Licitação de empresa para construir estrutura do São João de Caruaru vira dor de cabeça para Fundação de Cultura


Faltando pouco menos de um mês para o São João de Caruaru uma ação na justiça vira dor de cabeça para a prefeita Raquel Lyra e o presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru, Lucio Omena. O problema é a licitação da empresa para construir a estrutura do São João 2017. Empresas questionaram o resultado e uma liminar suspendeu o resultado do processo. 

A prefeitura de Caruaru corre contra o tempo para resolver o problema e começar a construção da estrutura da festa. O blog teve acesso aos valores que fizeram parte da concorrência e variam entre R$ 3,6 milhões e R$ 6,2 milhões. 

A situação gera críticas no meio e a ex-presidente da Fundação de Cultura e Turismo da Cidade, Lúcia Lima, que numa rede social postou observação sobre a situação. “Inacreditável o que está acontecendo com o nosso maior evento anual. Nosso patrimônio, nosso amado São João. Um absurdo!”, postou. 

O blog entrou em contato com a assessoria da Fundação de Cultura, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta. 

Programação – A gestão ainda não anunciou a programação oficial do evento, mas em entrevista aos jornalistas na última quinta-feira (7), a prefeita Raquel Lyra disse que anuncia até o fim dessa não apenas as atrações, mas também o novo formato da festa. Sobre os problemas que a gestão enfrenta, como perder uma concorrência do Ministério do Turismo com outras cidades cidades, entre elas Campina Grande, a tucana foi enfática. 

“A gente não encontrou nenhuma informação do São João do ano passado, começamos do zero. Estamos fazendo o possível. Aprovamos em tempo recorde a captação de recursos pela lei Roaunet e boa parte do que será investido no São João virá dessa ação”, disse a prefeita em entrevista à Rádio Cultura.