Eriberto assume governo de Pernambuco

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eriberto Medeiros (PP) assume, a partir deste sábado (10), o exercício do Governo do Estado tendo em vista que Paulo Câmara e o vice Raul Henry estão com férias agendadas. O parlamentar segue no comando do Poder Executivo até o dia 16 de novembro.

A solenidade de transmissão do cargo foi realizada na tarde desta sexta (9), no Palácio do Campo das Princesas.

“É gratificante demais ter a oportunidade de assumir a chefia do Executivo. Nós já fazemos parte da Bancada do Governo, o entendimento entre os poderes vem de muito tempo. Certamente não haverá dificuldade”, declarou Medeiros. O governador Paulo Câmara se disse tranquilo em deixar temporariamente o cargo: “A gente sabe do compromisso que a Assembleia Legislativa tem com Pernambuco. O deputado Eriberto vai ter a honra de ser governador de Pernambuco e vai dar conta do recado como sempre deu em todas as tarefas propostas”.

Durante o período em que o deputado Eriberto Medeiros for governador em exercício, a presidência da Alepe será ocupada pelo primeiro vice-presidente, Pastor Cleiton Collins (PP). Ele também esteve na cerimônia de transmissão do cargo, assim como os deputados Isaltino Nascimento (PSB) e Zé Maurício (PP). O chefe do Poder Legislativo é o segundo na linha de sucessão, de acordo com a Constituição do Estado de Pernambuco, seguido pelo presidente do Tribunal de Justiça.

Os 55 anos do 4º Batalhão da Polícia Militar em Caruaru

Foi realizada, na manhã desta sexta-feira (09), a solenidade militar comemorativa aos 55 anos de criação do 4° Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco em Caruaru. A Prefeita Raquel Lyra representou os prefeitos das cidades onde o batalhão atua e pontuou a importância do trabalho da PM.

Na oportunidade foram realizadas homenagens aos ex-comandantes e praças da reserva da Organizações Militares Estaduais (OME), bem como a entrega das medalhas de 10, 20 e 30 anos de efetivo serviço prestado a Corporação.A solenidade foi presidida pelo Coronel PM José Aleixo, diretor adjunto da DINTER1, e contou, ainda, com a presença de prefeitos e outras autoridades militares e civis da região.

A Prefeita Raquel Lyra representou os prefeitos das cidades onde o batalhão atua e pontuou a importância do trabalho da PM. “Quero expressar minha admiração e agradecimento ao trabalho que a Polícia Militar tem exercido em Caruaru e região. Hoje estamos juntos, alinhando o melhor para a segurança da nossa cidade e poder trabalhar junto a um órgão tão dedicado e competente é uma honra”, enfatizou Raquel Lyra.

Nova lei trabalhista reduziu 50% das ações na justiça em Caruaru

Há um ano, a legislação trabalhista está mais moderna e flexível. Desde que a Lei 13.467 entrou em vigor, em novembro de 2017, foram criados mais de 372,7 mil postos de empregos formais em todo país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged*) do Ministério do Trabalho. No mesmo período foram realizadas 47.139 admissões na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de 35.930 empregos, envolvendo mais de 6,4 mil estabelecimentos.

O impacto na justiçado trabalho foi significativo. O blog apurou que em Caruaru as ações caíram cerca de 50%. Quando foi proposta, ainda em 2016, a nova legislação tinha o objetivo de atualizar a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), instituída em 1943, e aproximar o Brasil do que era praticado em outras nações desenvolvidas.

Reunião sobre segurança do Polo de Confecções no fim do ano

Ainda sem assumir o mandato, o futuro deputado estadual Delegado Lessa, mediou um encontro entre empresários do Polo de Confecções do Agreste e o secretário executivo de Defesa Social, Humberto Freire.

Durante a reunião, foram discutidos temas relacionados à segurança pública no estado, principalmente nos municípios que compõem o Polo Têxtil, a exemplo de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama.

O secretário afirmou que envidará esforços para, já a partir deste fim de semana, aumentar o efetivo operacional no intuito de garantir a segurança das feiras. Ainda durante a reunião, o secretário anunciou que no próximo fim de semana estará lançando a Operação Têxtil, com amplo esquema de segurança para os sulanqueiros.

Artigo – Ministério do Trabalho contribui para aumento do desemprego no Brasil – por Pedro Neves*

Há quem acredite que a economia real se desenvolva a partir de leis e órgãos públicos. Ingenuidade ou não, o fato é que, este é um grande equívoco. E a declaração de extinção do Ministério do Trabalho já foi capaz de produzir protestos de alguns servidores públicos e alguns políticos que despejam fé nos próprios atos políticos.

A ideia deste texto é simples, tornar evidente que todo alvoroço em forma de protestos são meros fragmentos de uma narrativa política. As evidências econômicas à luz da pesquisa cientifica demonstram o contrário do que exaltam os políticos “trabalhistas”.

O Ministério do Trabalho gerou mais males do que bem. Tendo um papel decisivo para baixa produtividade do trabalho no país. O MTE esteve ausente na escalada do desemprego dos últimos anos. Distante dos Ministérios da Educação e Ciência, não gerou empregos. Deixou uma péssima marca, com escândalos de corrupção envolvendo sindicatos.

O Brasil tornou-se o país que usa o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para subsidiar o BNDES. FAT em 2019: 0,2% para o Sistema Nacional de Emprego (Sine) 23% para o BNDES- cerca de R$ 19 bilhões.

Segundo estudo publicado pelo Instituto de pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, os pesquisadores concluem que, alguns aspectos das instituições trabalhistas no Brasil podem estar comprometendo a evolução da produtividade do trabalho. O estudo também evidência que o mecanismo que possibilita um real ganho para geração de renda seria a elevação da produtividade do trabalho. Porém, os elementos determinantes da produtividade vão na contramão das diretrizes políticas do Ministério do Trabalho e todo sistema trabalhista. Destacam-se como elementos que podem elevar a produtividade, a experiência prática do trabalhador, na formação habilidades, tanto cognitivas como socioemocionais. A exposição das firmas à competitividade e práticas de gestão eficiente. E por fim, a diminuição de conflitos entre empresas e empregados, espera-se que a rotatividade seja estimulada por relações de trabalho de mais baixa qualidade. Ou seja, o papel político deste ministério influencia direto na produtividade do trabalho, consequentemente colabora com o desemprego baixa renda no país.

Assim, fica claro que o sistema brasileiro de relações trabalhistas impede o avanço potencial do fluxo de trabalho, das relações coletivas entre empresas e trabalhadores. Mas atende perfeitamente ao interesse de corporações de sindicatos, empresas com acesso aos recursos do BNDES, aos servidores do alto escalão e a um punhado de político que precisa de tal narrativa, como um paciente em fase terminal necessita de um tubo de oxigênio.

Dono da JBS e vice-governador de Minas são presos pela Lava Jato

O empresário Joesley Batista, dono da JBS, foi preso na manhã desta sexta-feira, 09, pela Polícia Federal, suspeito de participar de esquema de arrecadação de propina no Ministério da Agricultura. O vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB), também foi detido. O executivo Ricardo Saud teve mandado de prisão decretado, mas está fora do Brasil. As informações são do G1.

A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira (9) mandados de busca e apreensão contra o vice-governador de Minas, e três executivos da JBS em mais um desdobramento da Operação Lava Jato, denominada Operação Capitu. As investigações apuram um complexo esquema de corrupção e pagamento de propina quando Andrade era ministro da Agricultura no governo da presidente Dilma Rousseff.

Informações preliminares indicam que os policiais federais deflagraram os mandados em Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba e Mato Grosso. No total, são 62 mandados de busca e apreensão, dos quais 26 apenas na capital mineira.

A operação é baseada na delação de Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Segundo as investigações, havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.

Em 2017, durante delação premiada à Procuradoria-Geral da República, o empresário Joesley Batista revelou que atuou com o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Lúcio Funaro em esquema de corrupção no Ministério da Agricultura para favorecer as empresas.