PT de Caruaru critica mandado de prisão contra Lula e diz que segue com a tesa da candidatura dele ao Planalto

NOTA OFICIAL

No dia de hoje, o juiz federal de primeira instância, Sergio Moro, decretou a prisão do ex-Presidente Lula, num ato que durou cerca de 22 minutos para ser expedido. Algo que revela a exceção do ato.

Este mandado arbitrário de prisão ocorre algumas horas após o Supremo Tribunal Federal ter denegado o pedido de habeas corpus do companheiro Lula em sessão que durou quase 12 horas.

Esta medida revela a falta de isenção do magistrado exequente da ordem de prisão em decorrência de que sequer se respeitou os prazos legais de recursos ainda possíveis por parte da defesa de Lula.

Até as 17 horas do dia 06 de abril fica o companheiro Lula obrigado a se entregar à justiça brasileira.

Sendo assim, nossa luta será pela exigência que as regras constitucionais do estado democrático de direito seja assegurada. O que preocupado o PT é o fato que que nossas leis estão sendo usurpadas no Brasil para atender a uma elite que não suporta o fato do PT ter reais chances de voltar a governar este país e retomar a sua política de inclusão social, desenvolvimento econômico e estabilidade democrática, algo que não interessa aos grupos que patrocinaram o golpe institucional-parlamentar em nosso país.

Ante esta infâmia, vamos continuar resistindo e lutando pela liberdade do companheiro Lula.

Vamos continuar promovendo a candidatura de Lula a presidência pois ela interessa ao povo.

Estaremos reforçando a mobilização popular e o comitê formado em nosso município.

O Partido dos Trabalhadores em Caruaru entra em estado de alerta em conjunto com nosso partido no estado e no país a fim de podermos expressar nosso indignação contra este ato inconstitucional e adotarmos as medidas que venham a garantir o respeito à nossa Carta Magna.

Vamos à luta.

Lula Livre e pelo direito de ser candidato.

Caruaru, 05 de abril de 2018.

Renato Carvalho

Presidente do PT/Caruaru

Delegada assina filiação ao PSB

Do Blog da Folha

A delegada Gleide Ângelo se filiou ao PSB nesta quinta-feira (6), na sede estadual do partido. Ela teve a ficha de filiação abonada por João Campos, vice-presidente nacional de Relações Federativas do PSB. Na sigla, ela levará as bandeiras de apoio a mulheres vítimas de violência e do combate ao feminicídio. Não há perspectiva de ela disputar um mandato nas eleições. No entanto, o release do PSB afirma que Ângelo “deve andar junto” da principal aposta da sigla pelo Estado, João Campos.

O PSB é um partido que contempla os mais diversos segmentos da sociedade e que tem um foco de atuação na mulher. Além da repressão, quero agora trabalhar pela prevenção. Quero contribuir com projetos que possam fortalecer a rede de enfrentamento à violência contra a mulher. Precisamos lutar por políticas públicas capazes de encorajar e dar segurança às vítimas. Só assim elas poderão denunciar possíveis abusos”, ressaltou a delegada.

João Campos elogiou a nova correligionária. “Gleide Ângelo é uma mulher preparada e respeitada, comprometida com o trabalho, é um exemplo e uma referência para todos nós. Será uma honra contar com a sua contribuição no partido”, destacou João, salientando a importância da conscientização sobre os direitos das mulheres.

Defesa garante que Lula vai se apresentar nesta sexta-feira (6)

A defesa do ex-presidente Lula informou que o petista vai se apresentar na Superintendência de Policia Federal em Curitiba dentro do prazo estipulado pelo juiz Sergio Moro. O magistrado da 13ª vara Federal de Curitiba determinou que Lula deve se entregar até as 17h desta sexta-feira (5).

Segundo o advogado José Roberto Batochio, Lula “é uma pessoa absolutamente, não direi obediente, mas respeitoso ao poder judiciário e à lei. A minha impressão é que sem dúvida nenhuma ele não se ausentará”. O advogado foi entrevistado pelo jornalista Reinaldo Azevedo, na Band News FM.

O decreto de prisão foi autorizado horas após o Supremo Tribunal Federal negar na madrugada desta quinta-feira (5) o pedido de habeas corpus preventivo, protocolado pela defesa do ex-presidente Lula.

Em janeiro, o ex-presidente teve a condenação dada pelo juiz Sérgio Moro em primeiro grau, confirmada pela 8ª turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Na ocasião, os desembargadores aumentaram a pena de Lula, de nove anos e meio, para 12 anos e um mês de prisão

Políticos divididos sobre prisão de Lula

O decreto de prisão protocolado pelo juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente Lula gerou reações no Congresso Nacional, movimentando o fim de tarde desta quinta-feira (5).

Petistas e parlamentares de partidos de esquerda criticaram a decisão de Moro, defendendo o discurso de que o ex-presidente sofre perseguição política. Por outro lado, houve muita comemoração entre os adversários de Lula.

A maior parte dos políticos, no entanto, adotou um discurso mais ponderado, falando em “cumprimento da lei”. Um deles foi Rodrigo Garcia, líder do DEM na Câmara.

“A decisão do juiz Sérgio Moro segue a lei. Nós estamos em um Estado Democrático de Direito, o ex-presidente Lula teve direito à sua defesa, usou todos os recursos estabelecidos no Código Penal e foi condenado. Por isso, espero que ele se apresente conforme a determinação do juiz Sérgio Moro.”

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi mais moderado. Em nota, o presidenciável afirmou que “aqueles que têm responsabilidade pública, em qualquer nação, não podem celebrar a ordem de prisão de um ex-presidente da República”. O político continuou. “No entanto, o mandado de prisão decorreu de um processo submetido à mais alta Corte do Poder Judiciário, em que foi respeitado o amplo direito de defesa”.

Em fala polêmica, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), disse que a decisão de Moro reedita os tempos da ditadura.

“Essa violência que estão cometendo com o presidente Lula é sem precedentes na nossa história democrática. Isso vai expor o Brasil no cenário internacional. Mas isso, sobretudo, é uma violência contra a democracia e o povo brasileiro.”

Do outro lado, adversários históricos, como o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), afirmaram que prisão de Lula traz esperança aos brasileiros. Em nota, o político disse que “ninguém imaginava que um dia um ex-presidente corrupto iria para a cadeia”.

O decreto de prisão foi expedido horas após o Supremo Tribunal Federal negar na madrugada desta quinta-feira (5) o pedido de habeas corpus preventivo, protocolado pela defesa do ex-presidente Lula.

Em janeiro, o ex-presidente teve a condenação dada pelo juiz Sérgio Moro em primeiro grau, confirmada pela 8ª turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Na ocasião, os desembargadores aumentaram a pena de Lula, de nove anos e meio, para 12 anos e um mês de prisão.

Paulo Câmara lamenta mandado de prisão contra Lula

NOTA

“Hoje é um dia triste para o Brasil ver um líder popular da importância de Lula enfrentar este momento. A sua história de vida mostra que Lula é um sobrevivente, um lutador. O ex-presidente da República continua com o nosso respeito e a nossa solidariedade. Não se pode pensar que a manutenção da liberdade de Lula, neste momento, seja uma ameaça à sociedade que justifique a prisão.”

Paulo Câmara

Governador de Pernambuco

Daniel leva jovens do Livres para o PPS

O deputado federal Daniel Coelho anunciou nesta quinta-feira (5) a filiação de jovens que estavam ligados ao PSL e deixaram o partido após a ida de Bolsonaro para a legenda.

“Filiação em massa da juventude do Livres, Agora, Acredito e RenovaBR no PPS/Movimento23. “Queiram ou não queiram os juízes, o nosso bloco serás o campeão”, postou Daniel Coelho.

Senador convoca vigília na casa de Lula

Após a ordem de prisão expedida pelo juiz Sergio Moro, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) foi às redes sociais convocar uma vigília na frente da casa de Lula, em São Bernardo do Campo.

O petista pede para que os aliados cheguem a partir das 5h da manhã.

“É um absurdo, porque a defesa tinha até terça-feira para apresentar os embargos”, disse Farias. “É a hora de estarmos com o presidente Lula. Porque essa prisão é um absurdo. Ilegal, inconstitucional”, afirmou.

Após ofício do TRF4, Moro determina a prisão de Lula

Do Jota

juiz Sergio Moro, da Justiça Federal do Paraná, determinou nesta quinta-feira (4/4) a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão ocorreu após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região enviar  um comunicado ao magistrado autorizando a expedição de mandado de prisão do petista.

“Destaco que, contra tal determinação, foram impetrados Habeas Corpus perante o Superior Tribunal de Justiça e perante o Supremo Tribunal Federal, sendo que foram denegadas as ordens por unanimidade e por maioria, sucessivamente, não havendo qualquer óbice à adoção das providências necessárias para a execução”, diz o ofício do tribunal.

O procurador regional da República Mauricio Gerum defende que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não precisa aguardar a análise pelo Tribunal Regional da República da 4ª Região de eventuais novos recursos da defesa do petista, os chamados embargos dos embargos.

Representante do MP na 8ª Turma do tribunal, que é responsável pelos casos da Lava Jato, Gerum entende que a execução provisória da pena do petista pode ser iniciada quando “as partes” forem notificadas do julgamento que rejeitou os embargos de declaração contra a condenação do petista a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.  Isso deve ocorrer até o dia 10 de abril.

Na avaliação de Gerum, “o exaurimento da instância ocorre no momento em que as partes são intimadas do acórdão que julgou os embargos de declaração”, segundo informou ao JOTA a assessoria da PRR4.

O MP teve ciência nesta quinta-feira do julgamento da 8ª Turma, realizado no dia 26 de março, quando, por unanimidade, os desembargadores rejeitaram o recurso que pedia esclarecimentos e apontava obscuridades na sentença. A decisão foi tomada pelos mesmos  juízes da 8ª turma, que julgaram a apelação de Lula em 24 de janeiro: João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus.