Quem está rebaixando o Brasil? – por Marina Silva

Uma das agências de avaliação de risco rebaixou a “nota” do Brasil, numa escala que mede a capacidade do país em pagar sua dívida. O efeito político é dúbio: avalia a fraqueza do governo de Temer e mostra que suas medidas não surtiram os efeitos esperados, mas, ao mesmo tempo, dá força ao governo para “esticar a corda” e propor novas medidas no mesmo rumo das anteriores.

Diga-se, também, que a agência em questão também não tem uma boa nota: sua credibilidade foi questionada após classificar com notas altas os “títulos podres” que geraram a crise de insolvência de 2008, a maior crise econômica mundial na história recente. Mas suas avaliações ainda influenciam as decisões de investimento em todo mundo.

Sem tirar nem dar excessiva importância a mais esse episódio da crise brasileira, é importante ter clareza do que realmente tem trazido prejuízos ao país. A agência alega que o governo não está tendo apoio da sua base parlamentar para aprovar, no Congresso, as reformas que possam corrigir o desequilíbrio fiscal. Dessa forma, é como se o governo fosse o mocinho e o Congresso fica sendo o grande vilão.

Olhando bem: o governo não enfrentou pra valer os privilégios e gastos abusivos, fáceis de encontrar no Executivo, no Legislativo e no Judiciário. Os escandalosos super-salários, por exemplo. Seu esforço tem sido em outro sentido. Exemplos: tentar mudar a Constituição e acabar com a dita “regra de ouro”; aprovar medidas provisórias que favorecem os maus pagadores do Estado, perdoando multas e juros e dando parcelamentos a perder de vista; liberar emendas para livrar o presidente Temer das graves denúncias de corrupção feitas pelo Ministério Público; enfraquecer a Operação Lava Jato. A lista é grande.

Num ano eleitoral, como este, vai ficar cada vez mais difícil evitar o debate sobre as decisões políticas e econômicas tomadas sem a participação da sociedade. No final das contas, os brasileiros também darão a sua nota. E podem reprovar as pessoas, as propostas e as ações que estão, de fato, rebaixando o Brasil.

Arrecadação em Jaboatão cresceu 7% em 2017 em relação a 2016, por Inaldo Sampaio

Apesar da crise fiscal que aflige a União, os estados e os municípios, Jaboatão dos Guararapes foi uma exceção à regra em 2017. O prefeito Anderson Ferreira informou nesta sexta-feira (12) que houve aumento de 7% na arrecadação do ano passado em relação ao exercício anterior. Foram arrecadados R$ 928 milhões, ante R$ 868 milhões em 2016. E a previsão para 2018 é um crescimento da mesma ordem: 7%. Isso deu condições ao município para manter suas finanças em ordem e com a folha de pagamentos abaixo do limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. “Assumimos a prefeitura com o compromisso de manter uma máquina enxuta, moderna e transparente. Atraímos investimentos importantes e conquistamos a confiança do cidadão através de ações espalhadas por todos os recantos do município. Tudo isso resultou em mais arrecadação, salários em dia, convocação de servidores concursados, avanços na saúde, na educação e nas ações de infraestrutura”, declarou o prefeito.

Segundo ele, contribuíram para o aumento da receita em 2017 o pagamento do IPTU (27% superior ao de 2016), a eficiência na cobrança da dívida ativa (+ 0,4%) e repasses do ICMS (+ 3%) e do IPVA (+ 2%). Isso possibilitou à prefeitura elevar seus gastos com educação, alcançando 27% da receita de impostos, quando o mínimo constitucional é 25%.

Jotta foi minha referência no colunismo social – por Jaciara Fernandes*

Difícil perder pessoas queridas. Sexta-feira de muita tristeza com a partida do nosso Jotta Lagos, com quem muito aprendi na minha profissão e na vida. Foi dele a festa, no extinto Hotel do Sol, que fui mestre de cerimônia pela primeira vez na minha vida. Aos 18 anos fiquei muito nervosa pela responsabilidade que encarei e ao final ele me parabenizou e daí em diante lá estava eu, sempre anunciando os homenageados de Jotta na ‘Festa de Debutantes’ e na ‘A Grande Noite’.

Na última quarta-feira passei a tarde no hospital com ele, que se mostrou animado e já com datas marcadas para o Forró Society (1º de junho) e ‘A Grande Noite’, em novembro. Foram momentos de alegria onde falamos sobre a biografia dele que seria escrita pela jornalista Núbia Silva e eu teria o prazer de assinar a orelha do livro e de relembrar fatos interessantes desde que nos conhecemos no Jornal Vanguarda.

Com certeza Jotta foi a minha referência no colunismo social. Devo a ele ter desenvolvido uma escrita ‘leve’ para falar de coisas boas, mesmo quando atuava nas ‘redações da vida’ em busca de pautas factuais, onde, infelizmente, as notícias nunca são positivas. Trabalhamos por muitos anos juntos na TV Pernambuco, no ‘Programa Gente Especial’, tive uma breve passagem com ele na extinta TVI no ‘Programa Encontro na TV’, que tinha como repórter o também colunista social Paulo Magrinny.

Na Rádio Liberdade AM foram 16 anos de convivência, onde ele ancora o ‘Programa Jotta Lagos em Sociedade’ e eu fazia parte da bancada com ele. Éramos dirigidos pelo amigo Josa Rodrigues, o nosso ‘Ministro. Tivemos a oportunidade de receber muitos convidados. Entre os momentos inesquecíveis estão as cinco entrevistas que fizemos com o Mestre Dominguinhos, que adorava abrir o coração para nós, com os microfones fechados, claro!

Dinâmico, Jottinha atuou como ator no espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Fazenda Nova, onde conheceu o cineasta italiano Franco Zeffirelli. Também foi diretor social do Central Sport Club, tendo mais uma vez como madrinha ‘Dona Zefinha”. Foram 50 anos de colunismo social sua última festa foi ‘A Grande Noite’, há pouco mais de 1 mês, no dia 8 de dezembro, quando mais uma vez conseguiu reunir a sociedade para a entrega dos Prêmios Gente Especial, Mulher e Empresa. Como em toda amizade, também brigávamos, mas logo fazíamos as pazes. Ele costumar dizer que havia entre nós um casamento perfeito. Jottinha, meu muito obrigada por tudo, de coração.

*Jaciara Fernandes é jornalista

Artigo – A minha tarefa é manter com do dignidade o homem no campo – por Zé Carlos Menezes*

Quando aceitei, com muita honra, o convite da Prefeita Raquel Lyra para assumir a Secretaria de Sustentabilidade e Desenvolvimento Rural, imediatamente fui tomado por uma marca pessoal que é a de contribuir com a sociedade e fazer o melhor pela minha cidade.

A Secretaria que estou à frente, no conjunto do governo municipal tem o objetivo da formulação e coordenação de políticas públicas relacionadas com o desenvolvimento rural sustentável. Visa atualizar processos, métodos e sistemas para modernizar a vida rural, além de prestar assessoria direta ao homem e à mulher do campo.

Neste sentido, o nosso compromisso maior de governo é fazer o trabalho acontecer. É o que estamos fazendo. O nosso comprometimento é estar junto com os pequenos produtores para que a força do campo seja, de fato, propulsora da economia, gerando oportunidades e renda.

Estou iniciando uma gestão que segue a linha do Projeto de Governo Municipal no qual o diálogo é a tônica. Formamos uma equipe e traçamos os nossos primeiros objetivos: abrir estradas, lutar para fazer chegar água às terras de quem produz, incentivar a agricultura familiar, procurar ter solução para as questões apresentadas e discutidas com as associações rurais no sentido de que as mesmas possam, entre si, estabelecer parcerias para o cultivo de produtos, servindo de fundo para custear as suas despesas.

Não tenho dúvidas de que fazer gestão pública é, sobretudo, ser ético, criativo e realizar o trabalho que a municipalidade custeia com seus impostos, necessita e exige dos seus representantes. Trabalho este que não pode nem demorar, nem deixar de ser feito. A necessidade impõe que a “roda do carro seja trocada com ele em movimento”. Esta é uma das minhas características principais como gestor.

Temos algumas metas e já as estamos colocando em execução. Uma delas é viabilizar o programa “Porteira aberta” que tem como objetivo dar suporte aos pequenos produtores, realizando ações de auxílio ao agricultor caruaruense. Reforçar o trabalho com os Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural (CMDR), Segurança Alimentar e Assistência Social, Meio Ambiente, Produtores Rurais e Movimentos Sociais. O trabalho está só começando!

*Zé Carlos Menezes é Secretário de Sustentabilidade e Desenvolvimento Rural.

PT-PE cria bloco do ‘Sapo Barbudo’ em homenagem a Lula

Militantes do PT de Pernambuco lançam neste sábado (13), em Olinda, a Troça Carnavalesca Mista O Sapo Barbudo, em homenagem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A ação é parte da mobilização nacional de apoio ao petista que será julgado em segunda instância no final deste mês .

“O bloco se junta a outras atividades no país, em defesa de Lula e da democracia”, diz a secretária da Cultura do PT no Estado, Teresa Huang. A concentração da troça -como os pernambucanos chamam as pequenas e improvisadas agremiações- começa às 14h, na praça do Carmo, centro histórico da cidade.

Uma orquestra de frevo e outros dois blocos ligados ao partido no Estado participam do desfile. Antes da saída, prevista para as 16h, acontece uma oficina de serigrafia para as pessoas pintarem suas camisas. “Sapo barbudo” foi uma expressão utilizada por Leonel Brizola para se referir a Lula durante as eleições de 1989. “Aproveitando o momento de irreverência, a gente decidiu sair com uma troça carnavalesca para também disputar a narrativa [de apoio à candidatura de Lula] nesse momento de Carnaval”, diz Huang.

Frevo

O hino do bloco foi criado pelo compositor Alex Mono. A letra alfineta o juiz Sergio Moro (“vai ter que engolir”), que condenou o ex-presidente em primeira instância, e fala de “Justiça sem perseguição” e “respeito à democracia”.

Há, ainda, referência a trecho do frevo “Madeira que Cupim Não Rói”, de Capiba. Na versão de “O Sapo Barbudo”, a frase “queiram ou não queriam os juízes, o nosso bloco é de fato campeão” virou “queiram ou não queiram os juízes, o sapo barbudo vai participar da eleição”.

Um clássico do Carnaval pernambucano, a canção virou símbolo da campanha de Eduardo Campos ao governo de Pernambuco, em 2006, após ser cantada pelo escritor Ariano Suassuna nos comícios do socialista e na festa de eleição.

Mobilização
Além do lançamento do bloco, neste sábado os militantes do PT organizam em Pernambuco ações de panfletagem e distribuição de adesivos nas ruas, praias e nos mercados públicos. Nos dias 23 e 24, véspera e dia do julgamento de Lula, o partido faz uma vigília na praça Tiradentes, Bairro do Recife, para acompanhar a decisão dos desembargadores do TRF-4, de Curitiba.

Veja a letra do hino do bloco:

A Troça do Sapo Barbudo

Composição: Alex Mono

Nossa troça tá na rua

Vem pra fazer a festa popular

É a Troça do Sapo Barbudo

Que o Moro vai ter que engolir

Queremos justiça sem perseguição

A soberania da nossa nação

Em respeito à democracia

Pelo direito do trabalhador

Queiram ou não queiram os juízes

O Sapo Barbudo vai participar da eleição

Laura e Marcelo Gomes emitem notas de pesar

Nota

Jotta Lagos teve o dom de fazer as pessoas brilharem. Ter uma foto ou nota publicada nas suas colunas ajudou a projetar muita gente. Seu colunismo, praticado com ética e responsabilidade, serve de exemplo e inspiração. Com a sua partida, o céu ganhou uma estrela e a gente fica aqui com uma imensa saudade. Meus sentimentos a toda família.

Laura Gomes

deputada estadual

Nota de pesar

Jotta Lagos era um amigo da nossa família. Frequentávamos suas festas e, com sua generosidade, tornava-nos notícia. A sua partida deixará um vazio no colunismo social do Estado, pois foi um dos pioneiros na nossa cidade e fez escola. Deixa um legado inspirador para a nova geração.

Meu abraço fraterno a toda família.

Marcelo Gomes

Nota de pesar do ex-prefeito Zé Queiroz

Eu e Carminha recebemos a notícia da morte de Jotta Lagos com imensa tristeza. Caruaru, ao ver Jota Lagos partir, registra a perda de um valoroso colunista, humano, afável e cordial. Deixará uma lacuna no colunismo pernambucano e uma eterna saudade. Nosso abraço fraterno para toda a família.

Zé Queiroz

Ex-prefeito de Caruaru

Raquel Lyra lamenta morte de colunista Jotta Lagos

Nota de pesar

É com muito pesar que recebo a notícia do falecimento do amigo colunista social de Caruaru, Jotta Lagos. Pernambuco e, principalmente, a Capital do Agreste perdem um grande profissional, que fez história no colunismo social promovendo nossa cultura e personalidades importantes de nossa cidade. Presto minha solidariedade aos familiares e amigos.

Raquel Lyra

Prefeita de Caruaru

Presidente da Câmara de Caruaru emite nota de pesar em memória de Jotta Lagos

Nota de pesar

A Casa Jornalista José Carlos Florêncio lamenta o falecimento do colunista social Jotta Lagos. Por anos, Jotta levou o nome de Caruaru e de Pernambuco para o mundo através dos seus trabalhos no colunismo social. Onde passou, fez amigos, criou laços e o mais importante: construiu um legado seguido por muitos. Toda solidariedade da Câmara de Caruaru aos familiares e admiradores de Jotta.

Lula Tôrres

Presidente da Câmara Municipal de Caruaru

Alberes Lopes lamenta morte do colunista social Jotta Lagos

O vereador Alberes Lopes manifesta seu luto e pesar pela morte do amigo colunista social Jotta Lagos, ocorrida na noite desta sexta-feira (12), em Caruaru, aos 69 anos de idade.

Juvanci Brasilino Lagos, o Jotta Lagos, dedicou cerca de 50 anos de sua vida ao colunismo social, promovendo as grandes festas de Caruaru e do interior de Pernambuco. Por seu talento profissional, carisma e respeito ao próximo, tornou-se referência em todo o Estado.

Alberes, neste momento de profunda tristeza, solidariza-se aos seus familiares e amigos, e deseja que todos encontrem em Deus o conforto necessário.