PT de Caruaru volta para o comando de Rogério Meneses

Crédito: Vladimir Barreto/ CMC

Crédito: Vladimir Barreto/ CMC

O ex-vereador Rogério Meneses vai ser empossado como novo presidente do PT em Caruaru. Ele disputava a cadeira com o advogado Antônio Carvalho, mas o ex-presidente Adilson Lira, resolveu a questão e decidiu pelo violeiro. A situação pegou Carvalho de surpresa. Ele disse ao blog que soube pela imprensa de decisão.

Curiosamente, Antônio escreveu um artigo de opinião com críticas aos 100 dias do governo de Raquel Lyra e ele acredita que o fato pesou na decisão, já que Adilson e Rogério, votaram na tucana no segundo turno da eleição em Caruaru, mesmo com parte dos petistas da cidade, não votando em nenhum dos candidatos, devido a Raquel ser do PSDB e Tony Gel do PMDB. “Vamos continuar construindo o PT independente de cargo na direção”, disse.

Adilson Lira destacou a postura de Rogério. “Quero destacar a lealdade de Rogério à aliança que fizemos desde o PED anterior. Os nossos grupos trabalharam juntos não apenas dentro do Diretório Municipal, mas na condução política do partido interna e externamente. Essa é uma usança que vem dando certo no PT de Caruaru. Será mantida, com certeza”, disse.

Meneses foi vereador e presidente da Câmara entre os anos de 2009 e 2012.

Citado na lista de Fachin, Bruno Araújo diz que recebeu doações dentro da Lei

Bruno-Araújo-foto-reprodução-facebook

Nota Oficial

De acordo com a legislação eleitoral, solicitei doações para diversas empresas, inclusive a Odebrecht, como já foi anteriormente noticiado.

O sistema democrático vigente estabelecia a participação de instituições privadas por meio de doações. Mantive uma relação institucional com todas essas empresas.

Em todo o meu mandato, sempre atuei em prol de interesses coletivos. Atuei de acordo com a minha consciência.

Bruno Araújo

Ministro das Cidades

Governo vai indenizar família de jovem morto após levar tiro de PM

O governador Paulo Câmara determinou à Procuradoria Geral do Estado (PGE) que entre em contato com a família de Edvaldo da Silva Alves, ferido num conflito com a Polícia Militar, no município de Itambé, no dia 17 de março passado, e que faleceu na madrugada desta terça-feira (11.04). A determinação é para estabelecer medidas de reparação à família pelo ocorrido.

“Lamento profundamente o falecimento de Edvaldo. Sabemos que nada pode reparar a perda de uma vida, mas determinei a busca de meios jurídicos para encontrarmos a indenização adequada, junto à família. E, ao mesmo tempo, já cobrei, no âmbito da Polícia Militar e da Secretaria de Defesa Social (SDS), que a apuração deste lamentável episódio seja finalizada”, afirmou Paulo Câmara.

O procurador-geral do Estado, César Caúla, explicou que, independentemente do andamento dos ritos dos inquéritos que apuram o ocorrido, a Constituição permite ao Governo de Pernambuco indenizar a família, com base em sua responsabilidade objetiva. “O Estado pode ser responsabilizado com culpa ou sem culpa. O que importa é que um agravo, um prejuízo, tenha decorrido de uma ação dele. Neste caso, o que nós vamos estudar é exatamente qual a possibilidade, diante dos parâmetros que a jurisprudência já estabelece, de reparação à família”, esclareceu Caúla.

Caúla observou que o diálogo com a família de Edvaldo da Silva Alves ocorrerá justamente para que a realização da reparação não precise aguardar o término dos trâmites das investigações em curso. “Desde o primeiro momento, houve a determinação do Estado e foram abertos os procedimentos de investigação, tanto no âmbito da Polícia Civil quanto na investigação disciplinar. Enquanto os processos se aproximam de suas conclusões, vamos conversar com os familiares para encontrar uma reparação adequada”, destacou Caúla.

O Governo de Pernambuco reafirma que fará o que estiver ao seu alcance para que todo o episódio seja esclarecido e que a Justiça seja feita, ressaltando o compromisso de desautorizar e impedir qualquer abuso de força por parte das polícias do Estado.

Em reunião com o presidente do TJPE, Tony Gel solicita 3ª entrância para Caruaru

Tony

Em reunião na tarde desta terça-feira (11), no Tribunal de Justiça de Pernambuco, o deputado estadual Tony Gel (PMDB), solicitou ao Presidente do TJPE, Desembargador Leopoldo Raposo, a 3ª entrância para Caruaru. De acordo com o parlamentar, o Presidente do Tribunal de Justiça, garantiu que vai atender a solicitação, e que o projeto será elaborado e encaminhado para ser analisado pelo pleno do Tribunal.

Tony Gel ressaltou que que com a aprovação, Caruaru voltará a ser uma comarca de 3ª entrância. A única do Estado, depois do Recife. A indicação de 3ª entrância para a Capital do Agreste, de autoria do deputado Tony Gel, foi aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa.

Participaram da reunião, o Desembargador Jones Figueiredo, o juiz assessor do Presidente do TJPE, João José Targino, o também assessor do TJPE, juiz José Alberto de Freitas Filho. O deputado Tony Gel estava acompanhado do ex-secretário municipal de Caruaru, Braga Sá, e de Dr Roberto Maciel, Chefe de Gabinete do parlamentar.

Oposição lamenta morte de jovem e cobra rigor nas investigações

NOTA OFICIAL

A Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco lamenta o falecimento do jovem Edvaldo Alves, de 19 anos, vítima de disparo feito por policiais durante protesto na cidade de Itambé, Zona da Mata Norte do Estado, contra o crescimento da violência na região.

Os parlamentares da bancada cobram ainda celeridade nas investigações sobre a atuação da polícia naquele dia, além de esclarecimentos sobre os motivos que levaram à demora no socorro à vítima e rigor na apuração e punição à autoridade policial que deu a ordem, assim como para o policial que efetuou o disparo.

É importante ainda registrar a responsabilidade do Estado, da Secretaria de Defesa Social e do Comando da Polícia Militar por enviar para o atendimento ao chamado policias sem o preparo técnico necessário nem equipamentos adequados para a ocorrência em questão, uma manifestação da população.

Além do caso envolvendo o jovem Edvaldo Alves, e guardadas as devidas proporções, a Oposição lamenta que o uso da força contra manifestações populares estejam se tornando corriqueiras no estado de Pernambuco. São exemplos dessa postura a apreensão de fantasias da troça carnavalesca Empatando Tua Vista, durante o Carnaval, e a retirada de faixas e cartazes fixados pela população da cidade de Santa Cruz do Capibaribe, com cobranças ao Governo, durante agenda do governador Paulo Câmara no município, no último fim de semana.

Raquel Lyra será reconduzida à presidência do PSDB no próximo sábado (15) 


A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, será reconduzida à presidência do PSDB. A convenção do partido acontece no próximo sábado (15) e a novidade é a mudança do status de Comissão Provisória para diretório. A mudança é uma determinação da Executiva nacional do partido devido à proximidade da eleição de 2018, quando os tucanos devem voltar a disputar à presidência da República. Ainda não se sabe se o nome do partido para a disputa será Aecio Neves ou Geraldo Alckmin. O prefeito de São Paulo, João Dória também é cotado para entrar na disputa. 

Outra situação importante que envolve o diretório de Caruaru é a eleição para o governo de Pernambuco. Se a sigla tiver mesmo candidatura ao governo, a Capital do Agreste será um dos pontos do ninho tucano no estado. Raquel e o ex-governador João serão atores no processo da montagem da chapa. João pode até disputar um cargo no pleito. A indicação dos deputados federais e estaduais que a prefeita de Caruaru vai apoiar é outra incógnita. 

Devido ao distanciamento com Wolney Queiroz, a indicação pode vir de fora ou até mesmo o próprio João Lyra poderia entrar na disputa. Além de Raquel, o secretário Rubens Júnior e o vice-prefeito Rodrigo Pinheiro também farão parte do diretório. 

Lista de Fachin com 42 deputados, 29 senadores e 9 ministros, diz jornal 

Do Estado 

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito contra nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas –como mostram as 83 decisões do magistrado do STF, obtidas com exclusividade pelo Estado. O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) com base nas delações dos 78 executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht, todos com foro privilegiado no STF. Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, não aparecem nesse conjunto porque não possuem mais foro especial.

O Estado teve acesso a despachos do ministro Fachin, assinados eletronicamente no dia 4 de abril. Também serão investigados no Supremo um ministro do Tribunal de Contas da União, três governadores e 24 outros políticos e autoridades que, apesar de não terem foro no tribunal, estão relacionadas aos fatos narrados pelos colaboradores.

Os senadores Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, e Romero Jucá (RR), presidente do PMDB, são os políticos com o maior número de inquéritos a serem abertos: 5, cada. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado, vem em seguida, com 4.

O governo do presidente Michel Temer é fortemente atingido. A PGR pediu investigações contra os ministros Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, , Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Roberto Freire (PPS), da Cultura, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Padilha e Kassab responderão em duas investigações, cada.

As investigações que tramitarão especificamente no Supremo com a autorização do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte, foram baseadas nos depoimentos de 40 dos 78 delatores.

Os relatos de Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, são utilizados em 7 inquéritos no Supremo. Entre os executivos e ex-executivos, o que mais forneceu subsídios para os pedidos da PGR foi Benedicto Júnior, (ex-diretor de Infraestrutura) que deu informações incluídas em 34 inquéritos. Alexandrino Alencar (ex-diretor de Relações Institucionais) forneceu subsídios a 12 investigações, e Cláudio Melo Filho (ex-diretor de Relações Institucionais) e José de Carvalho Filho (ex-diretor de Relações Institucionais), a 11.

Os crimes mais frequentes descritos pelos delatores são de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, e há também descrições a formação de cartel e fraude a licitações.

Imunidade. O presidente da República, Michel Temer (PMDB), é citado nos pedidos de abertura de dois inquéritos, mas a PGR não o inclui entre os investigados devido à “imunidade temporária” que detêm como presidente da República. O presidente não pode ser investigado por crimes que não decorreram do exercício do mandato.

Lista

Os pedidos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foram enviados no dia 14 de março ao Supremo. Ao todo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou ao STF 320 pedidos – além dos 83 pedidos de abertura de inquérito, foram 211 de declínios de competência para outras instâncias da Justiça, nos casos que envolvem pessoas sem prerrogativa de foro, sete pedidos de arquivamento e 19 de outras providências. Janot também pediu a retirada de sigilo de parte dos conteúdos.

Entre a chegada ao Supremo e a remessa ao gabinete do ministro Edson Fachin, transcorreu uma semana. O ministro já deu declarações de que as decisões serão divulgadas ainda em abril. Ao encaminhar os pedidos ao STF, Janot sugeriu a Fachin o levantamento dos sigilos dos depoimentos e inquéritos.

A LISTA DOS ALVOS

Senador da República Romero Jucá Filho (PMDB-RR)

Senador Aécio Neves da Cunha (PSDB-MG)

Senador da República Renan Calheiros (PMDB-AL)

Ministro da Casa Civil Eliseu Lemos Padilha (PMDB-RS)

Ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab (PSD)

Senador da República Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)

Deputado Federal Paulinho da Força (SD-SP)

Deputado Federal Marco Maia (PT-RS)

Deputado Federal Carlos Zarattini (PT-SP)

Deputado Federal Rodrigo Maia (DEM-RM), presidente da Câmara

Deputado federal João Carlos Bacelar (PR-BA)

Deputado federal Milton Monti (PR-SP)

Governador do Estado de Alagoas Renan Filho (PMDB)

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Wellington Moreira Franco (PMDB)

Ministro da Cultura Roberto Freire (PPS)

Ministro das Cidades Bruno Cavalcanti de Araújo (PSDB-PE)

Ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB)

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços Marcos Antônio Pereira (PRB)

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Blairo Borges Maggi (PP)

Ministro de Estado da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB)

Senador da República Paulo Rocha (PT-PA)

Senador Humberto Sérgio Costa Lima (PT-PE)

Senador da República Edison Lobão (PMDB-PA)

Senador da República Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)

Senador da República Jorge Viana (PT-AC)

Senadora da República Lidice da Mata (PSB-BA)

Senador da República José Agripino Maia (DEM-RN)

Senadora da República Marta Suplicy (PMDB-SP)

Senador da República Ciro Nogueira (PP-PI)

Senador da República Dalírio José Beber (PSDB-SC)

Senador da República Ivo Cassol

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Senadora da República Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

Senadora da República Kátia Regina de Abreu (PMDB-TO)

Senador da República Fernando Afonso Collor de Mello (PTC-AL)

Senador da República José Serra (PSDB-SP)

Senador da República Eduardo Braga (PMDB-AM)

Senador Omar Aziz (PSD-AM)

Senador da República Valdir Raupp

Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE)

Senador da República Eduardo Amorim (PSDB-SE)

Senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE)

Senador da República Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)

Senador da República Ricardo Ferraço (PSDB-ES)

Deputado Federal José Carlos Aleluia (DEM-BA)

Deputado Federal Daniel Almeida (PCdoB-BA)

Deputado Federal Mário Negromonte Jr. (PP-BA)

Deputado Federal Nelson Pellegrino (PT-BA)

Deputado Federal Jutahy Júnior (PSDB-BA)

Deputada Federal Maria do Rosário (PT-RS)

Deputado Federal Felipe Maia (DEM-RN)

Deputado Federal Ônix Lorenzoni (DEM-RS)

Deputado Federal Jarbas de Andrade Vasconcelos (PMDB-PE)

Deputado Federal Vicente “Vicentinho” Paulo da Silva (PT-SP)

Deputado Federal Arthur Oliveira Maia (PPS-BA)

Deputada Federal Yeda Crusius (PSDB-RS)

Deputado Federal Paulo Henrique Lustosa (PP-CE)

Deputado Federal José Reinaldo (PSB-MA), por fatos de quando era governador do Maranhão

Deputado Federal João Paulo Papa (PSDB-SP)

Deputado Federal Vander Loubet (PT-MS)

Deputado Federal Rodrigo Garcia (DEM-SP)

Deputado Federal Cacá Leão (PP-BA)

Deputado Federal Celso Russomano (PRB-SP)

Deputado Federal Dimas Fabiano Toledo (PP-MG)

Deputado Federal Pedro Paulo (PMDB-RJ)

Deputado federal Lúcio Vieira Lima (PDMB-BA)

Deputado Federal Paes Landim (PTB-PI)

Deputado Federal Daniel Vilela (PMDB-GO)

Deputado Federal Alfredo Nascimento (PR-AM)

Deputado Federal Zeca Dirceu (PT-SP)

Deputado Federal Betinho Gomes (PSDB-PE)

Deputado Federal Zeca do PT (PT-MS)

Deputado Federal Vicente Cândido (PT-SP)

Deputado Federal Júlio Lopes (PP-RJ)

Deputado Federal Fábio Faria (PSD-RN)

Deputado Federal Heráclito Fortes (PSB-PI)

Deputado Federal Beto Mansur (PRB-SP)

Deputado Federal Antônio Brito (PSD-BA)

Deputado Federal Décio Lima (PT-SC)

Deputado Federal Arlindo Chinaglia (PT-SP)

Ministro do Tribunal de Contas da União Vital do Rêgo Filho

Governador do Estado do Rio Grande do Norte Robinson Faria (PSD)

Governador do Estado do Acre Tião Viana (PT)

Prefeita Municipal de Mossoró/RN Rosalba Ciarlini (PP), ex-governadora do Estado

Valdemar da Costa Neto (PR)

Luís Alberto Maguito Vilela, ex-Senador da República e Prefeito Municipal de Aparecida de Goiânia entre os anos de 2012 e 2014

Edvaldo Pereira de Brito, então candidato ao cargo de senador pela Bahia nas eleições 2010

Oswaldo Borges da Costa, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais/Codemig

Senador Antônio Anastasia (PSDB-MG)

Cândido Vaccarezza (ex-deputado federal PT)

Guido Mantega (ex-ministro)

César Maia (DEM), vereador e ex-prefeito do Rio de Janeiro e ex-deputado federal

Paulo Bernardo da Silva, então ministro de Estado

Eduardo Paes (PMDB), ex-prefeito do Rio de Janeiro

José Dirceu

Deputada Estadual em Santa Catarina Ana Paula Lima (PT-SC)

Márcio Toledo, arrecadador das campanhas da senadora Suplicy

Napoleão Bernardes, Prefeito Municipal de Blumenau/SC

João Carlos Gonçalves Ribeiro, que então era secretário de Planejamento do Estado de Rondônia

advogado Ulisses César Martins de Sousa, à época Procurador-Geral do Estado do Maranhão

Rodrigo de Holanda Menezes Jucá, então candidato a vice-governador de Roraima, filho de Romer Jucá

Paulo Vasconcelos, marqueteiro de Aécio

Eron Bezerra, marido da senadra Grazziotin

Moisés Pinto Gomes, marido da senadora Kátia Abreu, em nome de quem teria recebido os recursos – a38

Humberto Kasper

Marco Arildo Prates da Cunha

Vado da Famárcia, ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho

José Feliciano

TCE recomenda rejeição das contas de 2014 de ex-prefeito de Ouricuri

A Segunda Câmara do TCE emitiu parecer prévio nesta terça-feira (11) recomendando à Câmara Municipal de Ouricuri a rejeição das contas do ex-prefeito Antonio Cézar Araújo Rodrigues relativas ao exercício financeiro de 2014.

De acordo com a conselheira substituta e relatora do processo TC N° 15100124-8, Alda Magalhães, as principais irregularidades praticadas pelo gestor foram as seguintes: repasse a menor do duodécimo à Câmara de Vereadores, contratações temporárias por excepcional interesse público em detrimento de ocupantes de cargos em provimento efetivo, despesa total com pessoal acima do limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, repasse a menor devido ao Regime Próprio de Previdência, ausência de elaboração de Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e remessa com atraso ao TCE das informações para alimentação do sistema SAGRES.

Além do opinativo pela rejeição das contas, que foi aprovado por unanimidade na Segunda Câmara, a relatora fez quatro determinações ao atual prefeito do municípios, entre elas fazer um levantamento das necessidades na área de pessoal para realizar concurso público, atender às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público e adotar mecanismos de controle para garantir o equilíbrio financeiro e atuarial do Regime Próprio.

MPF obtém quarto bloqueio de bens de ex-prefeito de Araçoiaba

O Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco (PE) obteve, na Justiça Federal, a indisponibilidade de bens de Severino Alexandre Sobrinho, ex-prefeito de Araçoiaba, na Região Metropolitana do Recife, e de Márcio Fernandes Marcolino, ex-presidente da comissão permanente de licitação do município. Os réus são acusados da prática de atos de improbidade administrativa em ação ajuizada pelo MPF. A responsável pelo caso é a procuradora da República Silvia Regina Pontes Lopes.

De acordo com as apurações, Severino Alexandre foi responsável pela prática de irregularidades na gestão de recursos repassados pelo Ministério da Educação, em especial os vinculados ao Programa Brasil Escolarizado e ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), entre 2007 e 2009. Os inquéritos civis que embasaram a ação do MPF foram decorrentes das conclusões de relatórios da Controladoria-Geral da União.

O MPF apontou irregularidades como a aquisição de gêneros alimentícios em quantidade inferior à licitada, ausência de merenda e de distribuição dos alimentos adquiridos às escolas de Araçoiaba, falta de comprovação de gastos realizados com recursos do PNAE e fracionamento indevido de despesas na realização de licitações com verbas do programa.

Segundo a ação, o ex-prefeito permitiu que as irregularidades fossem praticadas, causando dano ao erário. A conduta de Márcio Fernandes Marcolino, como presidente da Comissão Permanente de Licitação, possibilitando o fracionamento indevido das despesas para a aquisição de gêneros alimentícios, contribuiu para o dano aos cofres públicos, de aproximadamente R$ 1,1 milhão.

Ações – Conforme destacou o MPF, Severino Alexandre Sobrinho é réu em 14 ações de improbidade, sendo quatro na esfera federal e 10 na estadual. Ele também responde por duas ações penais na Justiça Federal e uma na Justiça Estadual. Márcio Marcolino, por sua vez, é réu em duas ações de improbidade e uma ação penal, ambas na Justiça Federal. Além disso, o ex-prefeito foi afastado três vezes entre 2005 e 2012, em decorrência de ilícitos praticados durante sua gestão.

Bloqueios – Além do bloqueio obtido nesse caso, no valor de aproximadamente R$ 2,2 milhões, referentes ao prejuízo causado e a possíveis multas, o ex-prefeito de Araçoiaba já sofreu indisponibilidade de bens nas ações de improbidade nºs 0802410-89.2016.4.05.8300 (indisponibilidade de R$ 1.176.135,00), 0803406-87.2016.4.05.8300 (indisponibilidade de R$ 2.624.391,30), 0807203-71.2016.4.05.8300 e 0805487-09.2016.4.05.8300 (indisponibilidade de R$ 449.723,16), bem como nas ações penais nºs 0005357-57.2013.4.05.8300 e 0005967-25.2013.4.05.8300, todas no âmbito da Justiça Federal. Portanto, o MPF já conseguiu a indisponibilidade de cerca de R$ 6,45 milhões de reais do ex-gestor.

A Justiça ainda vai decidir sobre os demais pedidos do MPF na ação: ressarcimento integral do dano, pagamento de multa, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios fiscais ou creditícios.

Na posse de militares, Paulo Câmara diz que Estado vai combater à violência

O governador Paulo Câmara destacou, nesta terça-feira (11), o apoio irrestrito ao desenvolvimento das ações da Polícia Militar, durante cerimônia de Passagem de Comando das Unidades e Diretorias Operacionais da PM. “Nunca estive tão confiante, como governador de Pernambuco, a enfrentar esse problema e ao mesmo tempo em buscar meios de resolução. Quero dizer aos nossos comandantes que contem com o nosso apoio. Mas, ao mesmo tempo, saibam que nós vamos estar permanentemente cobrando resultados, buscando alternativas e meios de termos um Pernambuco mais seguro. Que possa honrar as tradições de segurança pública que nós já tivemos e temos o dever de fornecer para a população pernambucana”, salientou.

O secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, garantiu que o Governo não tem medido esforços com o propósito de assegurar os recursos que venham a refletir em uma maior segurança para os pernambucanos. “O governador Paulo Câmara não têm medido esforços para fornecer materiais humanos e operacionais com objetivo de proporcionar uma maior segurança para população de Pernambuco. Então, devemos avançar muito. O governador, em verdade, resgata valores ideais”.

O comandante da Polícia Militar do Estado de Pernambuco, coronel Vanildo Maranhão, explica que mudanças são naturais e têm o objetivo principal de otimizar a ação da PM. “Nós fechamos um ciclo, mudanças são necessárias e naturais na cúpula da corporação. Inicialmente, nós fizemos a mudança na parte administrativa, hoje nós estamos fechando um ciclo com a diretoria e os comandantes. Cada área da nossa corporação se completa. O governador está imbuído e irá nos prover, com capacidade técnica e liderança, meios para a resposta contra a violência vir o mais rápido possível”, frisou.

POSSE
Foram empossados na cerimônia o tenente coronel Clodoaldo José, da função de CMT da 4ª CIPM; o tenente coronel André Luiz, da função de CMT da 2ª CIPM; o tenente coronel José Roberto, da função de CMT da 1ª CIPM; o tenente coronel Gilson Cantidiano, da função de CMT do 7º BPM; o tenente coronel Marcos Evangelista, da função de CMT da 5ª CIPM; o tenente coronel Robson Cordeiro, da função de CMT da 3ª CIPM; o tenente coronel Edvaldo Francisco, da função de CMT do 21º BPM; o tenente coronel Ely Lira, da função de CMT do 15º BPM; o tenente coronel Silvestre Dantas, da função de CMT do 16º BPM; o tenente coronel Sérgio Cabral, da função de CMT do 1º BPM; o tenente coronel Marcos Ramalho, da função de CMT do 17º BPM; o tenente coronel André Ângelo, da função de CMT do 6º BPM; o tenente coronel Manoel Renan, da função de CMT do 11º BPM; o tenente coronel Erivaldo Raimundo, da função de CMT do 12º BPM; o tenente coronel Carlos Ferraz, da função de CMT do 18º BPM; o tenente coronel Jaime de Lima, da função de CMT do 20º BPM; o tenente coronel Wolney Alexandre, da função de CMT da CIPOMA; o tenente coronel Josemar Diniz, da função de CMT da BPRv; o tenente coronel Herlício Marmede, da função de CMT da BPGd; o tenente coronel Leonardo Cosme, da função de CMT da RPMon; o tenente coronel Idelfonso Queiroga, da função de CMT da BPRp; o tenente coronel Edvaldo Cézar, da função de CMT da BPCHOQUE.