mudança em quase todos os quadros do primeiro escalão. A última mudança é a saída de Rubenildo Moura da pasta da educação. Ela ainda enfrenta uma oposição duríssima com o Delegado Lessa, Zé Queiroz, Tony Gel e outras lideranças locais. Além de ter problemas na Câmara Municipal, que devem culminar com a mudança da liderava do governo na Casa.

No pleito eleitoral, a situação também não foi boa. As derrotas de Armando Monteiro, Mendonça Filho e Bruno Araújo não estavam na conta da tucana, que não esperava por todo esse revés. A vitória de Armando Monteiro em Caruaru serviu de consolo, bem como os sucessos de Priscila Krause e Daniel Coelho.

Entre as ações positivas a reorganização do Monte Bom Jesus, investimentos em escolas e iluminação pública. Raquel ainda conseguiu iniciar as obras da Via Parque, que deve mudar o centro de cidade. No entanto, promessas como a criação de 8 mil vagas de creches e mudança da feira da sulanca de graça para quem não pode pagar, ainda não saíram do papel.

Ela aposta em 2019 como ano da virada para entregar obras e com isso chegar forte em 2020 para disputar a reeleição. Vários secretários e vereadores estarão indo para o front para disputar os espaços nas emissoras de rádio e acontecer o debate de ideias. Raquel também precisa se aproximar do governador Paulo Câmara, já que a distância entre ambos, acaba saindo ruim para ela.

O ano de 2018 – Tony Gel

O ex-prefeito de Caruaru mostrou mais uma vez ser uma das principais lideranças da história da Capital do Agreste. Ele foi reeleito com mais de 30 mil votos apenas em Caruaru e quase 50 mil ao todo. Articulou com o governador Paulo Câmara e conseguiu apoio em cidades do Agreste, obtendo uma votação expressiva e chegando a 9ª diplomação, um recorde na cidade, igual ao também ex-prefeito e futuro colega de Assembleia, Zé Queiroz.

Tony ainda teve indicações importantes atendidas pelo governador Paulo Câmara e segue sendo forte influenciador na cidade. Ele segue sendo sondado por Zé Queiroz para uma aliança, mas não deve topar, pelo menos por enquanto.

Os apoiadores mais próximos defendem que ele volte a disputar a eleição para prefeito em 2020, já que perdeu no segundo turno para Raquel Lyra, mas todos acreditam que com algumas obras que não foram entregues ainda, poderiam ajudar no discurso dele.

Tony pode ainda trazer o nome de Tonynho Rodrigues para a disputa e ser apenas o articulador, mas tudo vai depender também de como estarão os governos de Paulo Câmara e Raquel Lyra. Mas se tiver disposição, ele volta a disputar. A conferir.

O ano de 2018 – Zé Queiroz

O ano foi conturbado para o ex-prefeito de Caruaru. Sem mandato, Zé esperava ser confirmado pela Frente Popular como candidato ao Senado. No entanto, aos 48 do segundo tempo, teve que lançar o nome para deputado estadual. Foi eleito, mas com uma votação abaixo do esperado. Além disso, ele enfrentou problemas com o registro da candidatura junto ao TRE e depois TSE e na sequência com a prestação de contas da Campanha.

Zé obteve vitórias importantes até agora na justiça, mas aguarda o desfecho da prestação de contas. Após a eleição, mostrou que não para de pensar na eleição de 2020. Indicou ao governador Paulo Câmara o nome do vereador Alberes Lopes para ser secretário estadual e ainda corteja uma aliança com o ex-prefeito Tony Gel, para o pleito de 2020.

Na reta final de 2018 ainda ganhou uma festa surpresa com o slogan “Volta Zé”. O político ainda articula com a Câmara, mas não obteve êxito na eleição da Câmara e nem em votações recentes, mas com a possibilidade do aumento da oposição na Câmara, ele deve ser o cabeça e seguir com críticas a Raquel Lyra.

O ano de 2018 – O Partido Novo em Caruaru

O Partido Novo conseguiu façanhas importantes na eleição de 2018. Elegeu a quantidade de deputados suficientes para participar dos debates em 2020 e 2022. Além disso, elegeu Romeu Zema como o governo de Minas Gerais, um dos estados mais importantes do Brasil. Em Caruaru, o Novo foi estado com a candidatura de João Antônio a deputado federal e ele obteve mais de mil votos na cidade e cerca de 7 mil em todo estado.

Nas contas do Novo a votação foi excelente e os militantes ensaiam uma campanha de filiação em Caruaru e região Agreste. O coordenador da 4ª Ciretran Caruaru, Raffiê Dellon, namora com a legenda e pode se filiar ao partido, com isso, o novo poderia ter um candidato em potencial para prefeito. A sigla também quer eleger um ou dois vereadores e se o governo de Zema for bem, tem muita chance de chegar forte na eleição local.

Liderados por João Antônio e Pedro Neves, o Novo em Caruaru promete ter protagonismo na eleição de 2020. O tempo dirá se conseguirão, mas nos bastidores os jovens atuam bastante para cobrar postura de políticos tradicionais.

O ano de 2018 – Wolney Queiroz

O político que age de forma discreta nos bastidores mudou a estratégia com relação às redes sociais. Ele não foge dos debates e rebate críticas que considera injustas. Wolney assumiu o comando estadual do PDT e conseguiu a Pasta de Agricultura, uma das mais importantes com atuação em todo estado. Manteve o partido na base de Paulo Câmara e seguiu tecendo fortes críticas ao presidente Michel Temer e a Jair Bolsonaro, e apoiando o PT.

Mesmo com o candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, levando uma rasteira do PT e ficando isolado nacionalmente, Wolney manteve o partido na base do governo, embora oficialmente o PDT apoiasse a candidatura de Mauricio Rands ao governo.

Em Caruaru, teve uma votação baixa, mas articulou bem em outras cidades do estado e aumentou a votação em relação a 2014. Chegou ao sexta mandato com muitas críticas a prefeita Raquel Lyra e ensaia uma aproximação com o ex-prefeito Tony Gel. Ele é um dos mais entusiasmados com a possibilidade do pai dele, o deputado eleito, Zé Queiroz, voltar a disputar o mandato de prefeito em 2020.

O ano de 2018 – Lula Tôrres

O ano começou com perspectiva de dificuldades para o presidente da Câmara de Caruaru, Lula Tôrres (PSDB). Ele tinha uma reforma para entregar na Casa é devido a atrasos houve reclamação dos vereadores. Além disso, tinha que conduzir votações polêmicas na Câmara, como é o caso do empréstimo de R$ 83 milhões junto à Caixa pela prefeitura de Caruaru.

O primeiro semestre passou e veio a eleição. Lula ensaiou uma candidatura deputado estadual, mas após pedido da prefeita Raquel Lyra, desistiu da disputa a apoiou Priscila Krause. Na reta final de 2018, o vereador tinha a pretensão de disputar a reeleição de Câmara Municipal.

O desafio era ainda maior, já que alguns parlamentares tinham dificuldade em votar nele, pelo menos era o que se cogitava nos bastidores. No entanto, Lula mostrou habilidade, compôs com a oposição e pediu apoio da prefeita que caiu em campo e convenceu a maioria da base a votar nele. O resultado foi uma reeleição tranquila, com 15 votos a 8 contra Leonardo Chaves (PDT).

Lula agora vai para mais dois anos de mandato a frente da Câmara e quer modernizar a Casa com investimentos na comunicação.

O ano de 2018 – Fernando Rodolfo

A maior surpresa da eleição foi o mandato de deputado federal do jornalista Fernando Rodolfo. Ele pegou a todos de surpresa quando num telejornal ao vivo fez duras críticas ao governador Paulo Câmara e na sequência saiu da Tv Jornal Caruaru. Alegou perseguição política e o blog antecipou na época que ele estava filiado ao PHS, partido pelo qual disputou a eleição de deputado.

O blog antecipou ainda que nas pesquisas internas que ele teria cerca de 10% dos votos na cidade e que poderia surpreender. Ele não apenas teve os 10%, cerca de 28 mil votos, mas em todo estado passou de 52 mil e aparece como nova liderança política. Vai transferir o domicílio para Caruaru e não descarta a possibilidade de disputar a eleição para prefeito em 2020. Mas também pode apoiar Douglas Cintra para entrar na disputa.

Mesmo antes de começar o mandato, que inicia em 1º de fevereiro, já atua nos bastidores para conseguir emendas para Caruaru. Os prefeitos que apoiaram deputados e não obtiveram sucesso nas urnas também estão sendo visitados pelo futuro deputado. Sem dúvidas, o ano de 2018 foi muito bom para Fernando Rodolfo.

O ano de 2018 – Silvio Nascimento

Quando ninguém queria apoiar Jair Bolsonaro em Caruaru, o jornalista e publicitário Silvio Nascimento saiu em defesa do político e criou um movimento pró-Bolsonaro. Teve o nome de especulado para disputar o governo de Pernambuco e depois para deputado federal. Terminou na eleição para deputado estadual, o que foi um erro do PSL, que poderia ter mantido o nome dele para o governo ou para o Congresso.

Mesmo assim surpreendeu. Teve mais de 15 mil votos no total e ficou à frente de Laura Gomes em Caruaru. Ele ainda trouxe nomes importantes para o partido, como é o caso do empresário Manoel Santos, que passou a presidir o PSL na cidade. Sem falar na quantidade de filiações que conseguiu para a legenda, antes nanica na cidade e região agreste. Bolsonaro ainda ganhou a eleição no primeiro turno em Caruaru, muito pelo fruto do trabalho de Silvio e companhia.

Ele ainda se credenciou para a disputa de 2020 e a depender de como será o governo de Bolsonaro, poderá ter papel fundamental na eleição para prefeito na cidade. Silvio ainda participou da equipe de transição de Bolsonaro e mostra que tem livre trânsito junto aos interlocutores do presidente eleito.

Sem dúvidas é uma grata surpresa na eleição desse ano e deve figurar na nova liderança de direita na cidade. A conferir.

O ano de 2018 – Laura Gomes

O ano de 2018 teve altos e baixos para a deputada estadual Laura Gomes (PSB). A presidente municipal do PSB liderou a bancada do partido na Alepe e conseguiu articular votações importantes para o governo Paulo Câmara na Assembleia. Laura sempre foi muito aguerrida aos opositores que criticavam o governo.

Mas o PSB não agiu da mesma forma com ela. Em cidades importantes que a socialista foi bem votada em 2016, o partido não a apoiou e cedeu espaço para outras lideranças locais, como foi em Riacho das Almas. Laura também não obteve boa votação em Caruaru e na cidade não passou dos 6 mil votos, uma conta muito baixa devido aos serviços prestados por ela em dois mandatos de deputada e outros dois de vereadora.

Ela espera por uma compensação agora no início de 2019 e que o PSB possa chegar junto e ter mais espaços no segundo escalão. Os deputados Rodrigo Novas e Aloísio Lessa foram chamados para o primeiro escalão e Laura segue na esperança que um suplente também seja aproveitado na prefeitura do Recife, só assim, ela seguiria no mandato de deputada estadual. Ela ainda tem potencial para disputar a prefeita em 2020, mas será que o PSB vai apoiar? A conferir.