Daniel Coelho diz que convenção do PSDB foi ilegítima, deixa evento e critica postura de Bruno Araújo

daniel-coelho-foto-agencia-camara

Uma tarde que tinha tudo para mostrar que o PSDB de Pernambuco estava unido terminou em confusão e com o deputado federal Daniel Coelho subindo o tom contra o ministro Bruno Araújo, eleito presidente estadual da legenda. De acordo com Daniel, ele foi excluído do processo por não concordar com o apoio ao governo de Michel Temer. “Tivemos um episódio deplorável nessa convenção. Sempre tive uma posição que qualquer corrupto deve ser investigado, não podemos partidarizar a discussão da ética. Votei pelo impeachment de Dilma, contra Eduardo Cunha e Temer e por isso, estou sofrendo retaliações dentro do partido, uma perseguição nacional, eu achei que não iria acontecer aqui”, disse.

Daniel Coelho disse ainda que vai até a Executiva Nacional do partido para tentar anular o ato. “Isso só traz mais vergonha para o PSDB. Parte do partido está perdida com o fisiologismo”, disse. Ainda de acordo com o deputado federal, a convenção foi feita como eram os atos políticos dos “velhos coroneis”. Segundo ele, a chapa foi votada sem os eleitores saber quem eram os candidatos.

Sobre Bruno Araújo, Coelho foi enfático. “Com a atitude que foi tomada nessa convenção, eu lamento e acho que o ministro Bruno mostrou-se autoritário e perdeu a mão. Esse ato deveria representar a unidade do partido e ele acha que é o dono do PSDB, nomeando todo mundo e fazendo tudo do jeito que ele quer. Com isso, ele perde condições de alçar voos majoritários”. A entrevista completa você escuta nesta segunda-feira (6), a partir de 7h no Jornal das 7, na Globo FM 89,9.

Ex-deputada Aline Corrêa é indiciada pela PF por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

aline-correa-reprodução-internet

Do Blog de Inaldo Sampaio

A ex-deputada federal Aline Corrêa (PP-SP), filha do ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE), foi indiciada pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava Jato, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ela é acusada de ter recebido dinheiro de propina do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Yousseff.

Segundo a delegada Renata da Silva Rodrigues, que conduz o inquérito, “entendo que há indícios de autoria e materialidade quanto à prática, por Aline Corrêa, do crime de lavagem de dinheiro e corrupção, uma vez que aderiu à conduta criminosa de Pedro Corrêa, Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, recebendo recursos em espécie por determinação de seu pai, e tendo atuado para recebimento de recursos inclusive em benefício de sua campanha eleitoral de 2010”.

Segundo a investigação, a ex-deputada esteve no escritório de Alberto Yousseff, na Avenida São Gabriel, em São Paulo, pelo menos 40 vezes entre agosto de 2010 e setembro de 2012 para apanhar dinheiro em espécie.
Alberto Youssef disse aos investigadores que Aline Corrêa recebia mensalmente R$ 30 mil do “caixa dois” da Petrobras da quota que cabia ao PP.

Ela própria confirmou à PF que esteve no escritório do doleiro várias vezes para apanhar dinheiro a pedido de seu pai. Que, ao juiz Sérgio Moro, assumiu toda responsabilidade pelo recebimento do dinheiro, isentando a filha de qualquer responsabilidade.

Caravana de Caruaru na eleição de Bruno Araújo como presidente do PSDB de Pernambuco 


O ministro das Cidades Bruno Araújo vai ser eleito na convenção do PSDB como presidente estadual do partido. Uma caravana de tucanos aqui de Caruaru estão no local. Além da prefeita Raquel Lyra, estão o ex-governador João Lyra Neto, o vice-prefeito Rodrigo Pinheiro, o secretário municipal de Governo, Rubens Júnior e o secretário da Fazenda, Diogo Bezerra. Outras lideranças também estão no evento, que é uma espécie de lançamento da pré-candidatura de Araújo ao governo. 

Estão por lá o irmão de Eduardo Campos, Antônio Campos, o senador Fernando Bezerra Coelho, Débora Almeida, os ministros Raul Jungmann e Fernando Filho, os deputados federais Jorge Corte Real e Daniel Coelho, além da deputada estadual Priscila Krause.

PCdoB lança pré-candidatura de Manuela D’Avila à presidência da República


Em comunicado à imprensa divulgadao neste domingo (5), a presidenta nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Luciana Santos, informa que a deputada estadual Manuela D’Avila será a pré-candidata do partido à presidência da República.
Manuela é jornalista e deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, já tendo cumprido dois mandatos como deputada federal, quando foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados. Foi indicada três vezes pelo Diap como uma das 100 “Cabeças” do Congresso e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil. 

Em 2014 foi eitadeputada estadual e atualmente é também Procuradora Especial da Mulher da Assembleia Legislativa.

Em 1999, filiou-se à União da Juventude Socialista (UJS). Também foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Em 2004, com 23 anos, foi eleita a mais jovem vereadora de Porto Alegre.

No PCdoB, ingressou em 2001 e, em 2013, foi eleita presidente estadual do partido. Na Câmara Federal, Manuela foi autora da Lei do Estágio e relatora do Vale-Cultura e do Estatuto da Juventude, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e foi coordenadora da bancada gaúcha. Como deputada estadual, apresentou projetos importantes e foi proponente de diversas audiências públicas para debate de problemas e soluções com a população.

Confira a íntegra do comunicado:

1. O Partido Comunista do Brasil decidiu na data de hoje lançar a pré-candidatura de Manuela d’Ávila à presidência da República.

2. Trata-se de uma pré-candidatura que tem como algumas de suas linhas programáticas mais gerais a retomada do crescimento econômico e da industrialização; a defesa e ampliação dos direitos do povo, tão atacados pelo atual governo; a reforma do Estado, de forma a torna-lo mais democrático e capaz de induzir o desenvolvimento com distribuição de renda e valorização do trabalho.

3. Manuela d’Ávila é jornalista, tem 36 anos e é deputada estadual desde 2014, a mais votada naquele pleito. Cumpriu dois mandatos como deputada federal, tendo sido, nas duas ocasiões, a mais votada do Rio do Grande do Sul. Em 2010, teve mais de 400 mil votos, o que representou 8,06% dos sufrágios. Foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, indicada três vezes pelo DIAP como uma das 100 “Cabeças” do Congresso e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil. Na Câmara Federal, Manuela foi autora da Lei do Estágio e relatora do Vale-Cultura e do Estatuto da Juventude, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e foi coordenadora da bancada gaúcha.

4. Será convocada uma entrevista coletiva com a deputada Manuela d’Ávila e a presidenta do PCdoB, Luciana Santos, na qual mais detalhes serão oferecidos à imprensa.

São Paulo, 5 de novembro de 2017

Luciana Santos
Presidenta Nacional do PCdoB