De olho na vaga do Senado, Queiroz cumpre agenda em Brasília

Em Brasília, fazendo articulações políticas, o ex-prefeito José Queiroz conversou com o Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. Ele ainda foi à Câmara e acompanhou o deputado federal Wolney Queiroz, que atua na Comissão do Trabalho.

Queiroz espera pela confirmação do governador Paulo Câmara para ser o indicado a vaga no Senado.

CONTRAN aumenta limite do comprimento dos caminhões cegonha em 60 centímetros

O Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) aumentou o limite do comprimento dos caminhões conhecidos como cegonha de 22,40 metros para 23 metros. A resolução nº 75, publicada nesta quarta-feira (6), no Diário Oficial da União (DOU), tem o objetivo de atender a nova realidade do setor de transporte de veículos, que cresceram de tamanho nos últimos anos, demandando mais espaço nas cegonhas. De acordo com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a novidade beneficiará a vida de usuários em todo o país. “Trará economia para o setor, com possibilidade de reduzir custos no transporte, peças e outros componentes automotivos”, explica.

Segundo o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Mauricio Pereira, o comprimento dos caminhões cegonha que era permitido já não comportava mais o número de automóveis. “Isso estava causando um grave problema para os cegonheiros, fábricas e para o próprio consumidor, porque acabava aumentando o custo final dos veículos, já que afetava o preço do frete. O objetivo, com esta medida, não é ampliar a quantidade de unidades por caminhão, mas sim garantir que o mesmo número de veículos seja transportado”, explica Pereira.

O diretor do Denatran também esclarece que a mudança não causará prejuízos às estradas do País. “Os estudos técnicos comprovaram que não haverá impactos nem para o asfalto, nem para as rodovias, nem na circulação de veículos”, completa.

Confira a resolução na íntegra.

Arraial teen, Petrúcio e Davi Firma na Mansão Forró

A programação começa neste sábado (9) com uma balada matinê dedicada à turma teen. A farra para a galerinha, que não terá a comercialização de bebidas alcoólicas, acontecerá com o embalo dos cantores Matheus Moraes, que promete show com muito forró, e Paulo Victor, o PV Calado, que anima o público fã do sertanejo. Na área cultural, rola ainda forró pé de serra.  A casa abre a partir das 15h.

Já no domingo (10), é a vez dos cantores Petrúcio Amorim e Davi Firma cantarem para os maiores de 18. O caruaruense, autor de sucessos como ‘Filho do Dono’, ‘Meu cenário’ e ‘Anjo Querubim’, promete um show especial para a turma baladeira, que marca presença na casa.  Petrúcio, que é caruaruense, comemora o lançamento da sua biografia e promete um show também com sucessos de Gonzagão.

Davi Firma, prata da casa, leva os hits do forró estilizado e do sertanejo para o espaço localizado no bairro Maurício de Nassau. Sucessos de Safadão, Gabriel Diniz e Marília Mendonça estarão no repertório do artista.

A Mansão do Forró se consagra, mais uma vez, como o espaço oficial para o esquente antes do agito no Pátio de Eventos em Caruaru. A casa, que este ano presta homenagem ao colunista Jotta Lagos, oferece dois espaços, a área cultural (com cidade cenográfica) e o palco principal, dedicado a receber o público para as apresentações pagas. Há ainda uma praça de alimentação, com diversas opções gastronômicas. A assinatura é da TFM Promoções, de Tonynho Rodrigues, Fred Gomes e Magno Cumaru, em parceria com a TV Asa Branca.

Artigo – São João e um grito de alerta – por professor Alberes Silva*

Desde quando me entendo como gente, que escuto a famosa frase que valoriza a nossa cidade em território brasileiro, “CARUARU É A CAPITAL DO FORRÓ”. É notória que essa afirmação tem um cunho promocional de uma manifestação cultural que ganhou forças ainda no século passado, a partir de como a cidade celebrava esse período e de como o potencializou.

A festa junina ganhou ainda mais importância quando grandes cantores a homenagearam fazendo referência a esse grande festejo, como na letra “A capital do forró” na voz do saudoso Lindú, música de Jorge de Altinho.

Essa música sem sombra de dúvidas é o grande hino do nosso São João, lembro-me enquanto criança que todas as rádios AM tinham grandes programações que fomentavam essa cultura popular o ano todo, as escolas em sua maioria organizam as quadrilhas matutas, dezenas de bairros espalhados pela cidade contribuíam para a descentralização dos festejos, em suma, o povo era o dono da festa.

Principalmente a partir dos anos 2000 aprofundou-se o processo de descaracterização do nosso São João, cada vez mais centralizado e menos do povo. Apequenamos a nossa festa quando falamos dela apenas para discutirmos se a grande é boa ou não, e de forma alguma em quase nada isso contribuem para o fortalecimento cultural.

Entre várias definições o conceito de cultura que mais me agrada é aquele quando diz que cultura é aquilo que me identifica. Cultura é me enxergar nas representações do cotidiano. Dessa maneira, fica quase que impossível afirmar que Caruaru mantém uma identidade cultural voltada para o São João da mesma forma que existia há 30 anos, temos Luiz Gonzaga como referência, mas escutamos os safadões e os aviões que pouco tem de forró, admiramos o João do “pife” como quem admira uma “coisa” que só tem importância em um período do ano, mas pagamos um cachê quase que milionário para o DJ que não sabe nem sequer pronunciar corretamente o nome da nossa cidade.

A cultura deve ser fomentada diariamente, se a juventude hoje em dia tem outros gostos musicais, será que a elas não está sendo negada a oportunidade de conhecer e ouvir aquilo que nos fez sermos o que somos ainda hoje?

Se essa juventude não se identifica mais com o forró tradicional e muito menos com as manifestações que estimula esse sentimento, significa dizer que infelizmente se nada for feito estamos em uma rota de colisão com o fim da cultura do São João, e assim como no passado que éramos conhecidos pelo grande carnaval e pela festa do comércio, podemos estar repetindo a história.

Essa é uma reflexão de alerta, de fato não deixa de ser pessimista, mas levemos em consideração que ainda podemos resgatar esse sentimento não como saudosismo, mas como algo que nos identifica e que nos faz bem, existem alguns trabalhos acadêmicos e projetos que podem e devem contribuir com o fortalecimento da cultura junina, é necessário voltar os espaços que as rádios davam e se comercialmente é “difícil”, é necessário criatividade.

Os órgãos públicos e, sobretudo a prefeitura, devem incentivar principalmente nas escolas esse sentimento e construir durante todo o ano esse clima que sentimos no mês junino. Ideias eu sei que não faltam, basta o poder público abrir espaço e abraçar a causa.

A pior maneira de acabar com um povo, é acabando com sua identidade cultural… Fica a reflexão.

Esticar demais a corda pode ser erro político

Por Inaldo Sampaio

O governador Paulo Câmara deu-se ao luxo de adiar para o próximo mês de julho a escolha dos outros nomes que irão compor sua chapa majoritária, que é quando o povo, efetivamente, começará a se interessar pelas eleições. Até lá vai tocando com a barriga, sustentado por uma ampla frente partidária que insiste a todo custo em permanecer na base governista.

Isso às vezes dá resultado porque a dois meses das eleições os partidos não têm mais poder de fogo para impor uma saída à sua maneira. É caso do PCdoB, MDB e PDT, que sugeriram nomes dos seus quadros para disputar uma vaga de senador. Essa estratégia, todavia, pode revelar-se também equivocada porque alguns desses partidos, sentindo-se desprestigiados, podem migrar para a oposição.

O governador, pelo menos até agora, tem ignorado as pré-candidaturas de Luciana Santos, André Ferreira e Eduardo da Fonte. Reservou uma vaga para Jarbas Vasconcelos e gasta todas as suas energias para garantir a segunda para Humberto Costa, caso se confirme a aliança do seu partido com o PT.

Porém, não é aconselhável ignorar o pleito de Eduardo da Fonte, que é o mais pragmático dos políticos pernambucanos. Ele comanda uma tropa formada por três deputados federais (os outros são Marinaldo Rosendo e Sebastião Oliveira) e 14 estaduais e, para romper com o governo, basta levar um chá de cadeira no Palácio do Campo das Princesas.

Comitê Maio Amarelo encerra atividades nesta quarta-feira (6) em Caruaru

O Comitê Maio Amarelo em Caruaru 2018 realiza nesta Quarta-Feira (6), no Auditório do SEST/SENAT, a partir das 8h o debate “O que estamos fazendo para mudar o Trânsito?”.

O evento contará com as presenças do Secretário das Cidades do Governo de Pernambuco, Francisco Papaléo, do Diretor-Presidente do DETRAN-PE, Charles Ribeiro, e do Jornalista caruaruense Mário Flávio.

Na programação, além da Roda de Conversa, a Gerência Regional de Educação divulgará o aluno vencedor do Concurso: “Maio Amarelo em Palavras”, junto também com o seu Professor, e o Comando do BIESP irá detalhar o trabalho de 80 Policiais que já contam com a Portaria para atuarem como Agentes de Trânsito em Caruaru. O Comitê é formado em Caruaru pelos seguintes órgãos: DETRAN, DESTRA, PRF, OAB, SEST/SENAT, TV Asa Branca, Rádios Liberdade, GRE, IV GERES, SINDMOTO, APODEC, Capital do Agreste, Sindloja, Lei Seca, 4º BPM, BIESP, UNINASSAU, Unifavip, ASCES e Pedala Pernambuco.

Hemope lança nesta quarta-feira (6) campanha de São João

O Hemope lança hoje, a campanha de são João para doação de sangue, deste ano, no Hemocentro de Caruaru, às oito horas da manhã.

O evento contará com atrações como os cantores Israel Filho, Valdir Santos e Renilda Cardoso, além do Trio Pé de Serra, a banda do Quarto Batalhão da Polícia Militar de Caruaru e da Quadrilha Flor Do Caruá.

Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos e ter mais de 50kg. Para os menores de 18 anos, é necessário autorização e acompanhamento de um responsável durante a doação. No caso de maiores de 60 anos que queiram realizar a doação pela primeira vez, a iniciativa deve ser aprovada por um médico.

O Hemope Caruaru, fica na Av. Oswaldo Cruz, S/N, Bairro Maurício de Nassau e funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17h.

PT adia para fim de julho definição sobre alianças; situação em PE segue indefinida

O PT divulgou agora há pouco uma nota no site do partido informando sobre o adiamento da decisão sobre as alianças do partido nos estados. Com isso, segue a indefinição em Pernambuco. Parte do partido defende a candidatura própria e outra ala quer a sigla de volta à Frente Popular para apoiar a reeleição de Paulo Câmara. Segue a íntegra da nota do partido.

NOTA DO PT

Considerando as tratativas com os partidos de centro-esquerda e a tática nacional definida pela Direção Nacional do Partido dos Trabalhadores, de que a centralidade da nossa disputa é a candidatura nacional de Lula à Presidência da República, a Comissão Executiva Nacional resolve divulgar uma nova agenda pré-eleitoral. Todos os encontros estaduais do PT serão adiados para a data de 27 a 29 de julho, bem como o encontro nacional que será realizado entre os dias 30 de julho e 5 de agosto.

Desta forma, até que as tratativas com os demais partidos sejam acordadas, estão mantidas as pré-candidaturas aos governos estaduais, a exemplo de Fátima Bezerra,no Rio Grande do Norte, Marília Arraes,em Pernambuco, Luiz Marinho, em São Paulo, Dr. Rosinha,no Paraná, Miguel Rossetto, no Rio Grande do Sul, Paulo Rocha, no Pará, Décio Lima, em Santa Catarina, dentre outras

Direção Nacional Executiva do Partido dos Trabalhadores