Perpétua Dantas realiza reunião com representantes do Conselho da Mulher de Caruaru

Perpétua Dantas

A Secretária da Mulher, Perpetua Dantas, convocou os representantes do Conselho Municipal da Mulher para participarem da primeira reunião do ano de 2017, que acontecerá nesta quinta-feira, 02, na sede da Secretaria, às 14h30.

O encontro tem como objetivo acolher as mulheres eleitas para o Conselho, em dezembro do ano passado, bem como, selecionar a secretária do órgão que pela primeira vez, na história, passa a ser da sociedade civil organizada.

É bom lembrar que o Conselho da Mulher é dividido em duas partes. 25% representam o poder público e 75% à sociedade civil organizada. A secretaria de Política para Mulheres funciona na Rua Padre Rolin, N 40, Bairro Maurício de Nassau.

Câmara retorna de recesso e realiza primeira reunião ordinária nesta quinta-feira (02)

lula-torres

Com informações da Guanabara Comunicação

Com o fim do recesso parlamentar, ocorrido entre os dias 23 de dezembro e 01 de fevereiro, a Câmara Municipal de Caruaru realiza às 20h desta quinta-feira (02) a sua primeira reunião ordinária desta 17ª legislatura. A expectativa do presidente da Casa, vereador Lula Tôrres (PDT), é que este será um período legislativo tranquilo, mas de bastante trabalho. “Os tempos estão mudando, a cabeça do político também deve mudar, os valores para a sociedade hoje, a nível de legislatura, são outros. A Câmara atual está com esse pensamento, de querer dar à população uma resposta positiva do seu trabalho”, destacou Lula.

Para ele, que assumiu a presidência no início do mês passado, este trabalho já começou afinado entre a Casa Legislativa e a prefeitura. “Somos uma Câmara voltada para essa responsabilidade muito grande com a nossa população e temos uma prefeita que também está chegando com ideias novas. Tudo isso está nos ajudando a fazer um bom trabalho na Câmara como presidente e como vereador. Se esse clima perdurar, quem vai ganhar com isso somos todos nós”, acredita o pedetista, que conta também com uma maior proximidade do Legislativo com a população. “Nós vivemos em sociedade. De tudo na vida nós devemos participar.

O eleitor vota, escolhe e confia mas depois a ajuda maior que ele pode dar ao seu político – e à sociedade – é fiscalizá-lo, é exigir dele um trabalho coerente, correto. População, segmentos sociais, entidades, todos devemos trabalhar juntos. Então, eu conclamo a todos que participem das reuniões públicas, analisem os projetos, deem sua opinião. Juntos, podemos fazer um excelente trabalho em prol de nossa Caruaru”, concluiu o presidente.

Após pedido de vista, STF adia conclusão de julgamento sobre réu na linha sucessória

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes interrompeu na tarde desta quarta-feira (1º) o julgamento realizado pela corte para decidir sobre a possibilidade de réus ocuparem cargos na linha sucessória da Presidência. O ministro pediu mais tempo para anunciar seu voto.

“A mim, me parece, que temos alguns problemas que temos de resolver, porque a projeção da decisão é imediata a outros rumos e a outros desdobramentos. De modo que, prometendo trazê-lo em breve, eu peço vista dos autos para tentar, pelo menos, algum conforto espiritual em relação a esses desconfortos que eu registrei”.

O julgamento que foi retomado nesta quarta já havia sido interrompido por outro pedido de vista, realizado pelo ministro Dias Toffoli, em novembro do ano passado.

Até o momento, dos ministros que já votaram, cinco decidiram que é correto afastar da presidência da Câmara ou do Senado um parlamentar que responda a uma ação penal. Outros três ministros votaram somente para retirá-lo da linha sucessória da presidência, mantendo os parlamentares em seus respectivos cargos.

Pela Constituição, no caso de o presidente da República se ausentar do país ou ser afastado respeita a seguinte ordem: vice-presidente da República, o presidente da Câmara, o presidente do Senado e o presidente do STF.

Em dezembro de 2016, o plenário do STF derrubou uma decisão liminar do ministro Marco Aurélio que determinou o afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado. A corte manteve Renan no cargo, com a proibição de que ele substituísse o presidente Michel Temer na chefia do Executivo.