Haddad vai governar como Lula governaria, afirma Humberto

O líder da oposição a Temer no Senado e candidato à reeleição, Humberto Costa (PT-PE), disse, na noite dessa quarta-feira (12), durante visita às cidades de Gameleira e Ribeirão, na Mata Sul do Estado, que Fernando Haddad vai ser eleito o próximo presidente da República que e vai governar como Lula governaria.

Para Humberto, Haddad vai fazer o que Lula faria para poder melhorar a vida do povo do Brasil, do Nordeste e de Pernambuco.  O senador destacou, ainda, que com Haddad e Paulo Câmara o Estado vai reeditar a parceria vitoriosa que foi realizada entre Lula e Eduardo Campos.

Humberto destacou que povo brasileiro sabe que Lula foi o melhor presidente que já teve e por isso mesmo vai votar no candidato que ele está indicando,  que é  Fernando Haddad. “Haddad vai fazer um governo bom para o povo, assim como Lula faria”, afirmou o senador.

“No dia 7 de outubro,  vamos eleger Fernando Haddad e ter novamente um presidente legítimo. O povo vai poder  soltar o grito que está  engasgado na garganta e o Brasil voltará a ser feliz de novo. Além disso, finalmente, vamos tirar Michel Temer, que é o pior presidente da história desse pais ”, ressaltou Humberto, durante ato na cidade de Ribeirão.

O parlamentar lembrou, ainda, que Temer e sua turma só trouxeram dificuldades para o povo.  “Os brasileiros sabem que esse presidente e seus aliados só fizeram retirar direitos históricos da população, desmontaram programas importantíssimos como o ProUni, Fies, Ciência Sem Fronteiras, Farmácia Popular e Brasil Sorridente”, afirmou Humberto, que foi autor desses dois últimos programas, quando foi ministro da Saúde do presidente Lula.

Tony Gel diz que novo mandato vai priorizar abastecimento e segurança para o Agreste

O deputado estadual e candidato à reeleição, Tony Gel (MDB), participou, na manhã desta quinta-feira (13) do programa “Fala Toritama”, comandado pelos radialistas Paulo Sobral e Evandro Lins, na rádio Toritama FM.

O candidato aproveitou a oportunidade para ressaltar as  principais conquistas para a região, entre elas, a oferta de água para o Agreste e o Batalhão Integrado Especializado de Policiamento (Biesp) de Caruaru.

Questionado pelos comunicadores por já ter representado o Estado três vezes como deputado federal e atualmente se dedicar no pleito estadual, o deputado esclareceu os motivos. “Não é que eu desisti de Brasília, mas escolhi concorrer mais uma vez à Assembleia Legislativa, pois dessa maneira eu consigo de forma mais direta atender os municípios, resolvendo de forma mais rápida suas principais carências junto ao Governo do Estado”, enfatizou.

Acompanhado pelo prefeito da cidade, Edilson Tavares (MDB) e lideranças locais, após o programa o deputado realizou algumas visitas na Capital do Jeans.

Bolsonaro evolui bem após nova cirurgia no intestino, diz boletim médico

Uma semana após ser atacado com uma faca, em Juiz de Fora (MG), o candidato do PSL à presidência, Jair Bolsonaro, passou por nova cirurgia no intestino na noite dessa quarta-feira (12).

Os médicos do hospital Albert Einstein, em São Paulo, fizeram uma tomografia e constataram que Bolsonaro estava com uma obstrução no intestino e que o quadro exigia uma cirurgia. O procedimento de emergência, que durou cerca de duas horas, foi realizado depois que o candidato apresentou inchaço abdominal e náuseas.

No boletim médico desta quinta-feira (13), o hospital informou que o candidato ao Planalto voltou para o mesmo leito da UTI onde estava antes da cirurgia. Segundo as informações, Bolsonaro evoluiu bem e não sentiu dores nem náusea.

O hospital explicou ainda que a obstrução foi ocasionada por uma inflamação em uma das perfurações feitas no intestino delgado durante a primeira cirurgia, ainda em Juiz de Fora. Além da liberação dos pontos bloqueados, foi feita a limpeza abdominal, realizada todos os dias desde que Bolsonaro foi transferido para a capital paulista.

Mesmo sem previsão de alta, o candidato já tem outra cirurgia marcada para daqui dois meses, depois que sair do hospital. O novo procedimento será de grande porte para reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa externa ligada à barriga.

Mendonça faz caminhadas em Catende e Palmares

O candidato ao Senado, Mendonça Filho, caminhou hoje (13/09) no comércio das cidades de Catende e Palmares, na Mata Sul de Pernambuco. Ao lado do candidato ao governo, Armanda o Monteiro, do candidato a vice, Fred Ferreira, e de lideranças das duas cidades, Mendonça percorreu as principais vias comerciais de cada município. “Mais uma vez recebo a atenção e carinho da população que reconhece de pronto meu trabalho e isso me dá estímulo para esta caminhada”, comentou Mendonça.

Em Catende, quando ministro, Mendonça Filho garantiu a liberação de R$ 2,4 milhões para o andamento de obras emergenciais, bem como garantiu a conclusão das obras das escolas Mendo Feijó e Mendo Sampaio e viabilizou para a cidade uma nova escola em tempo integral.

Para Palmares, Mendonça autorizou a construção do novo campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPE), obras emergenciais praticamente concluídas no valor R$ 16,7 milhões, destacando-se as reformas das escolas municipais Monsenhor Abílio Américo Galvão e Dr. Rosemiro Rodrigues Barros, além da conclusão da reforma da Escola Professora Galtemir Lins. Na gestão de Mendonça foram viabilizadas duas novas escolas em tempo integral para o município e dois ônibus escolares.

Comerciante de Palmares, Robson José da Silva, anunciou o voto a Mendonça. “Esse daí foi ministro da Educação, trabalhou, eu conheço, os outros não. Vou votar em Mendonça porque fez muito”, justificou.

Após a caminhada em Catende, o candidato concedeu entrevista à Rádio Farol e, após a caminhada no comércio de Palmares, foi a vez de outra entrevista, na Rádio Nova Quilombo.

Abertura do 7º Circuito do Café de Pernambuco acontece nesta quinta-feira (13)

Tem início nesta quinta-feira (13/09), o 7º Circuito do Café de Pernambuco. A abertura será na Alameda Caruaru, às 19h25, com uma programação aberta ao público e repleta de atrações. Entre elas, haverá uma palestra sobre “A Terceira Onda do Café” com o fundador da CoffeeLook, escritório de projetos que orienta e desenvolve soluções estratégicas em gestão de marcas, Renato Falci. Além disso, apresentações culturais, show com o cantor Miguel Barreto e o lançamento dos cafés astros, receitas preparadas com exclusividade para o projeto, fazem parte da programação.

A iniciativa realizada pela Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic) conta com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Alameda Caruaru, com o apoio cultural do Projeto Letras de Barro e o patrocínio da MC Rosal. “História com Gosto de Café” é o tema desta edição que ampliou o número de cafeterias e do período que a rota gastronômica irá movimentar a cidade. 12 cafeterias participam desta edição: Doce Casa, Café.Com, Chocolates Brasil Cacau, Dedim de Prosa, Delicatto, Delta Expresso, Bule de Barro, Luiz Lua Gonzaga, João Doutor, Maria José, Empório Salatta e Valete.

Este ano, o Circuito irá homenagear o historiador caruaruense Walmiré Dimeron nos cafés astros por meio de 12 fatos históricos escolhidos por ele: “Irmãos Condé”, “Alto do Moura”, “Banda de Pífanos”, “País de Caruaru”, “Feira de Caruaru”, “Mestre Vitalino”, “Bacamarteiros de Caruaru”, “Terra de Caruaru”,  “Morro Bom Jesus”, “Nelson Barbalho” , “Casa de Cultura José Condé” e “Festa do Comércio”. “O homenageado foi fácil de escolher, pois o Circuito do Café sempre teve como proposta relacionar café com cultura. E falar de cultura na cidade e não citar o nome de Walmiré Dimeron, realmente, não faz sentido. Foi uma escolha unânime, ele é uma referência para todos os envolvidos”, destaca o coordenador da Câmara Setorial da Gastronomia da Acic, Silvio César.

O historiador percorrerá as cafeterias contemplando o público que está apreciando os cafés astro com um bate-papo sobre o fato histórico escolhido por cada marca participante, em uma imersão pela cultura caruaruense com os sabores do café. As cafeterias estarão devidamente sinalizadas para receber o público de Caruaru e região. O consumidor deve visitar os estabelecimentos inscritos para receber o cartão fidelidade. Após 12 carimbos, ou seja, após ter visitado as 12 participantes, será premiado com uma caneca personalizada com temas da cultura caruaruense que inspiram os cafés astros. “A caneca já se tornou um artigo de coleção. As pessoas ficam aguardando a versão do ano. Daremos a caneca e também iremos sortear outro prêmio surpresa entre as pessoas que completarem o circuito. O ano passado, presenteamos com uma viagem”, explica Silvio César.

A expectativa, segundo a organização do evento, é de que a sétima edição do Circuito do Café de Pernambuco aumente o movimento das cafeterias da cidade de 15 a 20 por cento. “O projeto está na sua sétima edição e se consolidou como uma vitrine para as cafeterias de Caruaru. Então, desde a primeira edição, todos que participam percebem um aumento de demanda em seus negócios, inclusive, alguns comparam o movimento do período do evento aos melhores meses do ano, que são o São João e as festas de fim de ano. O trabalho interno com os estabelecimentos participantes também é um diferencial, pois as cafeterias recebem consultorias, o que é muito importante para fortalecer o segmento na região”, finaliza o coordenador da Câmara da Gastronomia da Acic, Silvio César.

Geraldo Alckmin defende investimento em refino de petróleo no Brasil

O candidato a presidente da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, defendeu nesta quinta-feira (13), no Espírito Santo, que o Brasil passe a produzir o derivado de petróleo como solução para redução dos valores cobrados dos consumidores. O tucano disse que pretende abrir o mercado para empresas especializadas em refino e poços maduros para tirar mais petróleo e gás. Alckmin argumentou que esta nova política irá gerar mais investimentos, empregos, equipamentos, maior produção e receitas para estados e municípios.

“Como tornar o derivado de petróleo mais barato? É fazer refino no Brasil. Nós estamos mandando petróleo bruto para fora e voltando o derivado. Você perde o frete de ida e de volta, gera emprego lá fora e paga mais caro. Precisa ter mais refinarias e ampliar o refino no Brasil. Isso não se faz porque a Petrobras não tem dinheiro para tudo. Quero trazer duas propostas: refino, nós vamos quebrar o monopólio. Vamos trabalhar muito a indústria do petróleo e gás.”, afirmou.

Aos jornalistas, o tucano criticou a atual política de preços praticada pela Petrobras, com reajustes frequentes e disse que estes deveriam ocorrer “a cada 30 ou 60 dias”.

“Nós defendemos que o reajuste não pode ser diário e sim a cada 30, 60 dias. Você faz uma média e se o barril do petróleo subir muito reduz imposto. É o que se chama de colchão tributário.”, defendeu.

Geraldo Alckmin reafirmou seu compromisso com a segurança pública.

“O Governo Federal tem o dever de liderar esse trabalho. Não é específico do estado é no Brasil inteiro. O Brasil tem 17 mil km de fronteira seca com os grandes produtores de droga, tráfico de arma, contrabando. Vamos implantar tecnologia. Ampliar o sistema de controle de fronteira. Integrar inteligência dos estados: Polícia Federal, Forças Armadas, Abin, Polícia Rodoviária Federal e ter uma Guarda Nacional permanente.”, garantiu em coletiva durante visita a uma das cidades mais perigosas do Brasil.

Marina Silva: “Eleições de 2014 foram uma fraude”

A candidata Marina Silva (Rede) afirmou que as eleições de 2014 foram uma “fraude”. Em sabatina realizada pelo portal G1 e pela CBN, nesta quinta-feira (13), a presidenciável fez críticas aos partidos e disse que, com informações de hoje, não apoiaria Aécio Neves.

“Quanto ao Aécio, se tivesse as informações que tenho hoje, não teria votado. Aliás, as eleições de 2014 foram uma fraude. Uma fraude praticada pelos partidos que usaram o dinheiro do caixa 2, abusaram do poder econômico e da violência política”

Sobre o atentado do também candidato Jair Bolsonaro (PSL), Marina disse que o Brasil precisa sair do ciclo perverso da violência.

“Porque quando a gente se omite à violência política quando ela inicia na forma de desconstrução de biografia, na calúnia, na difamação a consequência e a evolução disso é transformar a violência em ato, em eliminação do adversário. Agora nós já tivemos o assassinato da Marielle, nós já tivemos duas tentativas contra os apoiadores do presidente do Lula, no acampamento e no ônibus, e esse caso dramático e inaceitável da tentativa de eliminação do candidato Bolsonaro. O brasil precisa sair desse ciclo perverso de violência, de polarização”

Conhecida pela defesa das causas ambientais, Marina afirmou que o seu governo investirá um milhão e meio de reais em tetos solares, além de criar fazendas de energia eólica. A candidata também propôs um plano nacional e a implementação do sistema único de segurança pública.

Museu do Barro recebe projeto Agreste Telúrico

Entre os dias 13 e 15 de setembro, o Museu do Barro de Caruaru vai sediar o projeto Agreste Telúrico, idealizado pelo artista Carlos Mélo, com patrocínio do Funcultura. A proposta é realizar um ciclo de palestras e performances que possam ampliar as discussões levantadas na primeira Bienal do Barro do Brasil, “Água mole, pedra dura”, realizada em 2014, e também a importância da mostra para a região e suas repercussões.

A ideia é ir além do debate da Bienal do Barro enquanto projeto, se constituindo como um espaço de reflexões sobre as relações do barro, da tradição, da memória, da história com a arte contemporânea, sobre o lugar dos artesãos e sobre o cenário cultural do agreste pernambucano. A intenção é problematizar as questões conceituais e simbólicas levantadas pela Bienal, assim como da região, cuja tradição cultural vem dessa matéria-prima, o barro, que possibilitou a fama de ícones como os mestres Vitalino e Galdino.

A primeira Bienal do Barro foi motivada pelo interesse de levar a arte contemporânea até uma região onde a tradição e a matéria são os constituintes principais da produção artística. “Quando comecei a pensar a bienal, lá atrás, existia uma dúvida se chamaria o evento realmente de bienal, devido ao desgaste da palavra. Mas como era a primeira, optei por manter esse nome, numa espécie de contravenção. Criei essa mostra que pretendia discutir a questão do barro, indo além da cerâmica. Agora, voltamos a falar sobre a necessidade e a finalidade de uma bienal e o porquê de ter uma em que o barro seja o ponto central de reflexão”, pontua Carlos Mélo.

O ciclo de debates também aposta, assim como a bienal, na descentralização, invertendo o fluxo. As bienais acontecem geralmente nas capitais, aqui ela foi deslocada para o interior e é no seu local de realização que ela também será debatida e pensada. “Uma vez que a bienal só faz sentido se estiver em total conexão com os interesses da comunidade, e possa assim criar condições, não só para o resgate da tradição, mas também para propor em sua continuidade a ampliação e produção de novos sentidos”, defende Mélo.

No primeiro dia do evento, o mote da discussão será “Por que uma Bienal?”, com a participação de Raphael Fonseca (RJ), que foi o curador da primeira edição da mostra, e de Marcus Lontra (SP), outro nome de destaque na cena curatorial brasileira. Para tornar o diálogo mais profícuo, a mesa será composta por três mediadores de Pernambuco, o diretora do Museu do Barro de Caruaru, Maria Amélia, e pelos artistas Sonia Costa e Abel Carvalho (PE). Sonia Costa aproveitará o espaço do evento para fazer um instalação com cabaças, ainda sem título, e apresentará a performance Sopro. A artista vai aproveitar a passagem por Caruaru para realizar também um vídeo performance. O pernambucano Abel Carvalho também vai apresentar trabalhos que refletem sobre memória, pertencimento e história.

No segundo encontro, dia 14, o anagrama Agreste/Resgate, trabalhado recorrentemente por Carlos Mélo em suas obras, vai suscitar questões relativas ao lugar, sua história, memória e tradição, e contará com a participação de Mélo, dos artistas José Rufino (PB), Sonia Costa e Abel Carvalho (PE), e da professora e fotógrafa Juliana Leitão.

Fechando o ciclo, a pergunta que norteará os debates do terceiro dia será: “Por que uma Bienal do Barro?”. A proposta é que os artistas Sonia Costa, Carlos Mélo, Abel Carvalho e Marcelo Cidade (SP), junto com o jornalista e pesquisador Paulo Carvalho, discutam a simbologia do barro e o que ele representa como contribuição para a contemporaneidade. A ideia é que o artista Marcelo Cidade proponha um projeto para a próxima edição da Bienal do Barro do Brasil, cuja data ainda não está definida.

No dia 14, após a conversa, Mélo vai apresentar uma performance, que usará o anagrama Agreste/Resgate como eixo conceitual do projeto da Bienal do Barro. Curiosamente, a proposta da bienal se formou através de experiências com a palavra, no poema ‘ocorpobarroco’, outra instalação do artista, que foi fracionado em “o corpo, o barro e o oco”, como espécie de tripé poético. O barro virou uma bienal, o corpo e o oco são plataformas conceituais do trabalho do artista. A proposta da performance é compartilhar essa experiência, realizando uma reflexão sobre a arte hoje, como uma obra pode ser um projeto cultural, algo além do objeto artístico.

Entre a zona da mata e o sertão esse entre-lugar, que é o agreste. O “resgaste” proposto por Mélo é uma reconstrução da subjetividade de uma comunidade de artesãos e de uma região cuja fonte cultural é o barro. Com leituras de textos, exibição de vídeos e de obras, a performance acontecerá em vivo contato com as pessoas presentes. “Resgatar, não e trazer de volta, uma imagem ou um estereótipo ou um artístico. Nossa proposta é transcultural, ela pretende trazer diálogos cruzamentos, atualização de linguagem, um olhar contemporâneo sobre a cultura popular”, diz

O projeto contará com ações de inclusão para portadores de deficiência. Haverá intérprete de Libras para as palestras e mesas.

Delegado Lessa visita comunidades da zona rural

O candidato a deputado estadual Delegado Lessa (Progressistas) realizou uma série de visitas na área rural durante a quarta-feira 12. A Vila Peladas (1º Distrito de Caruaru) e os sítios Juá, Cachoeira Seca e Riacho Doce (2º distrito), além de Palmatória (Riacho das Almas) foram as comunidades visitadas pelo candidato.

Bem recepcionado pela população, o Delegado escutou as demandas dos moradores, que destacaram a insegurança como um dos principais problemas daquelas localidades. “Conversei com homens e mulheres que passaram a vida toda no campo, mas agora pensam em se mudar para a cidade por causa da violência. Não é mais a estiagem, atualmente a insegurança é o fator que mais preocupa quem mora na zona rural”, observa Lessa, lembrando que nas últimas semanas esteve em diversas comunidades rurais de Caruaru e de municípios circunvizinhos.

Entre os compromissos do Delegado Lessa para sua atuação na Assembleia Legislativa, está a proposta de implantação de Postos de Policiamento Rural no interior do Estado. “É necessário facilitar o acesso da população à instituição policial, para garantir uma maior sensação de segurança e eficiência nos serviços”, explana o Delegado Lessa.

Marília Arraes cumpre agenda política em Caruaru

Acompanhada do vereador Daniel Finizola (PT) e da militância, a candidata a deputada federal, Marília Arraes, realizou na noite desta quarta-feira (12), uma panfletagem com estudantes universitários. Marília é vereadora pelo Partido dos Trabalhadores e disputará pela primeira vez uma vaga na Câmara federal.

“Temos muito orgulho de caminhar ao lado de Marília e trazê-la para Caruaru, para apresentar as suas propostas. Acompanhamos de muito perto a sua pré-campanha ao governo de Pernambuco e vimos a sua força. As pessoas do nosso Estado reconhecem a luta e a determinação de Marília Arraes”, disse Finizola.

Durante a atividade realizada nas proximidades da Asces-Unita e da UFPE/CAA, Marília foi procurada para responder sobre suas propostas e aproveitou para reafirmar o seu compromisso com Caruaru e a tarefa de eleger Haddad presidente.