Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 58%; Haddad, 42%

Do G1

O Datafolha divulgou nesta quarta-feira (10) o resultado da primeira pesquisa de intenção de voto do instituto com o cenário da disputa no segundo turno da eleição presidencial. A pesquisa foi realizada nesta quarta, dia 10, e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos. 

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes: 

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. 

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes: 

  • Jair Bolsonaro (PSL): 49%
  • Fernando Haddad (PT): 36%
  • Em branco/nulo/nenhum: 8%
  • Não sabe: 6%

O Datafolha também levantou qual deveria ser o apoio dos presidenciáveis que disputaram o primeiro turno. 

O instituto perguntou: O apoio de Marina Silva a um candidato a presidente no segundo turno da eleição deste ano…?”: 

  • Poderia levar você a escolher esse candidato: 11%
  • Faria você não votar nesse candidato: 11%
  • Seria indiferente: 72%
  • Não sabe: 6%

O Datafolha também perguntou: “Na sua opinião qual dos dois candidatos Marina Silva deveria apoiar no segundo turno”? 

  • Fernando Haddad (PT): 43%
  • Jair Bolsonaro (PSL)% 38%

O instituto perguntou: “O apoio de Ciro Gomes a um candidato a presidente no segundo turno da eleição deste ano…?”: 

  • Poderia levar você a escolher esse candidato: 21%
  • Faria você não votar nesse candidato: 11%
  • Seria indiferente: 63%
  • Não sabe: 4%

O Datafolha também perguntou: “Na sua opinião qual dos dois candidatos Ciro Gomes deveria apoiar no segundo turno?”: 

  • Fernando Haddad (PT): 46%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 40%

O instituto perguntou: “O apoio de Geraldo Alckmin a um candidato a presidente no segundo turno da eleição deste ano…?”: 

  • Poderia levar você a escolher esse candidato: 14%
  • Faria você não votar nesse candidato; 13%
  • Seria indiferente: 69%
  • Não sabe: 4%

O Datafolha também perguntou: “Na sua opinião qual dos dois candidatos Geraldo Alckmin deveria apoiar no segundo turno:”? 

  • Jair Bolsonaro (PSL): 46%
  • Fernando Haddad (PT): 37%
  • Nenhum: 9%
  • Não sabe: 7%

Momento de decisão do voto

O instituto perguntou: “Em que momento você decidiu seu voto para (CITE O CARGO) pelo menos um mês antes da eleição, 15 dias antes da eleição, uma semana antes da eleição, na véspera da eleição ou no próprio dia da eleição?”. 

  • Pelo menos um mês antes: 63%
  • 15 dias antes: 10%
  • Uma semana antes: 8%
  • Na véspera: 6%
  • No dia da eleição: 12%
  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 3.235 eleitores em 227 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 10 de outubro
  • Registro no TSE: BR-00214/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “Folha de S.Paulo”
  • O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Ex-governador tucano de Goiás, Marconi Perillo é preso durante depoimento

Do Estado de São Paulo

O ex-governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) foi preso nesta quarta-feira, 10. O tucano, que concorreu ao Senado nas eleições 2018, é investigado na Operação Cash Delivery.

Em 28 de setembro, Perillo foi alvo de busca e apreensão. Jayme Rincón, ex-tesoureiro de Perillo e coordenador da campanha ao governo do Estado de José Eliton (PSDB) – aliado do tucano e que busca a reeleição -, foi preso pela PF na ocasião.

A investigação teve como base os relatos dos delatores Fernando Reis e Alexandre Barradas, da Odebrecht. Em suas delações, eles citaram repasses de R$ 10 milhões a Perillo – R$ 2 milhões na eleição de 2010 e R$ 8 milhões em 2014.

O caso tramitava no Superior Tribunal de Justiça, mas foi enviado à Justiça Federal de Goiás em abril, após Perillo deixar o governo para se candidatar ao Senado.

O Estado revelou, em julho, que antes de o caso sair do STJ, a Procuradoria-Geral da República havia solicitado a quebra de sigilo telefônico de Perillo e do ex-tesoureiro de sua campanha, Jayme Rincón, que, atualmente, é presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop).

As investigações da PF validaram o conteúdo das delações premiadas de executivos da Odebrecht realizadas junto à Procuradoria.

COM A PALAVRA, A DEFESA DE PERILLO

A Defesa de Marconi Perillo, perplexa, vem registrar a completa indignação com o decreto de prisão na data de hoje. O Tribunal Regional da Primeira Região já concedeu duas liminares para determinar a liberdade de duas outras pessoas presas nessa mesma operação, através de decisões de duas ilustres desembargadores. O novo decreto de prisão é praticamente um “copia e cola” de outra decisão de prisão já revogada por determinação do TRF 1. Não há absolutamente nenhum fato novo que justifique o decreto do ex Governador Marconi Perillo, principalmente pelas mencionadas decisões anteriores que já afastaram a necessidade de prisão neste momento. Na visão da defesa, esta nova prisão constitui uma forma de descumprimento indireto dos fundamentos das decisões de liberdade concedidas a outros investigados. A defesa acredita no Poder Judiciário e reitera que uma prisão por fatos supostamente ocorridos em 2010 e 2014, na palavra isolada dos delatores, afronta pacífica jurisprudência do Supremo, que não admite prisão por fatos que não tenham contemporaneidade. Marconi Perillo recebeu o decreto de prisão quando estava iniciando o seu depoimento no departamento de Polícia Federal e optou por manter o depoimento por ser o principal interessado no esclarecimento dos fatos . 

PDT de Ciro Gomes anuncia ‘apoio crítico’ a Fernando Haddad no segundo turno

Do G1

O PDT anunciou nesta quarta-feira (10) que dará “apoio crítico’ a Fernando Haddad (PT) no segundo turno da eleição. Haddad disputará a Presidência da República com Jair Bolsonaro (PSL).

A decisão foi anunciada em uma nota divulgada pelo partido, após reunião da Executiva Nacional.

“A Executiva Nacional do PDT reunida nesta quarta-feira na sede nacional do partido, em Brasília, declara seu apoio crítico a candidatura de Fernando Haddad para evitar a vitória das forças mais reacionárias e e atrasadas do Brasil e a derrocada da democracia”, informou o partido.

No primeiro turno, o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, ficou em terceiro lugar. Ex-governador do Ceará e ex-ministro da Integração Nacional, ele recebeu 13,3 milhões de votos(12,47%). 

No último domingo (7), logo após a confirmação o resultado do primeiro turno, Ciro Gomes foi questionado sobre quem apoiaria no segundo turno e respondeu “ele, não“, uma referência ao movimento #EleNão, contrário a Jair Bolsonaro.

Na segunda-feira (8), o presidente do PDT, Carlos Lupi, afirmou ao G1que o partido “jamais” apoiaria Bolsonaro e estudava dar “apoio crítico” a Haddad.

Pesquisa: Bolsonaro tem 54% dos votos válidos; Haddad, 46%

Da Veja

Na primeira pesquisa eleitoral do segundo turno, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 54% das intenções de votos válidos. O petista Fernando Haddad tem 46%. O levantamento foi feito pelo instituto Ideia Big Data em parceria com VEJA.

A pesquisa ouviu 2.036 eleitores das cinco regiões do país entre a última segunda e esta quarta-feira. A margem de erro é de 2,67% pontos percentuais para mais ou para menos. O número de registro no TSE é BR-09687/2018.

Bolsonaro chegou ao segundo turno com a preferência de 46,03% do eleitorado (ou 49,2 milhões de votos). Haddad teve 29,28% dos votos válidos (31,3 milhões de votos).

Ao considerar o universo de todos os entrevistados, Bolsonaro tem 48% das intenções dos eleitores, enquanto Haddad, 41%. Votos brancos e nulos somam 7%, enquanto indecisos ou que não responderam atingiram 4%.

Liberais vencem duelo contra petistas em Caruaru

Caruaru presenciou uma disputa ideológica fora dos holofotes. O movimento Livres de tendência liberal e o PT, tendência a esquerda, obtiveram votação para as candidatas a vaga na ALEPE. Candidata a deputada pelo PPS, Karla Falcão, representante do Livres e Teresa Leitão, candidata pelo PT, tiveram apoio dos caruaruenses. Apesar da candidata petista ter conseguido a vaga, a liberal obteve melhor resultado em Caruaru. Falcão venceu o duelo com 729 votos, contra 662 da petista.

O resultado de Karla Falcão surpreende pelo fato da liberal não ter mandato e também pelo grupo do Livres em Caruaru não ter estrutura eleitoral na cidade. Quando comparado ao PT, que possui um vereador, Daniel Finizola, que apoiou a candidata e fez campanha, os Liberais demonstram uma eficácia maior, comprovada nos votos da região.

Com o debate eleitoral caminhando para renovação e maior ênfase ideológica, teremos em 2020 uma boa disputa entre forças ideológicas antagônicas.

Raquel vai à Brasília em busca de recursos para a educação

A prefeita Raquel Lyra viajou à Brasília para buscar recursos para a cidade. Ela segue atuando na área da educação e pelas redes sociais explicou os motivos da visita.

“…Estamos em Brasília para buscar mais recursos para investirmos na educação de nossa cidade. Eu e Allan, secretário executivo da secretaria de educação de Caruaru, nos reunimos com o coordenador-geral de programas especiais do FNDE, Julio Cézar, e tivemos a oportunidade de falar sobre o trabalho que estamos fazendo para transformar Caruaru pela educação. O trabalho não para!”.

Vira lei projeto de Armando eliminando firma reconhecida e cópia autenticada

O reconhecimento de firma e a cópia autenticada não serão mais exigidos na apresentação de documentos. O fim da obrigatoriedade está determinado em projeto do senador Armando Monteiro (PTB-PE) sancionado no Diário Oficial da União de hoje (terça, 9). A Lei 13.726, apresentada como projeto por Armando em 2014, racionaliza e simplifica atos administrativos dos órgãos do governo federal, estados e municípios e entra em vigor em 45 dias.

“Com esta nova legislação, estamos ajudando o Brasil a sair da cultura cartorial, cuja marca é a desconfiança, e dando qualidade de vida ao dia-a-dia do cidadão, sufocado pela burocracia”, declarou ele, no início da tarde desta terça-feira, em Brasília, ao retomar suas atividades no Senado.

A lei determina que na dispensa do reconhecimento de firma cabe ao agente administrativo confrontar a assinatura com o documento de identidade ou, estando o signatário presente, lavrar a autenticidade no próprio documento. Na eliminação da autenticação, o próprio agente atestará a autenticidade comparando o original e a cópia.

A lei elimina, também, a obrigatoriedade de apresentação de certidão de nascimento, que pode ser substituída pela carteira de identidade ou carteira de trabalho, entre outros documentos, e o título de eleitor, exigível somente no ato de votação. Outro documento abolido é a autorização com firma reconhecida para viagem de menor quando os pais estiverem presentes ao embarque.

Burocracia absurda – A iniciativa de Armando Monteiro proíbe a exigência de prova referente a fato já comprovado pela apresentação de outro documento válido. Estabelece que, quando não for possível obter documento comprobatório de regularidade diretamente junto ao órgão por razões alheias ao solicitante, os fatos poderão ser comprovados por declaração escrita e assinada pelo cidadão.

A lei determina ainda que, à exceção da comprovação de antecedentes criminais, de informações sobre empresas ou em outras situações expressamente previstas em lei, os órgãos governamentais não poderão exigir certidões ou documentos expedidos por outros órgãos da mesma esfera administrativa.

“Nossa absurda burocracia está tão entranhada na administração pública brasileira que fracassaram quase todas as tentativas de reduzi-la”, assinala o senador pernambucano nas justificativas do seu projeto

“A burocracia faz com que o reconhecimento de firma seja mais importante do que a presença do próprio signatário e a conta de água ou de luz tenha mais credibilidade do que a declaração do endereço residencial feita pelo próprio cidadão. Nossa iniciativa, agora com força de lei, vai acabar com essa insensatez”, declarou o senador petebista.

A lei, que foi alterada na Câmara dos Deputados e na volta ao exame do Senado retomou o texto original, institui o Selo de Desburocratização e Simplificação, a ser concedido anualmente a órgãos públicos que tenham reduzido a burocracia e melhorado o atendimento.

Contas de Altinho de 2015 têm parecer prévio pela rejeição

Na sessão desta terça-feira (9), a Segunda Câmara do TCE emitiu parecer prévio recomendando à Câmara de Vereadores do município de Altinho a rejeição das contas de governo do ex-prefeito José Ailson de Oliveira relativas ao exercício financeiro de 2015. As contas foram analisadas pela equipe técnica da Inspetoria Bezerros e o processo teve como relator o conselheiro Carlos Porto.

Foram auditadas a gestão orçamentária, financeira e patrimonial do município, os índices de convergência e consistência contábeis, o repasse do duodécimo à Câmara Municipal, a gestão fiscal, a aplicação do mínimo constitucional em educação e em saúde, o regime próprio de previdência e a transparência pública. Devidamente notificado, o interessado apresentou defesa, mas restaram algumas irregularidades que ensejaram a rejeição das contas.

O VOTO – De acordo com o voto do relator, o então prefeito do município extrapolou o limite de despesa total com pessoal, alcançando o percentual de 63,41% da receita corrente líquida do município ao término do 3º quadrimestre de 2015, contrariando o artigo 20 da Lei de Responsabilidade Fiscal, sendo que a prefeitura já estava desenquadrada em relação a esse item desde o 3º quadrimestre de 2013. Além disso, não comprovou a adoção de medidas necessárias para reduzir o percentual excedente ao limite legal, descumprindo o art. 169, §§ 3º e 4º, da Constituição Federal. Também deixou de recolher as contribuições patronais devidas ao Regime Próprio de Previdência no montante de R$ 500.576,75, equivalente a 28,21% do total devido no exercício (R$ 1.774.688,48), gerando ônus para o erário em virtude dos acréscimos pecuniários incidentes quando da quitação do débito.

O DÉBITO – O gestor alegou em sua defesa que a dívida foi parcelada, mas, no entendimento do TCE (Súmula nº 8), o simples parcelamento não o isenta de responsabilidade. Daí a emissão do parecer pela rejeição das contas, acompanhado das seguintes determinações: implementar ações planejadas no sentido de eliminar a situação deficitária em que se encontra as contas do município; elaborar a Lei Orçamentária e a LDO em consonância com as normas vigentes, realizar um levantamento de diagnóstico no sentido de identificar os principais riscos e dificuldades encontradas na cobrança da dívida ativa, de modo a estabelecer medidas com o objetivo de melhorar os indicadores e aumentar as receitas próprias do município; adotar as medidas cabíveis no sentido do enquadramento das despesas com pessoal dentro dos limites previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal e providenciar o recolhimento tempestivo das contribuições previdenciárias.

Sorteio da Nota Fiscal Premiada será realizado nesta quarta-feira (10)

A Prefeitura Municipal de Caruaru realiza nesta quarta-feira (10), o primeiro sorteio do programa Nota Fiscal Premiada, mediante o resultado da loteria federal. 

De forma simples e prática, o programa beneficia consumidores com a possibilidade de participar de sorteios de prêmios e abatimentos de créditos de até 10% (dez por cento) no IPTU. Através da educação fiscal, o Nota Premiada ajudará a combater a sonegação de impostos, gerando mais recursos para investimento e melhorias para a nossa cidade.

O próximo sorteio será no dia 15 de dezembro. Serão vários prêmios de até 10 mil reais sorteados, além de desconto de 10% no valor do IPTU.