Artigo – O FBC de sempre – por Raul Henry*

“Fomos afundados numa crise sem precedentes. Tenho muita confiança porque sei que o governador Paulo Câmara passou dois anos equilibrando as contas, para agora voltarmos a crescer. As receitas pouco a pouco vão se recuperando. Aqueles que querem antecipar o calendário eleitoral, vão quebrar a cara”. E mais: “Vivemos um momento de radicalização política e Paulo é o governador certo para este momento. Ele é sereno, sabe ouvir as pessoas e vem conduzindo o Estado com grande responsabilidade e zelo”.

As afirmações acima foram feitas, há menos de seis meses, pelo senador Fernando Bezerra Coelho. O mesmo que ontem, em artigo no Jornal do Commercio, tentou desqualificar o governador.

No texto, o senador reconhece que Pernambuco sofreu os efeitos da maior crise econômica da história do País, consequência da desastrosa gestão da presidente Dilma Rousseff. No entanto, também esquece que serviu ao Governo da ex-presidente.

Esse é o senador Fernando Bezerra Coelho. Sempre que enxerga um novo projeto eleitoral, revela as principais marcas da sua trajetória política: o oportunismo e a traição.

Pernambuco sofreu sim os efeitos da grande recessão brasileira. Mas o governador Paulo Câmara, com dedicação, honestidade e espírito público, fez o dever de casa. Os dados do 1º semestre de 2017 confirmam. Enquanto a economia nacional patinou próxima a 0%, o PIB estadual cresceu 2,3%, mais que o dobro de Bahia e Ceará.

Aqui, realizamos o maior ajuste fiscal do Brasil. Um corte nominal de 2,5% nas despesas de custeio. Quanto aos empreendimentos privados, atraímos 377 novas empresas num montante de R$ 2,7 bilhões.

No enfrentamento à maior seca da história, já foram investidos R$ 1,6 bilhão em mais de 100 obras hídricas.

Na área da segurança, 2.800 novos policiais foram colocados nas ruas. Mais 2.600 estão se preparando para ampliar o efetivo. O Governo Estadual está investindo R$ 290 milhões em novas viaturas e equipamentos.

Mais que isso: estamos cuidando do futuro da nossa juventude. Hoje, o Estado tem a melhor escola pública de ensino médio do Brasil.

Por essas e outras razões, faço minhas as palavras do senador: Paulo é a pessoa certa, no lugar certo, na hora certa. E, por isso, vai ter o reconhecimento do povo de Pernambuco.

*Raul Henry é vice-governador de Pernambuco

PSDB de Pernambuco convoca o ministro Bruno Araújo para assumir a presidência do partido; ele aceitou

Bruno Araujo - Foto: George-Gianni/PSDB

Por meio de uma carta-aberta divulgada nesta quarta-feira (4), as principais lideranças do PSDB de Pernambuco fazem um apelo ao ministro das Cidades, Bruno Araújo, para assumir a presidência regional do partido.
Com isso, isolaram completamente o ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho e de Jaboatão dos Guararapes, que se ofereceu ao partido para assumir a sua presidência e disputar o governo estadual em 2018.

Veja, abaixo, a íntegra da carta aberta;

Considerando como melhor alternativa para conduzir o processo de fortalecimento do PSDB em Pernambuco, tendo em vista as eleições gerais de 2018, resolvemos convocar o ex-líder do partido na Câmara e ex-presidente da legenda no Estado, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, para assumir a presidência estadual do partido.

II- Entendemos que o ministro reúne as condições para dar continuidade ao trabalho do deputado Antônio Moraes, no sentido de fortalecer o partido com a consolidação de seus diretórios municipais, e no processo de aglutinação e ampliação de alianças visando à eleição dos candidatos do PSDB na eleição do próximo ano.

III- O cenário político/eleitoral, no país e em Pernambuco, ganhará novas configurações nos próximos meses e o PSDB, por tradição, precisa reafirmar sua presença, consolidando os princípios da social democracia.

IV- Portanto, movidos pelo legítimo interesse, que acreditamos ser compartilhado por todos, de expandir e fortalecer o partido, oferecemos amplo respaldo ao ministro Bruno Araújo para, na condição de presidente, conduzir os rumos do PSDB em nosso Estado.

V- Entendemos que, em função das relevantes tarefas exercidas hoje pelo ministro no plano nacional, seremos todos exigidos a lhe oferecer suporte necessário à condução do PSDB no sentido de aumentar seus diretórios e expandir a atuação de seus segmentos como Juventude, Mulher, Tucanafro, Diversidade e o órgão de formação política, o Instituto Teotônio Vilela.

VI- Consideramos oportuno registrar a intensa colaboração dada ao partido pelo companheiro Elias Gomes. Com a sua liderança, seguramente continuará a contribuir para o fortalecimento do PSDB, unindo-se a essa manifestação que tem apenas como objetivo nossa união e o somatório de forças para que, num futuro breve, resultem na vitória expressiva de nossos candidatos.

Entre os tucanos que assinam a carta estão a prefeita Raquel Lyra e o ex-governador João Lyra Neto. E logo após a divulgação dessa nota, o ministro divulgou outra nota e disse que aceita a convocação.

PF prende presidente do COB, e braço-direito também é alvo de prisão na Lava-Jato

71456024.zip.jpg.pagespeed.ce.oXEnrNhBh6

Do Jornal O Globo

Em novo desdobramento da Operação Unfair Play, a força-tarefa da Lava-Jao está nas ruas para prender temporariamente o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Arthur Nuzman, e seu braço-direito Leonardo Gryner. Na segunda-feira, o GLOBO mostrou que Gryner se reuniu em um hotel em Paris, em 2009, com o empresário Arthur Soares, acusado de pagar milhões em subornos ao ex-governador Sérgio Cabral e atualmente foragido.

O “Rei Arthur”, apelido de Soares, é apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como responsável pelo pagamento de US$ 2 milhões (R$ 3,5 milhões, na cotação da época) em propina ao senegalês Papa Massata Diack. Segundo o MP francês, em troca, o pai dele, Lamine Diack, à época presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), votaria na candidatura do Rio durante a eleição realizada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), no dia 2 de outubro de 2009, na Dinamarca.

Governo dará “bonificação” a policiais que cumprirem metas do “Pacto pela Vida”

paulo camara

Na luta que ora empreende em Pernambuco para reduzir os índices de violência, o governador Paulo Câmara enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa prevendo uma “bonificação” para os militares que cumprirem metas estabelecidas pelo programa “Pacto pela vida”.

O projeto foi aprovado nesta quarta-feira (4) na Comissão de Administração Pública e agora seguirá para o plenário.

O projeto prevê uma premiação de até R$ 2 mil para os policiais militares e civis que apreenderem armas de uso exclusivo das Forças Armadas e de até R$ 1 mil para os que obtiverem bons resultados nas ações de combate ao tráfico de drogas.