Artigo – O Professor de 300 contos – por Pierre Lucena*

Por Pierre Lucena, na coluna Acerto de Contas, no Diario de Pernambuco

O ensino superior privado no Brasil tem encontrado uma natural queda de demanda em função da crise e do esgotamento de financiamento público através do FIES. A crise é algo conjuntural que não há o que fazer, mas a falta de financiamento é algo totalmente provocado pelo Governo, que interferiu de forma inadequada no setor.

Para quem não se lembra em 2013 o Governo Federal universalizou o FIES com uma taxa de juros negativa (3,4% ao ano sem correção monetária), facilitando enormemente o acesso ao ensino superior privado. Além disso, criou condições extremas de financiamento, não obrigando o estudante a apresentar fiador e documentações que realmente dificultavam a vida de quem precisava frequentar uma instituição de ensino.

Mas o gerenciamento do programa foi um desastre completo. A inadimplência dos formados começou a explodir em 2016 e o buraco se formou, obrigando o Governo a praticamente extinguir o financiamento. Para piorar, o Governo ofertou financiamento a uma classe média que não precisava, mas que via nos juros negativo uma forma de buscar descontos via subsídio estatal. O desconto final, quando se utilizava FIES, era algo em torno de 25% quando descontada a inflação até o pagamento futuro.

A conta era simples e real: é mais barato ofertar financiamento para os alunos cursarem em uma instituição privada do que criar vagas em universidades federais. Isso é absolutamente verdade, mas o Governo resolveu fazer as duas coisas ao mesmo tempo, abrindo campi em diversas cidades e aumentando a oferta de vagas públicas. Nem é preciso dizer que esta conta não fecharia.

Esta longa introdução era apenas para contextualizar o grande problema que hoje vive o ensino superior privado e que merece especial atenção de todos. Como o mercado acabou sendo induzido (apesar de ninguém ser amador neste mercado, acreditou-se na oferta eterna de financiamento subsidiado) a uma demanda inflada, investiu-se muito na abertura de novos equipamentos e cursos. Com a inevitável queda drástica de demanda, iniciou-se uma guerra de preços intensa em alguns mercados.

Com uma demanda menor e uma intensa guerra de preços via desconto, as instituições viram suas receitas estacionarem ou mesmo recuarem, tendo uma necessidade de redução de custos. Daí vem minha preocupação.

Entre os fatores de custo de uma instituição de ensino, o maior deles é o custo de pessoal docente (professores e coordenadores), que fica entre 32 e 40%, dependendo da eficiência da instituição. Algumas chegam a ter 50%, incluindo os encargos trabalhistas. O restante vai para infraestrutura (aluguel, energia, etc.), custos de marketing, pessoal em atividade administrativa e inadimplência (que não é tão alta como as escolas).

Como a mensalidade começa a ficar absolutamente irreal para a sobrevivência de um negócio, os fatores de preços começam a sofrer bruscamente para que a instituição (que é uma empresa) tenha condições mínimas de funcionamento.

Até aí tudo normal, pois faz parte do funcionamento dos mercados buscarem melhores condições para ofertar às pessoas e não deve ser diferente na educação. Mas não é preciso ser um gênio para perceber que não é razoável ofertar um curso superior a menos de R$ 200 por mês. Nem mesmo escolas de bairro precárias cobram esta mensalidade.

E daí vem a pergunta: quanto se paga a um professor para ensinar em uma faculdade que cobra uma mensalidade como essa?

Há exemplos no Brasil todo sobre isso, mas não está sendo incomum encontrar professores ganhando R$ 300 por mês (bruto) para ensinar uma turma. Juntando 10 turmas, este professor ganharia algo como R$ 3.000 (bruto) por mês, isso se der aula todos os dias de manhã e de noite. Isso é menos do que ganha um professor de ensino básico em uma escola pública em muitos lugares do Brasil, caso você divida pelo valor da hora-aula.

Mas voltando ao caso deste professor. Com R$ 300 por mês por um expediente de trabalho, dividindo por 4,5 semanas (em média por mês), temos que o professor ganha R$ 66 por expediente de trabalho. Se for além, provavelmente o flanelinha ou o ambulante que fica em frente à faculdade pode conseguir tirar mais do que isso.

Você pode pensar que não encontra professor por este valor, mas o pior é que com o mercado de trabalho devastado como agora, as faculdades têm sido uma opção para muita gente que tem um diploma de especialização ou mesmo de mestrado precisando encher currículo Lattes.

Podemos pensar como é que o mercado não enxerga uma disfunção como essa, mas o problema é que não há transparência ou mesmo eficiência do MEC na avaliação destas faculdades, por mais que o órgão se esforce (e tem melhorado bastante). Além disso, em mercados mais pobres, o preço é o maior, quando não o único, fator decisório na escolha de uma faculdade.

Quando contei este fato a um amigo, ele me perguntou: mas não é exigido o mínimo de qualificação docente média? Sim, é exigido, mas sempre tem um doutor em humanas ou exatas procurando emprego no mercado.

Com isso, teremos em pouco tempo no ensino superior o mesmo problema que temos na educação básica: apenas a busca do diploma como fim. Mas quando pensamos que essa turma formada pelo professor de R$ 300 é que estará operando nos consultórios odontológicos e construindo prédios, a preocupação fica muito maior.

Pierre Lucena

Marília começa a preocupar o governo e a oposição

Por Inaldo Sampaio

Como previu o marqueteiro Édson Barbosa, dos três principais candidatos ao governo estadual, apenas Marília Arraes (PT) poderia “sacudir” o Estado, por uma série de fatores: é a “novidade” do pleito, não tem desgaste, é mulher, tá agarrada com Lula que tem mais de 50% de intenções de votos em Pernambuco, é neta de Miguel Arraes e tem um discurso consistente.

Natural, portanto, que já comece a preocupar Paulo Câmara e Armando Monteiro pelo estrago que pode causar na base de ambos. O governador, como é sabido, fez tudo para tirá-la do páreo pela executiva nacional mas não conseguiu. Sua esperança agora é que o diretório estadual não lhe dê legenda.

Quanto a Armando, não tem interesse em confrontar-se com a vereadora porque será aliada dela no segundo turno. Ou para apoiá-la ou para receber apoio.

Artigo – Fórum Nacional da Direita em Pernambuco foi um sucesso – por Severino Melo*

Realizado nesta sexta-feira, 20 de julho de 2018, no auditório do Mar Hotel Conventions, na Rua Barão de Souza Leão, em Boa Viagem, Recife / PE.

Com quatro palestras imperdíveis (perdeu quem não as assistiu) sob os seguintes títulos:

– O Inimigo Velado da Segurança Pública;

– Liberalismo Sob Perspectiva Jurídica;

– Perspectivas e Desafios do Conservadorismo Brasileiro;

– O Feminismo É A Destruição Moral das Mulheres.

Inicialmente, o evento deveria transcorrer das 13 às 19 horas, todavia, alongou-se até quase às 22 horas.

Eis algumas frases de efeito que anotei:

“Eu nunca entendi porque é ganância querer manter o que se ganhou e não é ganância querer tomar o que os outros ganharam”.

“A Subversão da segurança está na supressão do Exército, da Polícia e da burocracia (lei)”.

“O “humanismo” é uma máscara para o “anarquismo”.

Outro ponto efervescente foi quando o palestrante disse que, “O voto nos Estados Unidos se arrima no carisma, na economia e na segurança. Enquanto no Brasil se apoia apenas no carisma do candidato e na economia, pois, a segurança por aqui é tão desdenhada que permite até que um presidiário pretenda vir a ser candidato a Presidente da República”.

Sinceramente, este signatário, ainda que não considere de bom alvitre elogiar pessoas, abre aqui um hiato para cumprimentar a ex-feminista Sara Winter, pela sua brilhante palestra sob o tema: O Feminismo É A Destruição Moral das Mulheres.

A luta tem que ser pelos direitos civis igualitários, aquele mesmo que fez com quê, Celita Guimarães fosse a primeira mulher a votar aqui no Brasil.

A palestra foi um show de bola! Fechou o evento com chave de ouro. Pois, realmente, o feminismo não empodera a mulher e apenas por vivermos a maior descristianização da história, é que busca-se a libertação patriarcal, tão somente com base em normas de gêneros. Pois, a misandria nada mais é do que, a repulsa, o desapreço e o ódio contra o sexo masculino.

Enfim, resta agora aguardar o 2º Fórum, que realizar-se-á em época futura oportuna.

*Severino Melo – smelo2006@gmail.com – fone / whatsapp 999727818 – Cidadão Honorário de Caruaru.  

PT adia decisão sobre candidatura de Marília Arraes

Nota oficial

Considerando que o processo de negociação com PSB e PCdoB quanto ao apoio formal à candidatura do PT à Presidência da República ainda está em andamento, sem perspectivas de conclusão no curto prazo;

Considerando que os Encontros Estaduais que podem ser afetados por esta negociação devem ser realizados após a conclusão da mesma;

A Comissão Executiva Nacional do PT decide:

Os Encontros Estaduais de Tática Eleitoral e Definição de Candidaturas do PT nos Estados do Amazonas, Amapá, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Tocantins e Rondônia, ficam transferidos para o dia 02/08/2018.

São Paulo, 20 de julho de 2018.

Comissão Executiva Nacional do PT

Bruno Araújo retira nome da disputa pelo Senado e vai para reeleição de deputado federal

NOTA OFICIAL

Recife 20 de Julho de de 2018

Companheiros e Companheiras do PSDB.

Desde o ano passado somos, junto com outros partidos, protagonistas na busca de uma alternativa de Governo para os pernambucanos.

Nos últimos dias tem havido um debate interno no conjunto de nossa aliança com a discussão do meu nome a uma das vagas do Senado, indicado pela totalidade do nosso partido

Mesmo não havendo fato novo que descaracterize o perfil dos nomes até então por nós cogitados para colaborar nas candidaturas majoritárias, ficou evidente a dificuldade levantada por esse conjunto em dar seguimento ao meu nome para uma das vagas ao Senado, sob argumentos que me reservo o direito de discordar, pois eram de conhecimento de todos desde nossas primeiras tratativas.

Registro meu agradecimento a totalidade de meu partido e especialmente a um grande conjunto de lideranças das mais diversas correntes partidárias e campos políticos que manifestaram o seu voto de confiança naquele movimento pelo Senado.

Sigo também firme para defender um projeto nacional que precisa oferecer aos pernambucanos outra alternativa ao congestionamento político que existe aqui de apoio a um único candidato presidencial, que não deve ser a única alternativa oferecida a um Estado de histórica e rica diversidade política como o nosso.

Devolvo a meu Partido a honrosa indicação que recebi para que defina o melhor caminho para continuar ajudando a melhorar a vida das pessoas.

Pernambuco nunca faltou ao Brasil…

Bruno Araújo.

Presidente Estadual do PSDB

PDT confirma Ciro Gomes como candidato à presidência

O PDT confirmou, nesta sexta-feira (20), Ciro Gomes como candidato do partido à presidência da República. O anúncio foi feito durante a convenção nacional do partido em Brasília e o nome de Ciro foi eleito por aclamação dos filiados da legenda durante o evento.

Ciro anunciou que sua primeira e mais urgente tarefa, caso seja eleito, é gerar empregos em todo o país. O candidato do PDT à presidência também defendeu que é necessário combater com dureza a corrupção. Ciro também revelou alguns planos para a área de segurança em seu discurso.

“Coordenar os esforços dos estados para conter o crime, direcionar as polícias federais para o combate às organizações criminosas violentas, controlar o tráfico de armas e drogas, criar uma polícia de fronteiras, hoje completamente abandonadas, e organizar os esforços da repressão e prevenção ao homicídio”.

Na área da saúde, Ciro criticou a demora para a realização de consultas e exames no SUS e falou que é preciso reorganizar o sistema de saúde brasileiro.

“É necessário investir a rede de atendimento, nas campanhas de prevenção e de vacinação, na formação de médicos, na melhoria dos sistemas de informação, supervisão, avaliação, controle e coordenação entre as diversas esferas de atendimento. O nosso povo não sabe a quem reclamar porque parte da saúde é município, parte é estado, parte é União”.

Ciro irá disputar a Presidência pela terceira vez. Em 1998 obteve pouco mais de 10% dos votos e cerca de 11% em 2002. Advogado, Ciro é ex-governador do Ceará e ex-prefeito de Fortaleza. Foi ministro da Fazenda entre setembro de 1994 e janeiro de 1995, durante o fim do governo de Itamar Franco e início do governo de Fernando Henrique Cardoso e ministro da Integração Nacional entre janeiro de 2003 e março de 2006, durante o primeiro mandato de Lula.

Atual vice-presidente do PDT, o partido é o sétimo de Ciro ao longo de sua trajetória política. Ele também já foi filiado ao PDS, PMDB, atual MDB, PSDB, PPS, PSB E PROS.

Ex-governador de Mato Grosso do Sul é preso

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (20) o ex-governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli. Além dele, foram presos o filho do ex-governador, André Puccinelli Júnior e o advogado João Paulo Calves.

Eles são acusados, entre outros crimes, de fraudar licitações e superfaturar obras, causando um prejuízo ao Erário de mais de R$ 235 milhões. O pedido de prisão foi feito com base na decisão do Supremo Tribunal Federal, relativa à 5ª fase da Operação Lama Asfáltica, deflagrada em 14 de novembro do ano passado.

O ex-governador do Mato Grosso do Sul, o filho e João Calves já haviam sido presos em 2017, mas conseguiram ser soltos por conta de um habeas corpus concedido por um desembargador do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

Candidatura de Lula é lançada em Pernambuco

Manifestantes ligados ao Movimento de Trabalhadores Sem Terra (MST) e à Frente Brasil Popular, além de integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE) e militantes petistas se reuniram, na tarde desta sexta-feira (20), na Praça do Derby, área central do Recife, em defesa da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Parte do grupo participou da Marcha “Lula Livra, Lula Inocente”, que saiu de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, na última segunda-feira (16).

O ato político ainda marca o lançamento estadual da pré-candidatura de Lula à Presidência da República nas eleições de outubro próximo.

De acordo com o presidente estadual do PT-PE, Bruno Ribeiro, Pernambuco é um dos primeiros Estados a lançar a pré-candidatura de Lula.

Vereador Alberes diz que prefeita de Caruaru tomou “decisão coerente”

NOTA DO VEREADOR ALBERES

Venho a todos me posicionar diante do cancelamento da viagem da prefeita aos EUA. Passamos uma manhã inteira que se estendeu para o início da tarde debatendo tal viagem. Apesar de meu voto ter sido NÃO, a viagem foi aprovada.

Caruaru está enfrentando problemas sérios em diversos setores e não é o momento mais apropriado para que uma gestora se ausente de sua cidade por duas vezes consecutivas, totalizando quase 30 dias com viagens. Acredito, sim, que um gestor precisa se capacitar, se atualizar, porém em momento mais oportuno.

Existem outras prioridades que estão sendo colocadas de lado. ONTEM, para surpresa de todos os caruaruenses, inclusive minha, a notícia da desistência da viagem sem qualquer justificativa à população. Finalmente uma decisão coerente tomada pela atual gestora. Que Caruaru tenha rumo a partir de agora!

“Centrão” fecha apoio a Alckimin; Bolsonaro é vetado por dois partidos

O PSDB, partido do pré-candidato à presidência, Geraldo Alckmin, deve ter o apoio do “Centrão”, grupo de partidos formado por PR, DEM, PP, Solidariedade e PRB para formação de coligação nestas eleições.

O acordo ainda não foi oficializado, mas as negociações avançaram para um desfecho favorável a Alckmin. Os líderes dos partidos se reuniram em Brasília, nesta quinta-feira (19), e anunciaram por meio da imprensa que a aliança está acertada.

Na quarta-feira (18), o PSDB já havia anunciado ter acertado formação de coligação com o PTB, partido do delator do mensalão, Roberto Jefferson.
Em evento em Brasília, nesta semana, o pré-candidato do PSDB disse, em entrevista coletiva, que o suposto envolvimento de membros do PTB em fraudes no Ministério do Trabalho não seria problema para a composição de sua chapa.

“Olha, nós precisamos trabalhar com as melhores pessoas e é isso que nós vamos fazer. Todos os partidos têm bons quadros. O PTB tem bons quadros”, disse.

O PSL, partido de Jair Bolsonaro, deve ir para a disputa da presidência com “chapa pura”, ou seja, sem nenhuma sigla parceira. Durante a semana, o PR e o PRP negaram apoio a Bolsonaro.

Já o MDB, do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, discute com outras siglas a possibilidade de formar coligação para a disputa da presidência.