Suplente toma posse em Garanhuns

Suplenteuplente

Tomou posse na Câmara de Vereadores de Garanhuns o suplente de vereador Luiz Carlos Albuquerque Cavalcante, – Luiz Leite (PHS). Após convocação feita pela Presidência da Casa Raimundo de Moraes, como determina o Regimento Interno, o suplente assumiu as funções legislativas, a princípio por um pequeno período, em substituição ao vereador Marinho da Estiva, que foi suspenso de suas ações parlamentares temporariamente, por ter sido preso na semana passada, suspeito de ajudar uma quadrilha que roubava cargas na região.

Em solenidade bastante prestigiada, Luiz Leite, assinou o livro de posse e proferiu o juramento de acordo com o artigo 172 da Lei Orgânica Municipal. Antes, coube ao primeiro secretário, vereador Ary Junior (PTB) conferir a documentação necessária, diploma e declaração de bens do suplente para só assim autorizar à Presidência a continuidade da Cerimônia de Posse.

Ao proferir o seu discurso na tribuna do Plenário Álvaro Brasileiro Vila Nova, o já vereador Luiz Leite destacou como será o seu mandato. “Estou ciente de que as minhas ações como vereador podem ser por um breve período de tempo mas, isso não irá impossibilitar-me de trabalhar para o bem de nosso povo. Registro também que estou muito orgulhoso em poder continuar com o legado e exemplo de homem público que foi meu pai, o ex-vereador Pedro Leite, que atuou durante três mandatos aqui nesta prestigiada Casa”, afirmou o Vereador.

A presidente da Câmara de vereadores, vereadora Carla de Zé de Vilaço, ressaltou que um Legislativo forte é parte essencial da democracia e que todas as atividades adotadas são baseadas na Lei, atendendo o que determina o Regimento Interno do Poder Legislativo Municipal.

Luiz Leite é ex-aluno do Colégio Diocesano de Garanhuns, formado em administração e chega ao seu primeiro mandato como vereador em Garanhuns. Obteve 1376 votos e fará parte da base de apoio ao prefeito Izaías Régis.

Reunião entre Paulo Câmara e Raquel Lyra aborda segurança e São João

Relação é tensa entre governador e prefeita de Caruaru

Relação é tensa entre governador e prefeita de Caruaru

No final da tarde desta terça-feira (16), a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, se reuniu com o governador Paulo Câmara, no Palácio do Campo das Princesas. Para a conversa, a prefeita levou temas como a garantia de verba para o São João, segurança, água e a municipalização do Hospital São Sebastião.

Em relação à segurança, a prefeita de Caruaru pediu ao governador que ele estenda a Operação RONE até a instalação do Batalhão da PM Especializado e pediu garantia de segurança no período junino na Capital do Forró.

“O governador garantiu a manutenção da Operação RONE, da Polícia Militar, até quando for necessário e me adiantou que, em breve, o secretário de Defesa Social Ângelo Gioia irá falar sobre a segurança do nosso São João na cidade de Caruaru. Sendo assim, podemos garantir tranquilidade para o nosso povo”, disse Raquel.

Ao sair da audiência, Raquel também informou que o Governo do Estado irá garantir o mesmo apoio financeiro e logístico destinado no ano passado. Já sobre soluções para falta de água em Caruaru e a municipalização do Hospital São Sebastião, a chefe do executivo municipal saiu otimista da reunião.

“Discutimos a questão de reforçar o abastecimento hídrico na nossa cidade e apelamos para o início da construção da barragem de Serro Azul. O governador se comprometeu em envidar esforços para que diminuísse o prazo de término dos estudos junto ao Banco Mundial”, detalhou a prefeita.

Por fim, Raquel informou que o Governo do Estado irá analisar a melhor forma de ajudar a trazer melhorias para a saúde do povo de Caruaru com a municipalização do Hospital São Sebastião.

Incêndio é controlado na Feira da Sulanca de Caruaru

WhatsApp Image 2017-05-16 at 22.59.40

Do G1 Caruaru

Um incêndio de pequena proporção na noite desta terça-feira (16) atingiu aproximadamente 10 bancos da feira da sulanca em Caruaru, No Agreste de Pernambuco. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo se iniciou na rua 25 da localidade.

Ainda segundo informações dos bombeiros, o incêndio já foi controlado. Ninguém foi atingido pelas chamas. A causa do incêndio ainda nao foi identificada. A dificuldade dos bombeiros no local é devido a falta de hidrantes.
O presidente da associação de sulanqueiros, Pedro Moura, representantes da Policia Militar, da Defesa Civil e da Destra também estiveram no local.

Celpe é empresa mais reclamada em abril

O Procon-PE realizou 2.236 reclamações no mês de abril. Destas 74 foram da Celpe, que deu à ela o primeiro lugar no ranking das 10 empresas mais reclamadas. Entre os problemas mais apresentados pelos consumidores em relação a companhia de energia estão: cobrança abusiva ou indevida. O 2º deu empate entre dois bancos, ambos 50 reclamações. Foram eles o Banco CBSS e o Banco Itaú. As outras colocações se encontram outras instituições financeiras e telefonia.

 Para abrir uma reclamação no Procon-PE o consumidor deve comparecer a uma de nossas 59 unidades munido de carteira de identidade, CPF e comprovante de residência. É preciso levar também documentos que possam comprovar a reclamação, como nota fiscal, ordem de serviço, fatura, comprovante de pagamento, contrato, entre outros.

 Ranking das 10 empresas mais reclamadas

 

1º – Celpe – 74 reclamações

2º – Banco CBSS – 50 reclamações

2º – Banco Itau – 50

3º – OI Móvel – 48

4º – Compesa – 47

5º – Telemar – OI Fixo – 44

6º – Motorola – 39

7º – Banco Bradesco – 37

8º – Motorola – 37

9º – Caixa Econômica Federal – 34

10º – Cardif Seguros – 26

Mais 56 municípios de PE em situação d emergência 

O Ministério da Integração Nacional reconheceu nesta terça-feira (16) mais 56 municípios em situação de emergência em Pernambuco. A medida, complementar às ações de estados e municípios, vai permitir que as prefeituras possam ter acesso à apoio emergencial da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) para socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais. Com a portaria publicada no Diário Oficial da União de hoje, a lista de reconhecimentos federais no estado chega a 127 cidades.

 Decorrente do extenso período de estiagem, o reconhecimento federal vai viabilizar o acesso aos programas de fornecimento de água tratada, como a Operação Carro-Pipa Federal, além de permitir que os municípios tenham direito a outros benefícios, como a renegociação de dívidas no setor de agricultura e o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para a retomada da atividade econômica nas regiões afetadas.

 Os municípios que passam a integrar a lista são: Afogados da Ingazeira, Afrânio, Araripina, Arcoverde, Belém do São Francisco, Betânia, Bodocó, Brejinho, Cabrobó, Calumbi, Carnaíba, Carnaubeira da Penha, Cedro, Custódia, Dormentes, Exu, Flores, Floresta, Granito, Ibimirim, Iguaraci, Inajá, Ingazeira, Ipubi, Itacuruba, Itapetim, Jatobá, Lagoa Grande, Manari, Mirandiba, Moreilândia, Orocó, Ouricuri, Parnamirim, Petrolândia, Petrolina, Quixaba, Salgueiro, Santa Cruz, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Filomena, Santa Maria da Boa Vista, Santa Terezinha, São José do Belmonte, São José do Egito, Serra Talhada, Serrita, Sertânia, Solidão, Tabira, Tacaratu, Terra Nova, Trindade, Triunfo, Tuparetama e Verdejante.

Espetáculo “Auto das 7 Luas de Barro” é encenado no aniversário de Caruaru


Em comemoração ao aniversário de 160 anos de Caruaru, uma programação variada foi feita para celebrar a data da capital do forró. Dentre eles, o respeitado e premiado espetáculo “Auto das 7 Luas de Barro”, texto e direção do teatrólogo pernambucano Vital Santos será encenado nos dias 18, 19 e 20 de Maio no Teatro Rui Limeira Rosal (SESC) pelo Grupo Feira de Teatro Popular de Caruaru e a entrada é gratuita. O espetáculo conta a história da vida e obra do artesão caruaruense Mestre Vitalino, que mesmo sem intenção, transformou o Alto do Moura no maior centro de artes figurativas das Américas.

O “Auto das 7 Luas de Barro” foi encenado pela primeira vez em 1979 e já somam 38 anos de apresentações pelo Grupo Feira de Teatro Popular de Caruaru. Prêmios como o Mouliere (maior prêmio do teatro concedido pelo Governo da França), Mambembão, além de seis prêmios personalidades contabilizam a trajetória do espetáculo.

O ator Sebastião Alves, o Sebá, é um dos integrantes do elenco. Para ele, interpretar o personagem do Mestre Vitalino é gratificante. “É com maior orgulho que tenho em interpretar esse homem que foi um grande mestre do barro, da nossa cidade e da nossa cultura. Nós não podemos esquecer quem foi Vitalino e o que ele representa para a nossa cidade, para nosso país. E o Grupo Feira tem a missão de engrandecer a cultura popular da nossa região”, diz Sebá que também é o Diretor Geral do Grupo Feira.

Carta aberta aos realizadores que abandonaram o festival CINE PE 2017, numa atitude de intolerância política-cultural 

A intolerância política-cultural chegou para ficar nesses tempos obscuros que estamos vivendo. Intolerância, sim. E por parte de quem não a deveria praticar. Ela ocorreu quando vocês, realizadores dos filmes “Abissal”, de Arthur Leite (CE); “Vênus – Filó, a Fadinha lésbica”, de Sávio Leite (MG); “A Menina Só”, de Cintia Domit Pittar (SC); “Iluminadas”, de Gabi Saegesser (PE); “O Silêncio da Noite e Que Tem Sido Testemunha das Minhas Amarguras”, de Petrônio Lorena (PE); “Não Me Prometa Nada”, de Eva Randolph (RJ); e “Baunilha” de Leo Tabosa (PE), decidiram que suas obras fossem retiradas da programação do 21ª edição do Cine PE. 

Tal postura se afigura como um posicionamento eminentemente antidemocrático. Vocês inscreveram seus filmes para serem submetidos à curadoria do festival. Foram selecionados, igualmente como todos os outros filmes. Por que não enviaram carta desistindo, assim que saiu o resultado?

Todos os filmes estavam lá, inclusive, e entre outros, “O plano por trás da história” e “O Jardim das Aflições”, supostos estopins para a atitude que tomaram. Por que só agora, às vésperas de acontecer o CINE PE, vocês retiraram seus filmes? Isso configura uma atitude coletiva oportunista e antidemocrática, cujo objetivo aparenta ser a busca pelos holofotes. Parabéns! Ressalto que tal atitude é de intolerância político-cultural, bem como um desserviço intelectual a todos e todas que estão no enfrentamento do governo Temer, que vem sistematicamente retirando os direitos da classe trabalhadora.

Este é um erro que ficará na História, mostrando que não souberam ocupar os espaços e fugiram por falta de capacidade de entender a pluralidade no campo das ideias num espaço que, inclusive, é o campo da cultura. O momento era de fazer um protesto, quer fosse individual ou coletivo, mas não contra a obra de qualquer dos filmes selecionados para integrar o CINE PE. Que patrulhamento é esse?

Defendo o protesto, sim. Mas vocês não o fizeram. Deixaram, de forma anti democrática, de ocupar o espaço do festival. Poderiam, ao contrário, ter feito um belo ato político contra o estado de exceção que estamos vivenciando, contra a criminalização dos movimentos sociais, contra a destruição da democracia no Brasil.

Alguns da esquerda, e não vou generalizar, não compreendem que precisamos sair da bolha. Falar além dessa retórica que só empregamos para os nossos. Imaginem, por exemplo, se em nossos espaços de debate
nos negássemos a participar porque fulano de tal apoiou o golpe que afastou a presidenta Dilma Roussef? À minha mente vem um evento que aconteceu nos EUA, no mês passado. Lá estavam Dilma Rousseff,
presidenta deposta por um golpe político-midiático-parlamentar-jurídico, e Sérgio Moro, juiz parcial da Lava Jato. Na última semana, também nos EUA, sentaram à mesma mesapara debater o ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, e
novamente Sérgio Moro.

Enfrentamento se faz no front, e não abandonando a luta.

*Cleonildo Cruz
Historiador, cineasta e doutorando em Epistemologia em História da Ciência pela UNTREF – Buenos Aires.
Filmografia: Pernambuco de 1964 em Pernambuco. 2008; Replicar dos Sinos. 2006; Caixa de pandora. 2010; Haiti, 12 de janeiro. 2012; Constituinte: 1987-1988; Operação Condor, verdade inconclusa. 2015.

Humberto diz que Temer faz acordo com “o Diabo” para aprovar reforma 


No plenário do Senado nesta terça-feira (16) para discutir os impactos da reforma trabalhista proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB), o líder da Oposição na Casa, Humberto Costa (PT-PE), cobrou responsabilidade dos senadores para rejeitar a proposta que, segundo ele, vai fazer com que o povo brasileiro volte a ser escravo como em tempos passados. 

Humberto afirmou que o governo está fazendo acordo até com “o diabo para aprovar, no Congresso Nacional”, as mudanças na legislação trabalhista e no sistema previdenciário. “Vejam que eles estão negociando débitos do Refis até com os ruralistas, que vai aliviar bilhões ao setor. Isso tudo num país com arrecadação lá embaixo. Isso não é possível e lutaremos para impedir esse retrocesso”, declarou. 
Ele acredita que os senadores têm de lembrar que foram eleitos para melhorar a vida da população – não o contrário – e que haverá eleições em 2018, ano em que, se passar a reforma trabalhista, os brasileiros já estarão sentindo os efeitos perversos das alterações na lei. 
Em duro discurso contra a proposta que tramita no Senado, Humberto criticou também o argumento propalado pelo governo e sua base aliada de que haverá modernização das relações trabalhistas e, com isso, aumento da quantidade de empregos no país. Muito pelo contrário, disse o senador, vários países de diferentes continentes que fizeram isso não tiveram qualquer êxito. 
“Isso é um engodo, uma mentira. Os patrões não vão contratar mais com as mudanças. Eles irão terceirizar mais ou contratar intermitentes para reduzir os seus custos. Não queiram iludir a população brasileira com mentiras. Trata-se de uma visão canhestra da nossa elite econômica que visa melhorar as condições de produção e competitividade dos nossos produtos achatando o componente salário”, reiterou. 

Vereador se reúne com bispo para debater situação do Monte Bom Jesus 

vereador Bruno Lambreta (PDT) se reuniu com o Bispo da cidade, Dom Dino. Na pauta, o Monte Bom Jesus, o projeto de requalificação e as festividades que irão ocorrer na próxima quinta (18), devido a comemoração do aniversário de Caruaru. “Foi uma conversa bastante proveitosa, nosso foco foi o Monte e sua área que é administrada pela Diocese daqui da cidade”,frisou Bruno.

O parlamentar também afirmou que através de requerimento já solicitou a Prefeitura, a construção de uma creche na comunidade, por este motivo também a visita ao Bispo. “Queremos viabilizar a melhor possibilidade para esta obra, que, sem dúvidas, irá beneficiar diversas famílias da área”,finalizou Bruno.
Assessoria vereador Bruno Lambreta.

Raquel terá reunião com Paulo Câmara nesta terça-feira (16)


O gelo entre a prefeita Raquel Lyra e o governador Paulo Câmara será quebrado nesta terça-feira (16). Na pauta o apoio do governo de Pernambuco para o São João de Caruaru, já que o aporte ainda não veio por parte da gestão estadual. Talvez com o valor seja possível fechar a contratação de Wesley Safadão, que por enquanto não está na grade da festa junina. De acordo com Raquel Lyra o valor do cachê é o principal entrave da vinda do principal nome do forró para o Parque de Eventos Luiz Gonzaga.

A segurança do evento também deve fazer parte da conversa entre o socialista e a tucana. Cerca de 480 policiais devem vir reforçar o efetivo para garantir a tranquilidade dos forrozeiros.