Cadastro de doadores de medula óssea em PE cresce 173% em cinco anos

O esforço em sensibilizar a população sobre a importância de ser um doador de medula óssea tem se refletido ao longo dos últimos anos. A prova disso é que de 2013 a 2017, o número de cadastros na Hemorrede Pública de Pernambuco passou de 3.811 para 10.413 doadores.

O quantitativo representa uma ampliação de 173% nos registros de pessoas interessadas em doar medula em caso de compatibilidade. No ano passado, o Hemocentro (HC) Recife registrou 6.148 novos possíveis doadores, enquanto as unidades captadoras da Fundação Hemope no interior do Estado receberam 4.265 novos cadastros. As unidades hemoterápicas de Petrolina e Ouricuri, no Sertão pernambucano, tiveram o melhor desempenho, com 908 registros cada.

Para ser um doador, o interessado, que deve ter entre 18 e 55 anos, pode procurar o hemocentro do seu Estado e agendar uma consulta de esclarecimento ou palestra sobre doação de medula óssea. O voluntário irá assinar um termo de consentimento e preencher uma ficha com informações pessoais. Será retirada uma pequena quantidade de sangue (10 ml) do candidato a doador. É necessário apresentar um documento de identidade neste processo. O sangue do possível doador será analisado em laboratório para identificar características genéticas que vão ser cruzadas com dados de pacientes que necessitam de transplantes para determinar a compatibilidade.

Todos os dados são incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Quando houver um paciente com possível compatibilidade, o doador será consultado para decidir quanto à doação. Vale lembrar que o cadastro deve estar atualizado. “Temos muitas perdas porque o cadastro do possível doador está desatualizado e não conseguimos contactá-lo”, ressalta Josiete. Os doadores podem atualizar as informações pessoais pelo site do Inca (Instituto Nacional do Câncer) ou através do e-mail redome@hemope.pe.gov.br.

DADOS – Desde o primeiro transplante de medula óssea em Pernambuco, em 1999, já foram realizados 1.968 procedimentos no Estado. Em 2017, foram 225 procedimentos (187 em 2016 – crescimento de 20%). Em 18 anos de transplantes de medula óssea no Estado, 2015 registrou o maior número de procedimentos (233).

Lula: “Não vou me matar nem fugir do Brasil”

Lula

O ex-presidente Lula concedeu uma longa entrevista à Folha de S.Paulo em que voltou a reafirmar sua tranquilidade diante da certeza de sua inocência e da ausência de provas que o incriminem.

“Sabe por que não tenho medo? Porque eu tenho a consciência tão tranquila. Sabe do que eu tenho medo de verdade? É se esses caras pudessem mostrar à minha bisneta que fez um ano no domingo que o bisavô dela roubou um real. Isso realmente me mataria”, disse o petista.

Lula rejeitou a comparação do atual momento com o período que antecedeu o suicídio de Getúlio Vargas.

“Até porque não vou me matar. Eu gosto da vida pra cacete. E quero viver muito. Tô achando que eu sou o cara que nasceu para viver 120 anos. Dizem que ele já nasceu, quem sabe seja eu?

Tô me preparando. Levanto todos os dias às 5h da manhã, faço duas horas e meia de ginastica, tomo whey [complexo de proteínas] todo dia para ficar bem forte. E vou levando a vida assim. Eu não tenho essa perspectiva nem de me matar nem de fugir do Brasil. E vou ficar aqui. Aqui eu nasci, aqui é o meu lugar. Eu não tenho medo de nada. Só de trair o povo desse país. É por isso que eu estou aqui, fazendo a minha guerra”, disse.

Líder absoluto nas pesquisas, Lula aproveitou para falar como sua candidatura incomoda. Tanto à esquerda quanto à direita. O petista rebateu a declaração de Ciro Gomes de que “ninguém acredita que ele seja candidato”.

“Se eu não acreditasse na possibilidade de a Justiça rever o crime cometido contra mim pelo [juiz Sergio] Moro, [que o condenou à prisão] e pelo TRF-4 [Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que confirmou a sentença], eu não precisaria fazer política.

(…)

Não acho que ninguém acredita na possibilidade de eu ser candidato. Era mais fácil o Ciro dizer “tem gente que não quer que Lula seja candidato”. E ele quem sabe se inclui nisso.

Só tem unanimidade hoje no meio político: as pessoas não querem que o Lula seja candidato. O Temer não quer, o Alckmin não quer, o Ciro não quer. Eles pensam: “ele [Lula] vai para o segundo turno e pode até ganhar no primeiro. Se ele não for candidato, em vez de uma vaga no segundo turno, podemos disputar duas”. Aumenta a chance de todo mundo.”

Clique aí e leia na íntegra: entrevista à Folha de S.Paulo

Comissão de Meio Ambiente aprova visitas a lixões e aterros sanitários em Pernambuco

02.03-ZE-MAURICIO-GC-6

A Comissão de Meio Ambiente aprovou a realização de visitas técnicas a lixões e aterros sanitários em todas as regiões de Pernambuco. O presidente do Colegiado, deputado Zé Maurício, do PP, destacou que, segundo um relatório divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado, apenas 51 dos 185 municípios cumprem a legislação que trata do descarte adequado de resíduos sólidos.

O parlamentar afirmou que a busca por alternativas aos lixões a céu aberto vai ser a principal frente de atuação do grupo no semestre. “Então ver junto ao Governo Federal, ver junto com a Secretaria do Meio Ambiente o ICMS socioambiental, como também com o Ministério do Meio Ambiente, o que tem de programas para poder incentivar que os municípios criem suas políticas de resíduos sólidos. Então vai ser essa a pauta que vamos ter neste semestre.”

Ainda na mesma reunião, o Colegiado ouviu a demanda do representante da ONG Movimento dos Amigos da Lagoa da Boa Ideia, Josué da Silva. O ativista denunciou a degradação do reservatório, situado na Zona Oeste do Recife, e pediu providências. “A revitalização dessa lagoa. Em outro momento, no ano de 2014, houve uma audiência e não foi feito praticamente nada, e a gente está trazendo essa demanda novamente para convocar o poder público.”

Os membros da Comissão concordaram em realizar uma visita à lagoa na próxima quarta. Após avaliar as condições do local, o Colegiado deverá convocar uma audiência pública com representantes das instituições envolvidas, como Prefeitura do Recife, Secretaria do Meio Ambiente, Compesa, CPRH entre outras.